Dispositivos intra

Dispositivos intra-uterinos (DIU'S)

        Este é um método bastante antigo, mas só recentemente recebeu aprovação científica. O dispositivo intra-uterino é ou plástico uma peça de metal que é inserida, através do colo, na cavidade uterina.

        Apesar de usado por cerca de 60 milhões de mulheres no mundo inteiro, há pouco tempo atrás ainda havia no Brasil uma oposição oficial ao seu uso, chamando-o de microabortivo.  Entretanto, estudos mais recentes provam que a sua alta eficácia não é explicada exatamente por este mecanismo de ação.

        O mecanismo de ação não é bem conhecido.  Vários fatores podem explicar o modo pelo qua ele evita a gravidez; entre eles estão os seguintes:

Ü                 O endométrio pode ser quimicamente alterado, impedindo a implantação do ovo;

Ü                 Alterações na contratilidade do miométrio, o que poderia impedir o transporte do esperma;

Ü                 Aceleração do transporte do óvulo na trompa, impedindo a fecundação;

Ü                 Aumento de macrófagos na cavidade uterina, que têm a capacidade de matar os espermatozóides e podem lesar o ovo;

Ü                 Alterações do muco cervical, o que impediria a subida dos espermatozóides (DIUs com cobre).

A colocação do DIU é feita em consultório, preferivelmente durante o período menstrual, e leva mais ou menos 10 minutos.  Tudo que a paciente precisa fazer é ticar deitada e relaxada, como num exame ginecológico.

 Algumas perguntas possíveis

Com o DIU, podem-se usar tampões no período menstrual?

Sem problema algum.  O DIU fica no interior do útero, enquanto que o tampão é colocado na metade mais superior da vagina, não havendo contato entre eles.

O DIU incomoda durante as relações sexuais?

Alguns homens afirmam que os fios do DIU, que permanecem no fundo da vagina, os machucam.  Mas isto dificilmente poderia acontecer.  Durante a relação, a vagina aumenta consideravelmente de tamanho e o útero se desloca para cima; portanto, não há contato direto e constante entre o pênis e o colo do útero.

O DIU provoca alguma reação no organismo?

Sim, normalmente durante os primeiros meses de uso.  A colocação do DIU pode ser seguida de cólicas e dores abdominais (que podem ser controladas por um analgésico) e de sangramento vaginal, durante alguns dias.  A menstruação torna-se mais prolongada e abundante que de costume, e pode permanecer assim durante todo o tempo de uso do DIU.  Além disso, nos primeiros meses são comuns perdas de sangue fora do período menstrual. Às vezes o organismo reage, expulsando o DIU.

O DIU tem alguma contra-indicação?

Sim.  Não deve usá-lo quem sofre de repetidas infecções genitais, quem tem fibromas ou alterações da forma do útero.

É possível perder o DIU sem perceber?

Isto às vezes acontece.  Muitas mulheres o expulsam sem perceber, principalmente no período menstrual.  Mas como o DIU COstuma ter um fiozinho que passa para o colo do útero e chega até a vagina, não é difícil controlar a sua posição no lugar certo.  Aliás, pode ser aconselhável que você faça esta verificação mensalmente, logo após o fim da menstruação.

É fácil retirá-lo?

Depende de sua localização.  Se tiver o fiozinho, é só puxar com delicadeza.  Se não, o médico o retira com um aparelho especial.  Deixar que ele o retire, sobretudo em caso de gravidez.

Basta retirá-lo para engravidar?

Em geral, a mulher volta a ser fértil algumas semanas depois de o ter retirado.

Existem casos de útero perfurado pelo DIU?

Sim, principalmente no momento em que é colocado, ou quando colocado antes de 6 semanas depois do parto.  Mas estas perfurações raramente são graves.

O DIU tem alguma relação com o câncer de útero?

Ainda não se descobriu nenhuma prova disto.

O DIU é menos arriscado do que a pílula?

As complicações fatais com o DIU são mais ou menos 15 vezes menos freqüentes do que com a pílula.

Quem usa DIU precisa fazer exame ginecológico todos os meses?

Geralmente é necessário um exame um mês depois de colocado, e dois outros ao fim de três e seis meses.  A partir daí, basta um exame anual, inclusive para fazer prevenção de câncer.

O DIU provoca anemia?

A anemia pode ser causada pelas menstruações abundantes e prolongadas, decorrentes do uso do DIU; o que não quer dizer que as menstruações abundantes sempre provoquem anemia.

Por que muitas mulheres temem usá-lo?

Porque julgam os riscos mais graves do que o são realmente.  Por motivos religiosos, morais, psicológicos, ou até mesmo econômicos.

O DIU é tão eficaz quanto a pílula?

Sua eficácia é comparável à da minipílula.  Segundo o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas, sua eficácia é de 95%.

Quais são as indicações para o uso do DIU?

Ele é indicado para a mulher em idade madura, não grávida, sadia e que deseja um contraceptivo bastante seguro, fácil de usar e controlar, que não tenha uma contra-indicação absoluta de gravidez.

É comum, com o DIU, ocorrer uma gravidez fora do útero?

O risco de gravidez ectópica aumenta 10 vezes mais em quem o usa, provavelmente por um dos seus mecanismos de ação, que previne a implantação do ovo na parede interna do útero, favorecendo a implantação na Tuba uterina. 

O que acontece no curso de gestaçao, na presença do DIU?

A incidência de aborto, neste caso, é alta, chegando a 33%.  Quando a gestação continua até o termo, geralmente, os efeitos não são nocivos.  Nestes casos, o DIU é quase sempre encontrado na face materna da placenta ou nas membranas.

É fácil colocar o DIU?  Dói?

Não é difícil.  A colocação é praticamente indolor.  Os mais usados (a espiral de Lippes e o DIU em forma de T) ficam lineares, quando colocados no introdutor, para atravessar a barreira cervical.  Quando chegam à cavidade uterina, recuperam a forma original.

Qual a melhor época para se colocar um DIU?

É preferível colocá-lo durante a menstruação, para facilitar, pois o colo está suficientemente dilatado para permitir a passagem, além da certeza de não estar grávida.

 O DIU pode ser colocado logo após o parto?  E após um aborto?

Tanto depois de um parto como depois de um aborto, as paredes uterinas estão flácidas e poderão ser perfuradas pelo DIU.  Portanto, é aconselhável colocá-lo 6 semanas após um parto normal e 12 semanas após uma cesárea.  Quanto ao aborto, dependerá do tempo de gestação e da técnica utilizada, quando for provocado.

 

Instruções às usuárias do DIU

a)         Quando for colocar o DIU, é melhor ir acompanhada, por precaução, caso ocorra algum mal-estar.

b)         Os DIUs devem ser retirados na menopausa, quando as menstruações cessarem.

c)         Se usar um modelo "T", ou "7", de cobre, trocá-lo a cada 3 anos mais ou menos, pois o cobre perde gradualmente sua efetividade.

d)         Se usar um modelo impregnado de progesterona, trocá-lo a cada 3 anos mais ou menos, pois a progesterona também perde a sua efetividade, com o tempo.

e)         Aprender a palpar o fiozinho do DIU, que sobressai no fundo da vagina.  Este fíozinho, ou cauda do DIU, mede cerca de 2 cm.

f)         Se o modelo em uso for de cauda e não de se conseguir apanhá-lo, procurar um médico imediatamente.

g)         Se não menstruar, consultar um médico.

h)         Os efeitos colaterais mais comuns são: aumento do sangue da menstruação, aumento das cólicas menstruais e sangramento entre as menstruações.

i)          Consultar o médico pelo menos uma vez por ano.  Será precise fazer um exame de prevenção de câncer (papanicolau), um exame mamário e um exame de sangue (hemograma).

j)          É aconselhável usar um outro anticoncepcional até um mês depois de colocado o DIU.

l)           Localizar com certa freqüência a cauda do DIU, especialmente depois de cada menstruação e quando ocorrerem cólicas.

 

29/04/00

Claudio Mecone © 2000

 

1