O PAPA DEFENSOR DA VIDA 
JOÃO PAULO II

 

 

"Acolhei vossos filhos com um amor responsável; defendei-os como um dom de Deus, desde o momento em que são concebidos, em que a vida humana surge no ventre das mães: que o crime abominável do aborto, vergonha para a humanidade, não condene os concebidos à mais injusta das execuções: a dos seres humanos mais inocentes! Esta proclamação sobre o inestimável valor da vida desde o ventre materno e contra qualquer manobra de supressão da vida, quantas vezes a ouvimos dos lábios da Madre Teresa de Calcutá? Ouvimo-la todos durante o Ato Testemunhal do Primeiro Encontro, em Roma. Aqueles lábios estão agora mudos pela morte. Mas a mensagem de Madre Teresa em favor da vida continua vibrante e convincente como nunca."
João Paulo II


"Não hesito em proclamar diante de vocês diante do mundo inteiro que toda a vida humana, a partir do momento de sua concepção e durante os estágios seguintes, é sagrada, porque a vida humana é criada à imagem e semelhança de Deus. Nada supera a grandeza ou a dignidade da pessoa humana. A vida não é meramente uma idéia ou uma abstração. É a realidade concreta de um ser capaz de amar e servir a humanidade"
João Paulo II


"Nós nos oporemos sempre que a vida for ameaçada. Quando a natureza sagrada da vida de um pré-natal for prejudicada, faremos objeção e proclamaremos que ninguém tem o direito 
de destruir a vida pré-natal"
João Paulo II


"Quando ouvimos falar que uma criança é um incômodo ou é considerada um meio de satisfação de uma necessidade emocional, interviremos e insistiremos que cada criança é um presente único de Deus, impossível de ser repetido, e tem o direito a uma família unida no amor"
João Paulo II


"Que sentido há em se falar sobre dignidade do homem, que sentido há em se falar sobre seus direitos fundamentais, se não protegemos a vida de um recém-nascido inocente? como pode os meios de comunicação social consentir com a destruição de vidas humanas indefesas?
João Paulo II


"A morte de um inocente nunca pode ser justificada. Isso destruiria aos poucos a fundação primeira da sociedade. A família é a única comunidade onde cada homem é amado gratuitamente, pelo que é e não pelo que possui. Na comunidade conjugal cada pessoa é confiada e amada por sua dignidade"
João Paulo II


Portanto, a questão é a seguinte: porque estamos lidando com um ser humano, e isso é claro, devemos respeitá-lo como respeitamos qualquer outro ser humano? 
Perguntar se um ser humano é para ser respeitado com base no seu tamanho, idade e qualidade é um princípio moral e não científico"
João Paulo II


Voltar

1