.:União Bandeirante F.C.:. Ídolos - Atacantes
Site Oficial do União Bandeirante Futebol Clube .................................................................................................................................www.uniaobandeirante.cjb.net
 
 
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

 

Ele não foi só o maior ídolo da história do União, Paquito era o galã da Vila Maria. José Martins Manso, o artilheiro dos anos 60-70 foi o grande destaque das campanhas vitoriosas do clube nos anos dourados. Formou dupla inesquecível com Tião Abatiá e conquistou depois a torcida do Coritiba Football Club, onde anos mais tarde seria também treinador do próprio União, Matsubara, Grêmio Maringá, Coritiba e Paraná Clube. Anos mais tarde, seu filho Juliano também tornaria-se atacante do alvinegro.
Quem viu viu, quem não viu azar o seu! Sebastião José Ferri, o Tião Abatiá era daqueles atacantes endiabrados que atormentavam as defesas adversárias! Sem ele Paquito não seria Paquito e vice-versa! Abatiá com Paquito formaria a dupla caipira novamente também no Coritiba. Antes do Coritiba, também teve uma rápida passagem pelo São Paulo Futebol Clube nos anos 60 e depois pela Portuguesa, em 1974. Mas, com problemas no joelho, Tião voltou para o Paraná e encerrou a carreira. Hoje, mora em Ribeirão do Pinhal-PR e é dono de uma lotérica.
Nondas, ex-ponta-direita do São Paulo (entre 62 e 65), o Epaminondas Brilha, nascido em Mairiporã-SP, no dia 21/9/1941, é casado com a Sônia Maria Todesco, ex-jogadora da Seleção Brasileira feminina de basquete. Veio do XV de Piracicaba para o União Bandeirante na década de 60. No União, destacou-se pela velocidade, belas cobranças de falta e muitos gols com a camisa alvinegra da Vila Maria. Hoje, Nondas vive em Sorocaba-SP e é Professor de Educação Física, trabalhando com equipes de futebol nas categorias de base.
Russinho veio do São Paulo Futebol Clube, tendo passagem pela extinta equipe do Água Verde (hoje Paraná Clube), seu forte era a velocidade e o chute violento, tendo marcado muitos gols para a equipe. Fez parte do maior ataque de todos os tempos do União Bandeirante Futebol Clube: Nondas, Paquito, Tião Abatiá e Russinho. Deixou muitas saudades junto à família alvinegra, pois já não se encontra entre nós. Fica nossa homenagem a este grante ponta-esquerda dos anos 60 e 70.
Pateta foi um ponta-esquerda goleador do União que disputou inclusive a Copa do Brasil de 1990, disputando a vaga nada menos do que contra o São Paulo F.C. no Morumbi. Muito veloz e com um "petardo" no pé esquerdo. Após isso, teve passavem vitoriosa no Cruzeiro de Belo Horizonte, conquistando duas Supercopas Libertadores como titular. No time mineiro Pateta foi o primeiro companheiro de ataque do fenômeno Ronaldo, pentacampeão do mundo. Fez sucesso jogando em Portugal e em Minas Gerais era conhecido como Edenílson.
Renato Ziglioli, o Manguinha, foi um dos grandes goleadores do União Bandeirante nos anos 90. Nasceu no dia 09 de Novembro de 1968 em Guaporé-RS. Começou no CESUM de Medianeira-PR e jogou também no Cascavel, União Operário, União Bandeirante e Votuporanga. Ficou marcado no alvinegro por um gol salvador aos 48 minutos da etapa final durante uma partida entre União e Foz do Iguaçu pelo Torneio Seletivo para a Série C do Campeonato Brasileiro de 1992. O gol da vitória garantiu a vaga ao alvinegro em pleno campo do adversário. Manguinha em 1997 sofreu um grave acidente de carro no sudoeste do Paraná e hoje está se recuperando ao lado da família, onde vive em Medianeira-PR. Fica nossa homenagem a este grande e querido atacante da história do clube.
O mineiro Marcelo carregava consigo honrosamente o nome de sua terra natal Araxá. Foi um dos grandes atacantes que vestiram a camisa do União Bandeirante nos anos 90, jogando ao lado de craques como Pateta, Romildo, Dedé, Polaco, Marcelo do Ó, Reginaldo e Márcio Goiano. O craque jogou entre tantos outros clubes no Atlético Paranaense.
O mais famoso dos "Brandão" que atuaram no clube. Brandão, o pai do outro mais jovem que anos mais tarde também jogaria no União Bandeirante, foi um grande atacante que fez muitos gols pelo clube nos anos 70. Veio do Noroeste de Bauru-SP com a difícil missão de substituir a dupla caipira Paquito e Tião Abatiá e fez muito sucesso em Bandeirantes. Depois se transferiu para o Londrina, onde foi destaque da equipe que foi 3ª colocada no Campeonato Brasileiro em 1977. Hoje, reside em Londrina-PR.
Nilson foi um super-atacante que tão cedo a torcida bandeirantense não esquecerá. Seus gols foram responsáveis pela brilhante campanha do União no vice-campeonato de 89, onde só o Coxa conseguiu parar o alvi-negro no Couto Pereira na final daquele ano. Nilson jogou depois no Caxias e Inter-RS fazendo muitos gols nos campeonatos do Rio Grande do Sul.
O atacante Jabá foi o ídolo mais recente da torcida do União. Mesmo não conquistando títulos, Jabá fez a torcida enlouquecer de alegria com seus golaços, sendo artilheiro do Campeonato Paranaense em duas temporadas, despertando o interesse de grandes clubes e transferindo-se para o Coritiba, onde conquistou a torcida e numa partida contra o Santos, tornou-se manchete no noticiário nacional quando levou cartão amarelo por dar pedaladas para driblar o adversário. Passou também por Criciúma, Ituano e Figueirense.
Juliano Pescarollo Martins, mais conhecido como Paquito, não é aquele Paquito da dupla caipira com Tião Abatiá, mas é filho dele. Juliano foi revelado pelo União, mas se destacou no interior paulista, defendendo equipes como a Inter de Limeira e Rio Branco, de Americana. Tem boa estatura, por isso a facilidade nas bolas altas, além de possuir um forte chute de fora da área. Depois, Juliano Paquito foi centroavante do Ceará, onde disputou a Série B do Campeonato Brasileiro, sendo o principal artilheiro da equipe nordestina.
Darlan foi um dos grandes atacantes que passaram pelo União nos anos 90. Fez parte do grande esquadrão que por muito pouco não conquistou o título estadual de 92, mas que encantou a todos, perdendo apenas na decisão contra o Londrina no Estádio do Café.
Edinaldo Souza Dourado nasceu em 09 de julho de 1981 e foi um dos últimos destaques a iniciar carreira no União Bandeirante. Além de atuar como atacante, também se destaca como meio-campista, tendo uma bela participação no Brasileirão da Série C, em 2003. Fez muitos gols pelo clube entre 2001 e 2004, quando foi transferido por empréstimo ao Coritiba, para a disputa do Brasileirão. Em 2005 foi para o Rio Branco de Paranaguá.
Jairo, o Mineirinho como era chamado pelos amigos em Bandeirantes, chegou no União Bandeirante no início dos anos 70 e foi logo se destacando nas categorias de base do clube. Era veloz e atuava na ponta-direita sendo considerado uma das boas revelações da equipe para substituir Nondas e Alfaro, de quem logo depois seria suplente no time profissional. Atuou também no G. E. Paraíso e hoje reside com a família em Foz do Iguaçu, onde é comerciante.
Evaeverson Lemos da Silva, o Brandão, nasceu em 16 de junho de 1980, em São Paulo e é filho de outro craque conhecido como Brandão, artilheiro do União na década de 70. Pelo União Bandeirante, disputou o Paranaense de 2001, marcando muitos gols. Depois atuou pelo Grêmio Maringá e Iraty, antes de transferir-se para o São Caetano, onde foi o artilheiro da equipe que foi vice-campeã da Copa Libertadores de 2002. Hoje, joga no futebol da Ucrânia, atuando pelo Shakhtar Donetsk desde 2002.
www.uniaobandeirante.cjb.net - Copyright 2006 © Todos os direitos reservados ao União Bandeirante Futebol Clube.
1