A Roda Gira Livremente

A Roda Gira Livremente
O Ciclo de Sete Anos

Amado Bhagwan,
Qual é a maneira correta de auxiliar o crescimento de uma criança ?

      Você terá que entender alguns importantes padrões de crescimento. Existem ciclos de sete anos na vida, ela se move em círculos de sete anos da mesma forma que a terra completa uma rotação em tomo de seu eixo em vinte e quatro horas. Ninguém sabe porque não são vinte e cinco horas, ou vinte e três. Não existe maneira de responder; este é simplesmente um fato.

      A terra leva trezentos sessenta e cinco dias para fazer uma volta em torno do sol. Por que trezentos sessenta e cinco ? Ninguém sabe, ninguém precisa saber. Não faz qualquer diferença. Se ela levasse quatrocentos dias, que diferença faria para você ?... ou trezentos dias. A questão teria permanecido a mesma: por quê?

      Portanto, lembre uma coisa: qualquer pergunta que, com toda e qualquer resposta permanece a mesma, é absurda, A terra completa uma rotação em tomo de seu eixo em vinte e quatro horas. Por quê? Faça-as vinte e cinco, faça-as vinte e seis, trinta, sessenta - tantas quantas quiser - a pergunta ainda se imantém a mesma: por quê? Portanto, eu considero a pergunta absurda; ela sempre permanecerá a mesma.

      Assim, não me pergunte por que a vida se move em ciclos de sete anos. Eu não sei. Tudo o que sei é que ela se move em ciclos de sete anos. E se você puder entender esses ciclos de sete anos, você entenderá muitas coisas sobre o crescimento humano.

      Os primeiros sete anos são os mais importantes porque os alicerces da vida estão sendo assentados. É por isso que todas as religiões estão muito preocupadas em se apoderarem das crianças o mais rápido possível.

      Os judeus circuncidam a criança. Que absurdo! Mas eles estão marcando a criança como judia; essa é uma forma primitiva de marcar. Você ainda faz isso com o gado por aqui; eu vi as marcas. Todo proprietário marca o gado para poder identificá-lo.

      É uma coisa cruel. Usa-se ferro em brasa para marcar o couro, a pele do gado; a pele é queimada. Mas então ele se toma sua propriedade; não pode ser perdido, não pode ser roubado.

      O que é a circuncisão? É marcar gado. Mas esse gado é judeu.

      Os hindus têm suas próprias maneiras. Todas as religiões têm suas próprias maneiras. Mas deve ficar claro a que manada você pertence, quem é o seu pastor - Jesus, Moisés, Maomé? Você não é senhor de si mesmo.

      Esses sete primeiros anos são os anos em que você é condicionado, abarrotado com todo tipo de idéias que o perseguirão por toda a sua vida, que o distrairão continuamente de sua própria potencialidade, que irão corrompê-lo, que jamais permitirão que você veja claramente. Essas idéias virão sempre como nuvens diante de seus olhos, elas tomarão tudo confuso.

      As coisas são claras, muito claras - a existência é absolutamente clara - mas seus olhos têm camadas e camadas de poeira.

      E toda essa poeira foi acumulada nos seus primeiros sete anos de vida, quando você era tão inocente, tão confiante, que qualquer coisa que lhe fosse dita, você aceitava como verdade. E tudo aquilo que penetrou nos seus alicerces, será muito difícil de ser encontrado por você mais tarde; isso tomou-se praticamente parte de seu sangue, de seus ossos, de seu próprio âmago. Você fará milhares de outras perguntas, mas você nunca perguntará a respeito dos fundamentos básicos de sua crença.

      A primeira expressão de amor para com a criança é deixar os seus primeiros sete anos absolutamente inocentes, sem condicionamentos, é deixá-la, por sete anos, completamente selvagem, um pagão.

      Ela não deveria ser convertida ao hinduísmo, ao islamismo, ao cristianismo. Todo aquele que esteja procurando converter a criança, não é compassivo, mas cruel: ele está contaminando a própria alma de um recém-chegado. Antes mesmo que a criança tenha feito perguntas foram-lhe dadas respostas, vindas de filosofias, dogmas e ideologias já prontas. Esta é uma situação muito estranha. A criança não fez perguntas sobre Deus, mas você continua ensinando-a sobre Deus. Por que tanta impaciência? Espere!

      Se, algum dia, a criança mostra interesse em Deus e começa a fazer perguntas, então tente não expor a ela apenas a sua idéia de Deus - porque ninguém tem monopólio algum; apresente-lhe todas as idéias de Deus que foram propostas à diferentes pessoas, em diferentes épocas, por diferentes religiões, culturas, civilizações.

      Ponha diante dela todas as concepções a respeito de Deus, e diga a ela: "Você pode escolher dentre essas, aquela que mais o atrair. Ou você pode inventar a sua própria, se nenhuma lhe servir. Se todas idéias parecem ter uma falha, se você acha que pode ter uma idéia melhor, então invente a sua própria. Ou se você achar que não há maneira de inventar uma idéia sem lacunas, então abandone a coisa toda; ela não é necessária. Um homem pode viver sem Deus; não há necessidade intrínseca."

      "Milhões de pessoas viveram sem terem um Deus. Deus não é algo que você inevitavelmente necessite. Sim, eu tenho minha própria idéia, -que também é uma das combinações possíveis de todas as concepções dessa coleção. Você pode escolhê-la, mas eu não estou dizendo que a minha idéia seja a certa. Ela me atrai; ela pode não atrair você."

      Não existe nenhuma necessidade intrínseca de que o filho deva concordar com o pai. Na verdade, parece ser muito melhor que ele não concorde. É assim que a evolução acontece. Se todo o filho concordar com o pai, não haverá evolução, porque o pai concordará com seu respectivo pai, e todos estaremos onde Deus deixou Adão e Eva: nus, diante do portão do jardim do Éden. Todos estaremos lá.

      O homem evoluiu porque os filhos discordaram dos pais, dos avós, de toda sua tradição.

      Toda essa evolução é uma tremenda discordância para com o passado. Quanto mais inteligente você for, mais você irá discordar. Mas os pais apreciam o filho que concorda; eles condenam o filho que discorda.

      Até os sete anos, se uma criança puder ser deixada inocente, sem ser corrompida pelas idéias dos outros, então se toma impossível perturbá-la no seu crescimento potencial. Os primeiros sete anos da criança são os mais vulneráveis. E elas estão nas mãos dos pais, professores, sacerdotes... Como salvar as crianças dos pais, sacerdotes, professores é uma questão de enormes proporções, a tal ponto que parece praticamente impossível descobrir como fazê-lo.

      Não é uma questão de ajudar a criança, a questão é protegê-la. Se você tem uma criança, proteja-a de você mesmo. Proteja a criança daqueles que possam influenciá-la, pelo menos até os sete anos, proteja-a.

      A criança é exatamente como uma pequena planta, frágil, suave: até mesmo um vento forte pode destruí-la, qualquer animal pode comê-la. Você cerca a planta com uma tela de proteção, e você não está aprisionando, está simplesmente protegendo. Quando a planta estiver maior, a tela será removida.

      Proteja a criança de todo tipo de influência, para que ela possa permanecer ela mesma - e é apenas uma questão de sete anos, porque então o primeiro ciclo estará completo. Ao final de sete anos ela estará preparada, centrada, suficientemente forte.

      Você não sabe quão forte uma criança de sete anos pode ser porque nunca viu crianças não-corrompidas, você viu somente crianças corrompidas. Elas carregam os medos, a covardia de seus pais, de suas mães, de suas famílias. Elas não são elas mesmas.

      Se por sete anos uma criança permanecesse sem ser corrompida... Você ficará surpreso ao encontrar uma criança assim. Ela será afiada como uma espada. Seus olhos serão claros, seu "insigh" será claro. E você poderá ver uma força tremenda nela, uma força que você não encontrará nem mesmo em um homem de setenta anos, porque seus alicerces não são firmes. Assim, na medida em que a construção vai se tomando mais e mais alta. vai ficando mais e mais instável.

      Se você for um pai, uma mãe, você precisará de coragem suficiente para não interferir. Abra as portas de dimensões desconhecidas para a criança, para que ela possa explorar. Ela não sabe o que tem dentro de si; ninguém sabe.

      Ela tem que ir tateando no escuro. Não a faça ter medo do escuro, não a faça ter medo do fracasso, não a faça ter medo do desconhecido. Dê apoio à criança. Quando ela estiver partindo numa jornada para o desconhecido, despeça-se dela com todo seu apoio, todo seu amor, com todas suas bênçãos.

      Não a deixe ser afetada pelos seus medos.

      Você pode ter seus medos, mas mantenha-os para si. Não descarregue esses medos na criança porque isso será uma interferência.

      Após sete anos, o segundo ciclo, dos sete aos quatorze, é um novo acréscimo à vida: o primeiro despertar das energias sexuais da criança. Mas elas ainda são apenas um ensaio.

      Ser um pai ou uma mãe é uma tarefa difícil, e a menos que você esteja pronto para assumir essa difícil tarefa, não tenha filhos. As pessoas simplesmente vão se tomando pais e mães sem saberem o que estão fazendo. Você está trazendo uma vida à existência; todo cuidado do mundo será necessário.

      Ora, quando a criança começa a brincar em jogos sexuais, os pais interferem ao máximo, porque foi nesse período que eles sofreram a maior interferência. A única coisa que eles conhecem é aquilo que lhes foi feito, assim eles simplesmente continuam fazendo o mesmo com seus filhos.

      As sociedades não permitem ensaios sexuais, pelo menos não permitiram até este século - apenas nas últimas duas ou três décadas, e somente nos países muito avançados. Agora as crianças têm colégios mistos. Mas em um país como a India, mesmo hoje, a educação mista começa somente a nível universitário.

      O menino e a menina de sete anos não podem estar no mesmo internato. E esse seria o momento certo para eles - sem nenhum risco, sem que a menina possa engravidar, sem nenhum problema surgindo para suas famílias - esse é o período em que todas as brincadeiras devem ser permitidas.

      Sim, as brincadeiras terão um aspecto sexual, mas trata-se apenas de um ensaio; esse não é o verdadeiro drama. E se você nem ao menos lhes permite ensaiar, então, um dia, repentinamente, abrem-se as cortinas e o verdadeiro drama começa... E elas não sabem o que está se passando; nem mesmo um auxiliar de cena estará lá para lhes dizer o que fazer. Você bagunçou completamente a vida delas.

      Estes sete anos, o segundo ciclo da vida, são importantes como ensaio. As crianças irão encontrar-se, misturar-se, brincar, conhecer umas às outras. E isso ajudará a humanidade a abandonar quase noventa por cento das perversões.

      Se permitirmos que as crianças de sete a quatorze anos estejam juntas, nadem juntas, fiquem nuas, umas diante das outras, noventa por cento das perversões e noventa por cento da pornografia simplesmente desaparecerão. Quem vai se importar com isso?

      Quando um menino conheceu tantas meninas nuas, que interesse ele pode ter numa revista como a "Playboy"? Quando uma menina viu tantos meninos nus, eu não creio que haja qualquer possibilidade dela ser curiosa a respeito do outro sexo; a curiosidade simplesmente desaparecerá. Eles crescerão juntos naturalmente, e não como duas espécies diferentes de animais.

      Atualmente, é assim que as crianças crescem: como duas espécies animais diferentes. Elas não pertencem a uma espécie humana; elas são mantidas separadas. Mil e uma barreiras são criadas entre elas, para que não possam ter ensaios da vida sexual que está por vir.

      Mas a maneira pela qual criamos as crianças, está praticamente massacrando toda a vida delas. Aqueles sete anos de ensaios sexuais são absolutamente essenciais. Meninos e meninas deveriam ficar juntos, em escolas, em albergues, em piscinas, na cama. Elas deveriam ensaiar para a vida que está por vir; elas precisam se preparar. E não há qualquer perigo, não há qualquer problema, se a uma criança for dada total liberdade na sua crescente energia sexual, sem que ela seja condenada, reprimida - e é isso que está sendo feito.

      É muito estranho o mundo em que você está vivendo. Você nasceu do sexo, você viverá para o sexo, seus filhos nascerão a partir do sexo - e o sexo é a coisa mais condenada, o maior dos pecados. E todas as religiões continuam enfiando esse lixo na sua mente.

      Por todo mundo, as pessoas estão cheias de toda a podridão que você possa imaginar, simplesmente porque não lhes foi permitido crescer de uma maneira natural. Não lhes foi permitido aceitarem a si mesmas. Todas elas se tomaram fantasmas. Elas não são pessoas reais, autênticas, são apenas sombras do que poderiam ter sido, elas são apenas sombras.

      O segundo ciclo de sete anos é imensamente importante, porque ele o preparará para os sete anos seguintes. Se você fez a lição de casa corretamente, se você brincou com sua energia sexual com um espírito esportivo - e naquele período esse era o espírito que você tinha - você não vai se tomar um pervertido, um homossexual.

      Todo tipo de coisas estranhas não virá à sua mente porque você está se relacionando naturalmente com o outro sexo, o outro sexo está se relacionando com você; não existe qualquer impedimento, você não está fazendo nada de errado com ninguém. A sua consciência está clara porque ninguém pôs na sua consciência idéias sobre o que está certo e o que está errado: você está sendo simplesmente tudo aquilo que você é.

      Então, dos quatorze aos vinte e um anos, o seu sexo amadurece. E é importante entender isso. se o ensaio tiver ido bem, nos sete anos em que o seu sexo amadurece, acontece uma coisa muito especial, algo sobre o qual você jamais pensou porque não lhe deram a chance de fazê-lo. Eu lhe disse que no segundo ciclo. dos sete aos quatorze, você tem um vislumbre do "foreplay"* .0 terceiro ciclo lhe dá um vislumbre do "afterplay" *. Você ainda está junto com meninos ou meninas, mas agora uma nova fase se inicia no seu ser: você começa a se apaixonar.

The Rajneesh Bible, Vol. 5 - sessão 3
2 de março de 1985

Do original: "The New Child"   -   Editora Boschini
Edição em português: "A Nova Criança"  -  Editora Gente.

Os direitos autorais são de propriedade de: Osho International Foundation

O livro "A Nova Criança" pode ser adquirido nas melhores livrarias do gênero, pelo url  www.mandic.com.br/gentedit ,  e-mail:    gentedit@mandic.com.br ou através do Instituto Osho Brasil - e-mail: champak@tba.com.br