Textos Selecionados do Jornal Sexto Sentido n

 

Textos Selecionados do Jornal Sexto Sentido n º 2

O site original é  http://www.e-net.com.br/hp/index2.html

AS NOVAS CIÊNCIAS DO SÉCULO XXI

Sempre que ouvíamos falar em meditação
associávamos logo com igrejas, monges e religiões orientais. A meditação, para
nós ocidentais, tomou uma conotação errada. Parecia uma coisa muito séria, sombria, triste.
Agora, sábios orientais, tais como, Osho e Krishnamurti, utilizando as
facilidades de comunicação dos ocidentais, estão revelando as verdadeiras
potencialidades da meditação: Uma ciência do interior do ser humano. Uma ciência
capaz de transformar o homem num ser feliz e amoroso, elevando sua consciência e
revelando o que ele realmente é.
Estes sábios prestaram um serviço inestimável a humanidade. Eles revelaram quão
frágil é nossa estrutura social, como são falsas nossas crenças religiosas, como
são fúteis as nossas tradições. A meditação não é um meio de fugir do mundo, não
é um meio de escapar da vida, como alguns apregoam. Mas um regresso à nossa
natureza verdadeira. O papel de conduzir o ser humano à felicidade sempre
esteve reservado as nossas religiões, as nossas igrejas, com seus papas, bispos
e pastores, que, neste sentido, fracassaram totalmente. As nossas religiões
fracassaram porque estão baseadas em ficções. Eles fizeram de tudo para que o
homem não encontrasse o caminho da felicidade. Eles inventaram deuses e criaram
normas de conduta incompatíveis com a natureza humana. Para assim tornar o homem
infeliz, com o objetivo de explorá-lo. A sociedade quer que você seja como um
robô, porque um robô é mais útil, produz muito mais. Eles não querem que você se
conheça. É muito perigoso. Um homem que conhece a si mesmo está destinado a ser   rebelde.
Como explorar um homem feliz, destemido? O autoconhecimento é a maior das
rebeldias. O homem que encontrou o seu próprio ser, na sua nudez total, quando
ele se vê como Deus o vê; tal homem é um perigo para tudo que é falso.
A meditação e o autoconhecimento, as novas ciências do próximo século,
prometem reconduzir a humanidade ao jardim do Eden, ao paraíso perdido que é o
nosso interior. Não há outro meio, não existe outra maneira. Agora, o caminho
está indicado, a trilha sinalizada, as portas do céu abertas. Este é o nosso
maior desafio. Só depende de nós.
* * *

A U T O C O N H E C I M E N T O

A LIBERTAÇÃO PELO AUTOCONHECIMENTO.

Nunca o homem teve tanta necessidade de voltar
os olhos para dentro de si mesmo, como nos tempos atuais. O autoconhecimento
torna-se uma necessidade premente através de uma educação racional nas escolas,
como único meio de prevenção, de extermínio das agressividades humanas. Parece
inacreditável que até hoje, o homem, apesar do extraordinário avanço científico,
notadamente das ciências psicológicas, ainda não teve a coragem de descer aos
subterrâneos da mente, para de lá extirpar o quisto da perversão, da
intolerância que o domina há milênios, a fim de ser menos parcial no julgamento
de seus semelhantes e mais honesto em suas decisões. O péssimo exemplo das
guerras de nada serviu, até agora, para melhorar o seu carater. O homem continua
ambicioso, violento, e desrespeitador dos direitos alheios. Entretanto, o
autoconhecimento nos dá essa libertação. Faz-nos compreender, com clareza, todas
as nossas idiossincrasias, nossas amarguras, soterradas nos porões do
inconsciente. Quem é verdadeiramente conhecedor de si mesmo e sabe fazer a
própria radiografia psíquica, será melhor julgador das atitudes humanas.

É HORA DE ACORDAR !

Pelo menos em um ponto, as religiões, os sábios da antiguidade e
os psicólogos atuais concordam: o homem está em um tipo singular de sono
psíquico. O homem existe como que dormindo. Toda sua vida se constitue em um
pesadelo, que ele supoe ser a realidade. Uma das suas pílulas suporíferas mais
usadas é a suposição de que ele não se encontra adormecido, de que é um ser
humano perfeitamente consciente. A despeito dos desastres repetidos, ele
persiste em dizer que está desperto. Atravessa a vida como sonâmbulo, dando
trombadas aqui e alí, sem contudo, despertar. O homem não pode sair deste sono
por si mesmo, porque a mente é capaz até mesmo de sonhar que está acordada. A
noite ficamos fechados para o mundo exterior, sonhando por dentro. Durante o dia
nossos sentidos estão abertos para o mundo exterior, mas o sonho continua por
dentro. Porisso é que nunca estamos vendo o real, as coisas como elas são. Nunca
vemos "o que é"; vemos apenas nossos próprios sonhos projetados no que é. Mas o
despertar é possivel. Pode-se começar percebendo o próprio sono, tornando-se
cada vez mais consciente dos próprios processos mentais, porque o sono está na
mente. O sono é a mente. O despertar é possivel através do autoconhecimento.
Assim, o estar alerta, nas questões externas, não possui ligação alguma
com o despertar psíquico. São níveis de percepção diferentes. Esta é a
explicação porque um gênio na política, na ciência ou no mundo dos negócios,
pode ser criatura inteiramente sem rumo na vida particular. Basta observarmos as
pessoas nas ruas, nos lugares públicos, para constatarmos que elas andam, falam,
comem, trabalham, casam-se, e de modo geral, passam suas vidas em estado de
desatenção quase total, comandadas por hábitos e atividades mecânicas. O
despertar é a experiência mais elevada pela qual pode passar um ser humano.
* * *

M E D I T A Ç Ã O

ONDE ENCONTRAR DEUS

Existem pessoas que dizem que amam a humanidade,
mas que nunca amaram um ser humano. A humanidade é uma abstração. Onde encontrar
a humanidade? Como abraçar ou beijar a humanidade? A humanidade não existe em
nenhum lugar; só existem seres humanos. A humanidade é uma idéia que só existe
na mente dos filósofos, uma idéia muito ardilosa: você pode matar seres humanos
em nome da humanidade. Foi o que fizeram Hitler, Stálin, Mao e muitos outros políticos do mundo.
O mesmo pode se dizer da floresta. A floresta não existe, o que existe é a
árvore. Se você começar a procurar a floresta e ignorar a árvore, nunca
encontrará a floresta. Talvez seja porisso que muitas pessoas procuram por Deus
e nunca o encontram; estão procurando uma abstração. Deus é como a floresta:
você encontrará uma árvore, uma rocha, um homem, um animal, uma estrela, mas não
encontrará Deus em lugar algum. Deus é o nome da totalidade. Ele existe nessas
coisas particulares. Ele existe na árvore, na pedra, no animal, no homem. Onde
houver vida, onde houver consciência, há Deus. Ame a árvore, ame o homem e você encontrará Deus.
* * *

MATÉRIA & ENERGIA

CORPO / MENTE / CONSCIÊNCIA / Deus

A maior descoberta da física moderna é que matéria é energia.
Matéria e energia são equivalentes;( E = MC2 ) a fórmula de Einstein
demonstrando que a diferença entre matéria e energia é apenas aparente foi a
maior contribuição da física a humanidade. Não existe nada sólido. Até uma rocha
é energia pulsante. Uma rocha é tanto energia quanto um oceano borbulhante. As
ondas que se levantam da rocha sólida não são vizíveis porque são muito sutís,
mas a rocha está pulsando, respirando, trocando energia com o meio que a
circunda. Este "insight" de que a matéria é também energia aproximou a física do
misticismo oriental. A ciência e o misticismo agora caminham de mãos dadas, pelo
menos no que se refere ao estudo da matéria e da energia. Os cientistas estão
afirmando que a matéria é mais um pensamento do que uma coisa.
A existência é energia. Tanto o observador quanto o objeto sob observação
são energia. O observador e o objeto observado são um e a mesma coisa. A mesma
energia dá existência a ambos. Nosso corpo é energia. Nossa mente é energia.
Nossa consciência é energia. Então, qual a diferença entre os três? A diferença
é apenas de ritmo, de vibração, diferentes comprimentos de ondas. Mas isto é
tudo. O corpo é energia funcionando em estado bruto; em um comprimento de onda
que o torna visível. A mente é mais sutíl, mas não tão sutíl, porque podemos
fechar os olhos e ver nossos próprios pensamentos movendo-se. Nossos corpos são
visíveis a todos, mas só a própria pessoa pode ver seus pensamentos. No último
nível de sutileza está a consciência, que é invisível a todos. A consciência não
pode ser reduzida a um objeto. Permanece subjetiva.
Quando estas três energias funcionam em harmonia, como um todo,
nos sentimos íntegros e saudáveis. Quando estão em desarmonia, nos sentimos
doentes, fragmentados. O corpo não é uma energia pura, está misturada. A mente
também não é uma energia totalmente pura, quando está limitada, condicionada.
Mas a consciência é uma energia totalmente pura. Mas só podemos conhecer esta
consciência, se fizermos destes três um só, um cosmos e não um caos. Quando os
três estão funcionando em harmonia, a alegria é infinita. A vida revela-se uma
dança, um ritmo. A consciência é a forma mais alta de energia. Quando corpo -
mente - consciência estão em harmonia, surge o quarto elemento. No oriente este
quarto elemento não tem nome, é simplesmente chamado de"o quarto"(turiya). Mas
podemos, se quisermos, chamar este quarto elemento de Deus. Quando corpo - mente
- consciência estão em completa harmonia; Deus é. Deus é quando nós não somos um
caos, um conflito, uma desunião. Quando somos uma casa dividida, não há Deus.
Deus não é uma pessoa em algum lugar. Ele é uma totalidade. Quando somos felizes
com o que somos e todas as nossas energias estão dançando conjuntamente, como
uma orquestra, Deus é. Nosso " eu ", nosso " ego ", desaparece. Este sentimento
de total unidade, é o que Deus é. Não é uma questão de teologia, isto não pode
ser decidido pela argumentação, pela lógica. Nós temos que sentir a dança do
nosso corpo - mente - consciência. Temos que aprender a "tocar" estas três
energias a fim de que elas se tornem uma orquestra. Uma harmonia. Então, Deus se
fará presente. Seremos um com Deus.
* * *

A AUTO-CONSCIÊNCIA É A META

O propósito da existência é fazer-nos conscientes.
A própria evolução da vida, em si mesma, é tornar-se cada vez mais consciente. O
ser humano foi o veículo escolhido, talhado, para que a existência possa
tornar-se consciente. Dentre todos os seres e coisas existentes, o homem foi o
escolhido para tornar-se consciente de si mesmo. Pela evolução da consciência, a
existência vai se renovando a si mesma.
A menos que você conheça a verdade de seu ser, você
nunca sentirá a imensa benção da vida. Você nunca será capaz de transbordar de
contentamento apenas pelo simples fato de existir. Se você não puder
experienciar a verdade, você não será capaz de se conectar com este vasto cosmo
- que é seu lar. Ele o trouxe ao mundo e tem sobre você a tremenda expectativa
de que você crescerá até o ápice de sua consciência, porque através de você a
existência pode tornar-se consciente. Não há outra maneira.
* * *

TANTRA: SEXO E ESPIRITUALIDADE

"ESTA É A MAIS REFINADA CONTRIBUIÇÃO NO CAMPO DA SEXUALIDADE HUMANA. AO
DESPEDAÇAR NOSSAS NOÇÕES PRECONCEBIDAS,OSHO MOSTRA QUE O PRÓPRIO ATO DO AMOR É
UMA CHAVE PARA O DIVINO. FREUD ABRIU PARA ESTUDO O MUNDO DA PATOLOGIA SEXUAL.
MARSTER E JOHNSON O MUNDO DO COMPORTAMENTO SEXUAL NORMAL
E AGORA, OSHO NOS TRÁS O CAMINHO DO TANTRA, ONDE O PRÓPRIO SEXO PODE SE TORNAR
UMA PORTA PARA A EXPERIÊNCIA RELIGIOSA MAIS PROFUNDA".
Leonard M. Zunin (psiquiatra e escritor)

O AMOR TÂNTRICO

O SEXO COMO TRAMPOLIM PARA A ESPIRITUALIDADE

Os dias do Tantra estão chegando.
Mais cedo ou mais tarde o Tantra vai explodir nas massas pois, pela primeira
vez, o tempo está oportuno para encarar o sexo naturalmente. Posssivelmente esta
explosão virá do ocidente, pois Freud, Jung e Reich concluiram que a doença
humana básica está em algum lugar ao redor do sexo. A insanidade básica do ser
humano é orientada pelo sexo. Eles prepararam o terreno, sem o saber, eles
criaram o terreno básico para o tantra se desenvolver. O sexo é energia vital.
Não lute com ela; ao invés disso, transforme-a.
Primeira coisa: antes de fazer amor, medite.
Nunca faça amor sem meditar, do contrario o amor irá permanecer sexual. Eleve
seu estado de consciência antes do encontro com seu par. Durante pelo menos
quarenta minutos, sente-se olhando para a parede com uma luz suave no ambiente
que dê um clima de mistério. Sentem-se silenciosamente e não movam o corpo,
permaneçam como uma estátua. Entáo, quando vocês fizerem amor, liberem os movi-
mentos ao extremo para que o orgasmo tântrico se torne possivel. Se quiserem
podem ouvir música...música clássica funcionará; alguma coisa que dê um ritmo
muito sutil ao corpo. Torne a respiração tão lenta quanto possivel porque,
quando você faz amor, a respiração se torna rápida e profunda. Então, apenas
continue diminuindo o ritmo, sem forçar, simplesmente sugira que ele diminua.
Meditem juntos e quando se sentirem meditativos, este é o momento de amar. Vocês
não sentirão nenhuma tensão e a energia estará fluindo. Se vocês não estiverem
se sentindo meditativos, então não é uma boa hora para o amor.
A segunda coisa é: antes de começar a fazer amor venere o
parceiro e deixe o seu parceiro lhe venerar. Fiquem de frente um para o outro,
nús, e venerem um ao outro. Toque o pé um do outro, coloque guirlandas de
flores. Venere porque o tantra não pode acontecer entre um homem e uma mulher. O
orgasmo tântrico só pode acontecer entre um deus e uma deusa. Toda atitude tem
que se tornar sublime de forma que os egos desapareçam. Agora sua humanidade é
irrelevante, sua forma é irrelevante, seu nome é irrelevante; você é apenas pura
energia. O venerar traz esta energia para o foco. E não finja! O venerar tem que
ser verdadeiro. Então deixem que o seu fazer amor se torne mais um acontecer do
que fazer. Movam-se vagarosamente, toquem o corpo um do outro, brinquem com o
corpo um do outro. O corpo é como um instrumento musical. Não fique com pressa.
Deixe as coisas crescerem, movam-se vagarosamente, de repente ambas as suas
energias irão subir juntas, como se alguma coisa os tivessem possuído. Apenas
sintam a energia descer sobre vocês e deixem esta energia ter o seu próprio
movimento. Deixem as energias se encontrarem em seus próprios caminhos.
"A EJACULAÇÃO É UM DESPERDÍCIO DE ENERGIA"
Torne-se o amor ! Ao acariciar o ser amado, torne-se a carícia.
Quando beijar não seja aquele que beija ou que é beijado; seja o beijo!
esqueça-se completamente do ego, dissolva-o no ato. Penetre tão profundamente no
ato a ponto do ator não estar mais presente. Esqueça tão completamente de você
mesmo a ponto de poder dizer: "eu não existo mais; somente o amor existe". Então
o coração não estará palpitando, mas o amor estará; então o sangue não estará
circulando, mas o amor estará, então as mãos não estarão se movendo para tocar,
mas o amor estará. Torne-se o amor e entre na vida eterna. O amor de repente
muda a sua dimensão; você é lançado para fora do tempo e se defronta com a
eternidade. O amor pode se tornar uma meditação profunda. E, algumas vezes, os
que amam, conhecem o que os santos não conheceram. Os que amam tocaram aquele
centro que muitos iogues não alcançaram. Mas, a menos que você transforme seu
amor em meditação, será apenas um vislumbre. O Tantra significa isto:
transformação do amor em meditação. Agora você pode entender porque o tantra
fala tanto sobre o amor e o sexo. O sexo pode se tornar amor, e se ele nunca se
tornar amor, então ele estará aleijado. Condene o aleijamento, e não o sexo.O
amor deve florescer; o sexo deve se tornar amor. Se isso não acontecer, não será
falha do sexo, mas sua falha.
O amor é a porta mais natural a partir da qual você pode
transcender este mundo, esta dimensão horizontal. No momento do amor não existem
regras, regulamentos. Move-se apenas no impulso do momento. Nada é tabu, nada é
inibido. Seja lá o que for que aconteça naquele momento é bonito e sagrado;
incondicionalmente, ninguém sabe o que irá acontecer. Vocês simplesmente são
jogados no vórtex divino. Vocês apenas se tornam veiculos. Ele os levará para
aonde quiser. Deixem as energias se encontrarem nos seus próprios caminhos;
apenas pura energia. Vocês não estarão fazendo amor apenas através de seus
orgãos genitais; vocês estarão fazendo amor através de todo o corpo. Se vocês
meditam antes e veneram um ao outro, não existe perigo; tudo se moverá
corretamente. Vocês atingirão um pico de orgasmo que jamais conheceram. Um
orgasmo muito grande no qual todo o corpo vibra e pulsa. Isto limpará todo o seu
ser, todo o sistema. Às vezes, a ejaculação pode não acontecer, mas existirá o
orgasmo. A ejaculação não é o orgasmo masculino, mas um descarrego da tensão, um
desperdício de energia( exceto para fins de procriação). A ejaculação pode
acontecer junto com o orgasmo. No chamado orgasmo de pico, o homem terá uma
ejaculação e a mulher também terá uma ejaculação de algumas energias sutís. No
chamado orgasmo de vale, vocês não terão nenhuma ejaculação. Será um orgasmo
passivo... muito silencioso. Muito sutil. No orgasmo de pico vocês se sentirão
muito extasiados. No orgasmo de vale, vocês se sentirão muito em paz. E ambos
são necessários, ambos são aspectos do tantra. E quando isto acontecer e ambos
atingirem um profundo orgasmo, não saia para fora dela. Depois do orgasmo,
permaneça dentro dela e descansem por alguns momentos. Muita coisa acontece
depois de um orgasmo... o fundir-se, o derreter-se. Os corpos estão cansados,
exaustos. Quando vocês sairem de seu estado de amor, novamente orem juntos;
terminem com uma oração. Apenas agradeçam a Deus. E nunca reclamem. Não diga,
"isto não aconteceu ou isto não deveria ter acontecido." Apenas agradeça pelo
que aconteceu. Inclinem-se e coloquem suas testas no chão e permaneçam assim por
uns momentos com profunda gratidão. A meditação é solitária. Na veneração, o
outro é importante e na oração, ambos oram para Deus. Estas três coisas tem que
estar envolvidas. Elas irão criar a ecologia na qual o tantra acontece. E uma
vez por semana será suficiente. Se você estiver se movendo no tantra, então
nenhum outro amor deve ser permitido, do contrario ele dissipa a energia. Sempre
que quiserem fazer amor tenham certeza de que terão tempo suficiente. Não deve
ser com pressa. Não deve ser como trabalho; é um jogo, uma brincadeira, e estas
energias são tão sutís que se vocês estiverem com pressa, nada acontece. O
tantra não é um fragmento. Você não pode praticá-lo a menos que crie a situação.
Ele é como uma flor...então estas três coisas são: jogar a semente, cuidar da
planta, regá-la e estar continuamente atento a ela, sendo cuidadoso. Então, um
dia, de repente - a flor do tantra. Irá acontecer.
* * *

Veja o Jornal Sexto Sentido completo em  http://www.e-net.com.br/hp/index2.html