Curativos e Ataduras


CURATIVOS

Epaminondas de S. Mendes Junior

· CONCEITO:

É um procedimento utilizado para evitar, principalmente contaminação de ferimentos e ajudar no processo de cicatrização.

· FUNÇÕES:

  • Evitar contaminação
  • Ajudar na hemostasia
  • Proteção contra traumas mecânicos
  • Absorver secreção
  • Ajuda a cicatrização
  • Imobilização
  • Conforto psicológico
· TIPOS
  • Seco (Aderente): Este tipo de curativo é utilizado em ferimentos que não apresentam secreções, como em incisões cirúrgicas, onde não ocorre exposição da mucosa, pele íntegra
  • Úmido (Não Aderente): Este tipo de curativo é utilizado em ferimentos que apresentam secreção com exposição de mucosa. São normalmente usados com vaselina ou pomadas para evitar a aderência da gaze no ferimento durante o processo de cicatrização.
· PROCEDIMENTOS

ANTISSEPSIA: É o ato de limpar. Faz-se antissepsia para retirar o máximo possível de bactérias de um local. Por exemplo: O socorrista deve, antes de fazer qualquer curativo, lavar bem as mãos, assim fazendo a antissepsia.
A antissepsia de ferimentos é feita normalmente utilizando-se compostos iodados denominados PVPI (Polivinilpirrolidona Iodo).
Podemos dividí-los em três categorias: Degermante, Tópico e Tintura.

  • PVPI degermante (Água + sabão + éter + Iodo) é utilizado para limpeza (desengordurar) da área ao redor do ferimento.
  • PVPI tópico (Água + Iodo) é utilizado na confecção de curativos úmidos, onde há exposição da mucosa.
  • PVPI tintura (Álcool + Iodo) é utilizado na confecção de curativos secos, onde não há exposição da mucosa. Pode ser utilizado em curativos úmidos, porém devido a sua composição (Álcool) pode haver desconforto do acidentado por causa do ardor.
OBS: O Iodo é utilizado em procedimentos de antissepsia devido ao seu forte poder bactericida. Medicamentos e substâncias como Mercúrio têm pouco poder antissépticos, mas favorecem o secamento da ferida.

ASSEPSIA: É a conservação da antissepsia. Por exemplo: O socorrista deve pôr as luvas após sua limpeza.

Técnica Geral da confecção de um curativo:
1º : Olha o ferimento
2º : Cortar roupa onde tem sangue
3º : Faz o curativo

  • Lavar o ferimento com soro fisiológico
  • Lavar o local ao redor do ferimento com PVPI Degermante
  • Aplicar Água Oxigenada (Só nos dois primeiros curativos, pois quebra as pontes de fibrina)
  • Aplicar PVPI Tópico no ferimento
  • Fixar a gaze que deve estar umidificada com pomada ou creme ou vaselina
· CUIDADOS ESPECIAIS

  • Curativos Úmidos: Deve ser feita a troca a cada 24 horas
  • Curativos secos: Deve ser trocado no máximo a cada 7 dias.
  • OBS: Ambos os curativos devem ser trocados caso sejam molhados. Sempre que for colocar, observar a direção do corte, pois o esparadrapo deve ser colocado de tal maneira que não provoque, em sua retirada, abertura do ferimento.
· CURATIVOS ESPECIAIS

  • MIÍASE: Larva de mosca (qualquer espécie). Esta penetra em qualquer orifício e se alimentam de material orgânico. O indivíduo irá sentir no local dor e incômodo. O tratamento é feito com aplicação de éter. As larvas não irão morrer, porém sairão para a cavidade onde devem ser retiradas com pinça. Tem que retirar todas para que não retorne a proliferar-se.
  • PSEUDOMONA: É uma bactéria anaeróbica facultativa. Forma uma ferida com coloração amarelo-esverdeado e com odor desagradável característico. Geralmente é proveniente de infecção hospitalar. A bactéria se instala em ferimentos. O tratamento é feito colocando-se duas colheres de chá de Permanganato de Potássio em 5 Litros de água. Em farmácias, já existem pastilhas de KMnO4 com a concentração e a razão de pastilhas por Litro de água. O ferimento deve ser lavado de 2 a 3 vezes por dia com esta solução.
  • QUEIMADURAS: Existem queimaduras de 1º, 2º e 3º grau.
    • 1º grau: Hiperemia e ardor. Basta apenas lavar com água fria, passar Hidratante, Caladril, etc.
    • 2º grau: Flictenas, dor. Administração via oral de líquidos. O curativo deve ser úmido (Furacinado). Aplicação de pomadas ou cremes. Caso tenha em mãos todo material antisséptico, estourar as flictenas (o líquido não é contaminado, é oriundo do próprio organismo)
    • 3º grau: Indolor, comprometimento de vasos, nervos, músculos. Não retirar objetos que estiverem grudados. Lavar queimadura com água. Encaminhar imediatamente para Hospital.
    • OBS: É importante lembrar que em queimaduras nas mãos fazer o curativo isolando-se os dedos uns dos outros para evitar sinéquia (2º e 3º grau).
  • Ponto falso: Quando o ferimento é pequeno e as bordas são juntas por esparadrapo que serve de apoio.
  • MORDEDURA DE CÃES: Deve-se em primeiro lugar, fazer antissepsia do ferimento. Se houver suspeita de raiva, não fazer curativo e realizar a profilaxia anti-rábica (soro e vacina) e anti-tetânica.
    Caso não saiba se o animal é vacinado, deve-se prender o animal e observá-lo durante 10 dias. Se apresentar sialorréia, hidrofobia e mudança no latido, confirmada a contaminação pelo vírus. Fazer a profilaxia anti-rábica.


ATADURAS

- Conceito:

É uma faixa de gaze que serve para manter fixo um curativo. São utilizadas onde existe dificuldade na fixação de um curativo, como articulações. Também auxilia na hemostasia e estabilização de locais com possíveis fraturas, entorses, contusões, etc..

- Locais e curativos mais frequentes:

  • Mão
  • Coto de amputação
  • Cotovelo (Em oito e em calha)
  • Ombro (Clavícula, escápula): Velpeau
  • Cabeça
  • Perna

« Primeiros Socorros

1