Quem está Gozando

Quem está Gozando
de Quem ?

Amado Bhagwan,
Como posso ser um bom pai?

      De acordo comigo, você só pode fazer uma coisa com seus filhos: partilhar sua própria vida. Diga-lhes que você foi condicionado pelos seus pais, que você viveu dentro de determinados limites, de acordo com certos ideais, e que por causa desses limites, desses ideais, você deixou de aproveitar a vida, completamente. E que você não quer destruir a vida de seus filhos. Você quer que eles sejam totalmente livres - livres de você, porque você representa todo o passado para eles.

      Um pai ou uma mãe precisam de muita coragem e de um imenso amor para poderem dizer aos filhos: "Vocês precisam ser livres de nós. Não nos obedeçam - baseiem-se em sua própria inteligência". Mesmo que tomem caminhos errados, ainda assim é muito melhor do que permanecer um escravo e estar sempre certo. É melhor cometer erros por si mesmo e aprender com eles, do que seguir os outros e não cometer erro algum, porque então você jamais aprende nada a não ser seguir os outros - e isso é veneno, puro veneno. Se você ama, isso se toma muito fácil.

      Não pergunte "corno", porque "como" significa que você está pedindo por um método, uma metodologia, uma técnica - e o amor não é uma técnica.

      Ame seus filhos, aprecie a liberdade deles. Deixe que cometam erros e ajude-os a ver onde cometeram o erro. Diga a eles: "Não é errado cometer enganos - cometa tantos quantos puder, porque dessa maneira você estará aprendendo mais. Mas não cometa o mesmo erro muitas vezes, porque isso o toma estúpido".

      Portanto, eu não lhe darei uma resposta simples. Você terá que encontrá-la, vivendo com seus filhos momento a momento, dando-lhes toda a liberdade possível nas mínimas coisas.

      Este deveria ser o princípio: os filhos deveriam ser ajudados a ouvir o próprio corpo, a sentir suas próprias necessidades. A função básica dos pais é proteger os filhos de caírem em um buraco. A função de sua disciplina é negativa. Lembre-se da palavra "negativa". Nenhum programar positivo, mas apenas um proteger negativo - porque crianças são crianças: elas podem meter-se em algo que irá machucá-las, aleijá-las. E nessas situações não lhes dê ordens, mas explique-lhes porque não devem ir. Não as obrigue a obedecerem, deixe que elas façam a sua escolha. Você simplesmente lhes explica toda a situação. As crianças são muito receptivas, e se você for respeitoso com elas, elas estarão prontas para escutar, para entender; e então deixe-as com seu próprio discernimento. E trata-se apenas de alguns anos, apenas do começo; breve elas estarão consolidadas em sua própria inteligência. E breve elas poderão caminhar por si mesmas, sua proteção já não será necessária.

      Eu posso entender o medo dos pais, o medo de que os filhos possam ir em uma direção da qual eles não gostam - mas isso é problema dos pais. Seus filhos não nascem para seu agrado ou desagrado.

      Eles têm que viver sua própria vida, e você deve alegrar-se com isso - qualquer que seja a vida deles.

      Toda vez que você segue o seu potencial você sempre se toma o melhor. Toda vez que você se desvia de seu potencial, você permanece medíocre.

      Toda a sociedade é composta por indivíduos medíocres pela simples razão de que ninguém é aquilo que estava destinado a ser, mas outra coisa qualquer. E por mais que o indivíduo tente, não poderá ser o melhor, não poderá se sentir realizado, não poderá se alegrar.

      Assim, a tarefa dos pais é muito delicada, é preciosa, porque a vida inteira da criança depende disso. Não dê qualquer programa positivo - ajude a criança de todas as formas que ela desejar.

      A função de um pai ou de uma mãe é tremenda, porque eles estão trazendo um novo hóspede a este mundo - alguém que nada sabe, mas que traz um certo potencial dentro de si. E a menos que esse potencial cresça, ele permanecerá infeliz. E nenhum pai quer que seus filhos permaneçam infelizes.

      Eles querem que os filhos sejam felizes, só que a sua maneira de pensar está errada. Eles pensam que se os filhos se tornarem médicos, professores, engenheiros, cientistas, os filhos serão felizes. Eles não sabem que os filhos só serão felizes ao se tomarem o que devem se tornar. Eles podem apenas desenvolver a semente que trazem dentro de si.

      Assim, ajude-os de todas as formas possíveis, dando-lhes liberdade, dando-lhes oportunidades. Normalmente, quando uma criança pede qualquer coisa à mãe, esta simplesmente responde "não", sem ao menos escutar o que a criança está pedindo. "Não" é uma palavra autoritária; "sim" não o é.

      Portanto, nem o pai, nem a mãe, nem qualquer outra pessoa que tenha autoridade, quer dizer "sim", mesmo nas questões mais banais. A criança quer brincar fora de casa: "Não!" A criança quer sair enquanto está chovendo, quer dançar na chuva: "Não! Você vai pegar um resfriado".

      Um resfriado não é um câncer: mas uma criança que foi impedida de dançar na chuva, e que nunca mais pôde dançar, deixou de fazer algo importante, algo realmente lindo. Um resfriado teria valido a pena, e ela nem teria necessariamente se resfriado. Na verdade, quanto mais você a protege, mais ela se torna vulnerável. Quanto mais liberdade você lhe der, mais ela se torna imune.

      Os pais devem aprender a dizer sim. Noventa e nove por cento das vezes em que costumam dizer não, o motivo não é outro a não ser o de simplesmente mostrar autoridade. Nem todos podem se tomar o presidente do país, nem todos podem ter autoridade sobre milhões de pessoas. Mas todos podem se tornar maridos, podem ter autoridade sobre a mulher; toda mulher pode se tornar mãe, e pode ter autoridade sobre a criança; toda criança pode ter um ursinho e ter autoridade sobre ele... chutá-lo de um lado para outro, dar-lhe uns bons tapas, tapas que na verdade queria dar na mãe e no pai. E o pobre ursinho não tem ninguém em quem mandar.

Esta é uma sociedade autoritária.

      O que estou dizendo é que, ao criar crianças que têm liberdade, que ouviram "sim" e que raramente ouviram "não", a sociedade autoritária desaparecerá. E nós teremos uma sociedade mais humana.

Beyond Psychology, vol 1 - Sessão 23
23 de abril de 1986.

Do original: "The New Child"    -  Editora Boschini
Edição em português: "A Nova Criança"  -  Editora Gente.

Os direitos autorais são de propriedade de: Osho International Foundation

O livro "A Nova Criança" pode ser adquirido nas melhores livrarias do gênero, pelo url  www.mandic.com.br/gentedit ,  e-mail:    gentedit@mandic.com.br ou através do Instituto Osho Brasil - e-mail: champak@tba.com.br