Navisfera de Wilson

Navisfera de Wilson

Um mundo estranho.

Esse antigo...dispositivo? da figura acima, ao qual lhe atribuem outras funções, na verdade é um invento recente intitulado "ESFERAS IMAGINÁRIAS" mas que, por razões de identificação, renomeado "Navisfera de Wilson" numa associação ao nome de seu inventor ou , face a simplicidade do aparato, descobridor . Estima que pode ter existido há mais de 1.000 anos. Nesse contexto, a Navisfera de Wilson recentemente descoberta, tem ou teria por missão explorar as funções do sistema trigonométrico de projeção angular, aplicando-o no referido instrumento, provavelmente usado em agrimensura no antigo Egito. Construído com quatro (anéis) armilas articuladas, conforme a figura em anexo, se o mesmo foi usado por agrimensores no Egito sua idade remontaria mais de 3.000 anos. Nota: o instrumento não foi desenterrado de um campo arqueológico e sim elaborado para ser feito com uso de tecnologias e materiais conhecido naquela época.

Como se percebe, a “Navisfera de Wilson” construído com quatro armilas (anéis) articuláveis entre si pode ser um pantógrafo esférico mas que graças aos três eixos ortogonais adquire os movimentos de um giroscópio, articulações essas que permitem coordenar outro complexo sistema de transferência de ângulos na superfície de uma esfera abstrata e nesse caso, aplicando-o em astronomia na resolução de problemas que envolvem a trigonometria.


Aplicação.

Um dos usos da “Navisfera de Wilson” é ser usada como um simulador de eventos astronômicos, podendo substituir as tábuas de navegação HO249 ou a Radler de Aquino.

“Navisfera de Wilson” , como simulador, é construída com anéis (armilas) articulados em eixos transversalmente dispostos de modo possuir os movimentos de um giroscópio e como suas articulações riscam por igual a superfície de uma esfera imaginária, essa propriedade é aproveitada, por exemplo, para simular o azimute e altura acima do horizonte que a luz de uma estrela, constante num almanaque náutico, deverá ser avistada em determinado instante, permitindo assim corrigir a posição estimada do observador com relação as estrelas no céu.

“Navisfera de Wilson” , a qual se refere o nome do presente invento, tem por finalidade atender, por exemplo, as funções de uma calculadora eletrônica, na resolução de problemas trigonométricos.

“Navisfera de Wilson ” é montada num jogo de 4 armilas graduadas , todas iguais e opostamente articuladas formando um sistema de compassos esféricos e articuláveis como um pantógrafo tridimensional.

Enfim, a “ Navisfera de Wilson” , é como se fosse um planetário em suas mãos, que permite a qualquer navegador simular, a posição relativa aos corpos celestes.


Modelos anteriores ou parecidos. Conforme dito, “Navisfera de Wilson” foi elaborada para atender, fora da meridional, todas as simulações requeridas na astrometria de posição e dessa forma evitar equações e outros cálculos ligados a matemática, dessa forma compensar a loxodrômia.

A “Navisfera de Wilson” é um instrumento muito semelhante a Esfera Armilar .

Convenção da Terra Plana

A Esfera Armilar foi durante muito tempo um modelo mais conhecido, conta a história que foi desenvolvida ao longo dos séculos A.C. em defesa de algumas teorias envolvendo a criação do mundo e sistemas geocêntricos e por outra, servir de registro como num almanaque sobre o curso do sol nos 365 dias do ano em relação as estrelas fixas.

Sem ser uma alegoria ligada a esse passado remoto, “Navisfera de Wilson”, por necessitar ser feita com materiais muito frágeis, se um dia existiu tal qual o modelo ora proposto, devido a sua fragilidade, a erosão e ao desgaste prematuro não permitiu que chegasse a constar no inventário histórico mundial, razão pela qual estou redescobrindo-a ou melhor, reinventando-a com uso de novas tecnologias. A minha intenção é testar os limites da precisão instrumental em objetos processados artesanalmente para fins de orientação e assim desvendar o que os antigos sabiam.

Embora a primeira vista muito obsoleta, quando visto mais atentamente, percebe-se que seu funcionamento pode envolver a base dos sistemas cartesianos de Renne Descartes e também, em semelhança, alguns aspectos das funções da álgebra, sugerindo até que os idealizadores desses tratados estavam mais inteirados as funções dessa calculadora trigonométrica do que a própria matemática.

Ainda por semelhança de “funções” temos uma replica em museu do globo celeste da dinastia king - Celestial Globe, Qing Dynasty (1644-1911 CE) que é uma projeção das estrelas nas coordenadas terrestres e também, a esfera de Doutor Francisco Miranda da Costa Lobo, um engenho desenvolvido em Portugal em 1910 antes das tábuas de posição Radler Aquino ou as de navegação HO249, são os similares mais próximos, contudo mesmo assim tornavam-se impraticável seus usos devido ao volume e o peso excessivo dos instrumentos, já que a esfera de do Doutor Costa Lobo se tratava de um bloco de madeira esférico com 57 cm. de diâmetro e pesando cerca de 30 quilos. Isso, sem estimar o peso da esfera da Dinastia Qing essa feita totalmente em bronze. Contudo como o principal objetivo delas, era estabelecer, as coordenadas espaciais de um astro (Fig.10 item16) sem esperar o momento de sua passagem meridiana e diretamente numa terra redonda Doutor Francisco Miranda da Costa Lobo , sinto que seriam ainda muito útil hoje se fossem menores e mais abstratas. Nesse sentido“Navisfera de Wilson” por ser um instrumento de cálculos programável , que igualmente atende todas as simulações astronômicas (em qualquer latitude) como se fosse num planetário em suas mãos, possui ainda a vantagem de ser fechada e acondicionada numa valise para uso em embarcações sem correr o risco de ser danificada ou danificar a embarcação, embora mais primitiva, tudo indica que a atual re-montagem de “Navisfera de Wilson”, talvez criada 1000 AC, se torne um exemplar tecnologicamente mais avançado que os modelos ora citados.

Por recomendação do Doutor Miranda bastariam dois astrônomos para operar a sua esfera.

“Navisfera de Wilson” pode ser usada também como se fosse um eficiente teodolito, bastando para isso uns pequenos ajustes para fixá-la numa base. (ver loxodrômia esférica)


O método e o nome.

Assim como todos os meridianos convergem nos pólos, da mesma forma todos os rumos são anéis e círculos máximos que se cruzam no lugar geométrico ocupado por um navegante e de forma semelhante, ocorre com as quatro armilas articuladas da “Navisfera de Wilson” .

Como altura de um raio de luz de uma estrela incidente no cruzamento de dois círculos máximos pode ser avistada por esses dois observadores e indicar os lugares geométricos ocupados por eles nos referidos círculos máximos (rumo e meridiano), da mesma forma os eixos de dois pares de armilas articuladas, que se cruzam, podem simular a mesma situação.

“Navisfera de Wilson” , para programar um circulo máximo, não precisa medir os astros é só usar as coordenadas do destino, no lugar de uma estrela.

Outra função da "Navisfera de Wilson" é aferir os pólos magnéticos em função da região em que se esta navegando. Desde quando começou a medir, há á mais de 500 anos, existe uma grande inconstância no magnetismo terrestre tanto associada ao tempo como a região e isso faz com que ora seja descontado alguns graus da agulha para leste e em outra para oeste e da mesma forma ocorre em outras coordenadas.

Nota-se em alguns períodos, de tempo, que o desvio da agulha é progressivo geralmente essa informação consta nas cartas náuticas.

Até hoje, muitas pessoas pensam que a bussola é um instrumento totalmente confiável e que é só descontar a declinação magnética para achar o rumo verdadeiro, isso funciona em pequenas regiões bem mapeadas no entanto, para se ter uma idéia da quantidade de mapas (atualizados) que um navegador precisaria para circunavegar o mundo somente compensando os valores da declinação da agulha magnética. Consulte acima, a compilação dos dados fornecidos anualmente por milhares de observatórios magnéticos espalhados ao redor do globo terrestre.


Para saber mais sobre Navegação Programada e suas dificuldades.

Navegação Programada



Nota:

Editei e salvei a página muito rapidamente...daqui para baixo perdeu-se muita informação...as principais instrução de uso etc etc, é infelizmente deu nisso....mas brevemente estarei corrigindo.Desculpem-me.

Wilson Simão.

Nota: Essa esfera foi feita usando uma cinta de aço (de arquear caixas) com a numeração em graus, digo o espaço entre os números de 0 a 90 deduzido em computador impresso e colados em tiras de papel.

Já o modelo arqueológico, que não chegou a constar no inventario histórico da humanidade, pode ter sido feito com tiras de bambu ou fibras de piaçaba enroladas e( de vassoura) coladas com resinas, conforme os japoneses fazem com arte Xarom ou charão.

Verificando o mecanismo de um giroscópio que também é semelhante ao funcionamento da esfera armilar, cheguei a esse instrumento, que serve para fazer cálculos trigonométricos sem usar equações que incluem seno e co-seno, e como não sei se é invento ou descoberta resolvi patenteá-lo por segurança.

Como explicado antes, quando usado acompanhado a um almanaque náutico, seu uso astronômico, tem as funções de um planetário de mão ou simulador de eventos espaciais, nesse caso para fins didáticos ou naval, pode ser usada na resolução de triângulos esféricos, fornecendo a altura e azimute que um astro será avistado em determinada hora. Serve também para corrigir o desvio da agulha magnética ou a loxodromia ( a deformação da carta mercator ) que também é um excelente recurso usado em navegação programada.

Penso que se levarmos em conta suas aplicações e seu facílimo uso e ainda computando a sua simplicidade tecnológica, o instrumento Esfera Armilar pode ter sido usado também como calculadora e nesse caso não se trata de um invento e sim uma descoberta, mostrando que os antigos navegantes orientais possuíam meios de resolver equações trigonométricas para mapear as coordenadas celestes, agradeceria então que os pesquisadores de historia da ciência do lado oriental, os árabes , os indianos, os chineses e também os polinésios, me ajudassem a encontrar algum comentário ou citação que leve ao instrumento a função de simulador e não a defesa de uma inócua teoria em defesa de um sistema geocêntrico. Fica a disposição , mais detalhes sobre a patente, seu funcionamento ou quem se interessar, a título de curiosidade, adquirir o modelo feito com cintas de aço INOX (as mesmas da serra de fita) devem entrar em contato no Tel (celular) 55 (021) 9440.1336.

[ Yahoo! ] busca avançada
1