Apologética

A Basílica de Pisa

O Papa João Paulo II em oração e Santo Antônio Maria Zaccaria , fundador da ordem dos Barnabitas

Cardeal Walter Kasper

Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos

Cardeal Antonio Maria Rouco Varela -- Arcebispo de Madri , foi Presidente da Conferência Episcopal Espanhola. É titular do Conselho para o Estudo dos Problemas Organizativos e Econômicos da Santa Sé.

Dom Pedro Fedalto - Arcebispo Emérito de Curitiba, Paraná

DOUTRINA CATÓLICA

Papa Bento XVI , Joseph Alois Ratzinger

ESTUDOS BÍBLICOS

__________________________________________________________

"Quem quiser ser o primeiro entre vós , faça-se servo de todos" (Mc 10 , 44 )

" quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo , assim como o Filho do homem que não veio para ser servido , mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos". ( Mt 20 , 25 - 28)

__________________________________________________________

Os estudos bíblicos têm por escopo entender sempre melhor o significado da Palavra de Deus - a doutrina revelada - presente nas Sagradas Escrituras.

Para o alcance percuciente do significado das Sagradas Escrituras, a Igreja advoga o concurso de diferentes ciências , incluindo as 'ciências profanas' como a filologia , a linguística , a historiografia e a arqueologia , entre outras disciplinas . A razão e a ciência são dons de Deus concedidos à alma humana para o conhecimento da ordem natural , e , sob o auxílio da graça , para o conhecimento da verdade revelada ; das verdades bíblicas .

A autoridade eclesiástica é a responsável única pelo modo como os cristãos devem ler e entender a Bíblia; pela exegese oficial , enfim . A teologia que se estrutura diretamente sobre o estudo das Sagradas Escrituras é a teologia bíblica , esta teologia , em coerência com a totalidade da doutrina da Igreja Católica , é antitética em relação ao princípio da "sola scriptura" . Ainda que conferido primazia ao registro do hagiógrafo , não prescinde da tradição e da autoridade do magistério da Igreja , pois esta verdade está afirmada na própria doutrina revelada presente nos Textos Sagrados.

A Igreja Católica não admite o chamado livre-exame da Bíblia porque entende que o carisma da infalibilidade não é desfrutado por todos os cristãos , mas apenas pelo Sumo Pontifice em pronunciamentos " ex-cathedra " ou pelo Colégio Episcopal em pronunciamentos definitivos do seu magistério infalível, como o magistério de seus concílios ecumênicos, realizado sob a presidência do Romano Pontífice . A Igreja possui a missão inalienável de ensinar , governar e santificar a si mesma , e a multidão de fiéis .

As Sagradas Escrituras narram a história do Povo de Deus , desde a criação do mundo até as ações missionárias dos apóstolos de Cristo. Descrevem os sucessivos pactos de Deus com os homens , Suas leis , as profecias de diversas épocas , as intervenções divinas na história e a preparação para a vinda do Messias. O Texto Sagrado , contudo , nem sempre informa seu sentido à primeira leitura , é necessário , portanto , o trabalho hermenêutico e exegético de pesquisadores e teólogos autorizados pela Sé Apostólica. As Sagradas Escrituras apresentam muitas figuras de linguagem , metáforas , metonímias , hipérboles , expressões idiomáticas e foram redigidas em hebreu arcaico , idioma com muitas restrições lexicais , elementos estes que podem efetivamente confundir o nosso entendimento. As mensagens da Bíblia portanto devem ser entendidas dentro de um conjunto doutrinário integrado e coerente.

Além disso , os originais desses textos sofreram diversos processos de cópia e tradução que produziram algumas alterações semânticas e também na organização dos mesmos. Não são intentos deliberados de ocultar ou acrescentar alguma informação , não são intentos desonestos de acrescentar ou retirar algo da Bíblia ; são problemas objetivos , traduções de traduções , manuscritos elaborados de forma mais precisa , ou menos precisa , e assim sucessivamente.

A Igreja condena, sim, o intuito deliberado de mudar o Texto Sagrado ; mas a presença de problemas objetivos como os mencionados --- dúvidas filológicas sobre o termo mais adequado a ser traduzido , ou o modo de organizar os textos , ou ainda , a perda de partes dos originais --- não contituem atos moralmente condenáveis , porque escapam ao controle da vontade humana.

Podem argumentar algumas pessoas : mas a Igreja não desfruta de infalibilidade no exercício de seu magistério solene ? Sim , desfruta ! Mas não ao traduzir ou copiar textos no âmbito do empenho humano isolado , sem a supervisão da autoridade eclesiástica ! Os originais dos apóstolos e discípulos são obras inspiradas , e , rigorosamente , verdadeiras , no que concerne à realidade sobrenatural revelada ; mas o empenho humano de reproduzir esses originais , em diversas culturas e tempos da história , defronta-se com sérias dificuldades próprias do nosso entendimento e do nosso mundo imperfeitos .

Para isso , existe a autoridade da Igreja que examina essas versões e concede , ou não , o 'nihil obstat' . A autoridade derradeira para a leitura e a interpretação da Bíblia é a Sé Apostólica e essa verdade é dogmática.

Deus não revelou Suas verdades aos homens para que estas ficassem sujeitas à livre interpretação individual. Por essa razão , ao revelar Sua doutrina sagrada , NS Jesus Cristo definiu , nela mesma , a existência de uma autoridade especialmente investida e assistida pelo Espírito Santo a fim de garantir a integridade do depósito da fé. Confiou a Pedro , aos apóstolos e aos sucessores dos apóstolos , a autoridade para ler e ensinar a sagrada doutrina - infalivelmente . (Mt 16,16-19 ; Lc 22,31s ; Jo 21,15-17 ; Jo 14,26 ; 16, 13-15). Essa é a estrutura hierárquica fundamental da Igreja , que recebe uma especial e permanente assistência do próprio Cristo , através do Espírito Santo (Mt 28, 18-20) . A verdade revelada por Deus é definitiva , imutável ; ela existe independente do nosso entendimento subjetivo e dos contextos historico-culturais. O que vale dizer : há um entendimento geral e obrigatório da sã doutrina e uma aplicação específica legítima , para cada cristão que leia a Palavra de Deus em cada contexto. A Palavra de Deus age conforme as nossas necessidades , mas este atendimento da nossa especificidade , não nega , em absoluto , a verdade definitiva e aplicável a toda a Igreja.

As Sagradas Escrituras e a tradição do magistério da Santa Igreja formam uma unidade indissolúvel , possuem a mesma origem , comungam os mesmos objetivos e integram o mesmo depósito da fé . As Sagradas Escrituras mandam que respeitemos os nossos pastores em seu magistério , e o sagrado magistério retira seus ensinamentos dessa fonte sublime da Palavra de Deus , sob o auxílio permanente do Espírito Santo .

Infelizmente, a Palavra de Deus não foi homogeneamente acolhida por todos os povos em todos os tempos. Até a " Reforma Protestante " , o Cânon das Sagradas Escrituras entre os cristãos , era basicamente o mesmo , não obstante , após a " Reforma " , na recusa da aceitação das deliberações do magistério eclesiástico anterior , os protestantes retiraram sete livros da Bíblia , considerados apócrifos . São os famosos Deuterocanônicos ; cuja última confirmação do magistério supremo da Igreja , data do Concílio Tridentino ( séc. XVI ) . Os judeus , de modo geral , excetuando os judeus messiânicos , não acolhem o cânon cristão - o Novo Testamento - porque não consideram Jesus Cristo o Messias prometido , e não acolhem , também , as obras admitidas na Septuaginta , por decisão da Sinagoga de Jâmnia que decidiu retirar os nossos Deuterocanônicos do cânon judaico.

A Bíblia Católica, portanto, difere da bíblia protestante e das escrituras sagradas dos judeus.

Vejamos, então, quais são estas importantes distinções :

Bíblia Judaica :

Contém 39 livros do Antigo Testamento ; rejeita o Novo Testamento ; não aceita os livros do segundo cânon ( deuterocanônicos )

Bíblia Protestante :

Aceita os 39 livros do Antigo Testamento e também os 27 do Novo Testamento ; rejeita os livros do segundo cânon , como não canônicos

Bíblia Católica :

- Contém os 39 livros do Antigo Testamento e os 27 do Novo Testamento

- Inclui os livros do segundo cânon que são : Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruque, 1º e 2º de Macabeus, seis capítulos e dez versículos acrescentados no livro de Ester e dois capítulos de Daniel.

Editoria do Site

__________________________________________________

" und ich sagen auch an Sie, das sind Sie Peter, und nach diesem Felsen baue ich meine Kirche auf; und die Gatter der Hölle herschen nicht gegen "( Matthew 16:18 )

__________________________________________________

TEXTOS DA SEÇÃO " ESTUDOS BÍBLICOS "

Estudos Bíblicos

Os Dez Mandamentos

Esclarecimentos : Deus vinga os pais nos filhos ? / Deus se arrepende ?

Leitura da Bíblia

O nome verdadeiro de Jesus

O Pentateuco

Comentários do Papa sobre o Salmo 61

Deuterocanônicos defendem a doutrina católica contra as heresias protestantes

Cardeal Jan Schotte e Cardeal Edward Idris Cassidy

1