Massas de ar no Brasil

Massas de ar no Brasil

As massas de ar são porções individualizadas do ar atmosférico que trazem em suas características e propriedades, as condições gerais do tempo dos locais onde se formam. O deslocamento das massas são provocados pela diferença de pressão e temperatura entre as diversas áreas da superfície. Portanto, as massas de ar estão geralmente associadas a sistemas de baixa e alta pressão. As áreas de baixa pressão são receptoras de ventos e com grande instabilidade atmosférica caracterizada por grande nebulosidade e precipitação elevada. Já as áreas de alta pressão tendem a ter menores temperatura e são dispersoras de ventos, portanto tem em sua característica não ter nebulosidade e possuir estabilidade atmosférica.

Massa Polar - Massa Tropical Continental

Estas duas massas de ar interagem entre si. O encontro da massa polar com a massa tropical continental é a grande causa da formação das frentes frias. Os sistemas frontais são gerados pelo encontro de duas massas de ar sendo uma quente e outra fria.

Obs: A parte cinza simboliza a frente fria e a parte azul a massa de ar frio.
Esta massa de ar é a responsável pelas ondas de frio no centro-sul do país. Ela pode causar geadas e neve no sul do Brasil e friagens no oeste amazônico. A frente fria que acompanha a massa de ar na borda frontal causa chuvas de intensidade moderada a forte, porém de rápida duração. Os esporádicos episódios de neve na região serrana do sul, ocorrem quando um sistema de baixa pressão acompanha a massa de ar sobre a costa litorânea da região sul. A massa pode ser de deslocamento continental e atlântica. A representada na animação ao lado é a continental. As de deslocamento atlântico tem sua área de influência mais restrita e em algumas vezes atinge apenas a região sul. As massas polares continentais ocorrem com maior freqüência de abril a agosto, porém há a possibilidade de ocorrer nos outros meses do ano. A massa polar atlântica ocorre com maior freqüência que a continental e pode chegar com maior facilidade nos outros meses do ano.

 

Esta massa de ar é também conhecida como bloqueio atmosférico e tem sua origem no interior do continente. Pode durar mais de 15 dias. Durante o final de maio e começo de junho é comum ocorrer fortes episódios e na região sul é conhecido como "veranico" em função de provocar um grande aumento de temperatura para uma época que já é frio na região. A ocorrência maior é durante os meses de primavera, começo do outono e final do inverno. A massa de ar tem como característica ser seca e quente. É conhecida como bloqueio atmosférico em função de ela bloquear a entrada de frentes frias e nuvens de instabilidades responsáveis por chuvas quando sua intensidade é forte. Ela tem grande atuação na parte central do país e atinge o sudeste, centro-oeste, parte do nordeste, pequena área da região norte e parte da região sul.

 

Massa Tropical e Equatorial Atlântica

As características destas massas de ar é serem quentes e úmidas. Os ventos alísios, que são gerados pela rotação da terra, e a passagem de centros de alta pressão sobre o oceano fazem com que os ventos tenham sua direção voltada para o continente e sendo assim eles carregam a umidade marítima para a faixa leste mais próxima do litoral do Brasil, como pode-se observar no mapa ao lado. Os valores acumulados de precipitação são baixos, pois estas massas de ar não causam chuvas significativas.

 

Massa Equatorial Continental

Esta massa de ar é originada na Amazônia central. Existem alguns fatores que influenciam na formação desta massa de ar e um dele é a atuação da zona de convergência intertropical (ZCIT). O encontro dos ventos alísios do hemisfério norte com os alísios do hemisfério sul se da na ZCIT onde há a formação de instabilidades associadas a nuvens convectivas (grande desenvolvimento vertical). Esta instabilidade produzida é responsável por grande presença de nebulosidade sobre a região central amazônica e nesta região há outro importante fator para o surgimento da massa de ar. O alto calor produzido associado a alta umidade da região provoca o surgimento de nuvens de instabilidade que associadas as instabilidades geradas da ZCIT provoca uma grande área de nebulosidade e alta temperatura, que é a massa equatorial continental. Sua atuação é constante na região norte, porém durante os meses de verão pode atingir o centro-oeste, parte do nordeste e sudeste além de uma pequena área mais ao noroeste da região sul. A massa de ar provoca valores elevados de precipitação acumulada, principalmente sobre a região norte.
1