Milho e áreas de plantio transgênico  

Milho - composição

Corn, sweet, yellow, cooked, boiled, drained, without salt

Nutrient 
Units 
Value per 
100 grams of 
edible portion 
Proximates
Water 
g
69.570
Energy 
kcal
108.000
Energy 
kj
452.000
Protein 
g
3.320
Total lipid (fat) 
g
1.280
Carbohydrate, by difference 
g
25.110
Fiber, total dietary 
g
2.800
Ash 
g
0.720
Minerals
Calcium, Ca 
mg
2.000
Iron, Fe 
mg
0.610
Magnesium, Mg 
mg
32.000
Phosphorus, P 
mg
103.000
Potassium, K 
mg
249.000
Sodium, Na 
mg
17.000
Zinc, Zn 
mg
0.480
Copper, Cu 
mg
0.053
Manganese, Mn 
mg
0.194
Selenium, Se 
mcg
0.800
Vitamins
Vitamin C, ascorbic acid 
mg
6.200
Thiamin 
mg
0.215
Riboflavin 
mg
0.072
Niacin 
mg
1.614
Pantothenic acid 
mg
0.878
Vitamin B-6 
mg
0.060
Folate 
mcg
46.400
Vitamin B-12 
mcg
0.000
Vitamin A, IU 
IU
217.000
Vitamin A, RE 
mcg RE
22.000
Vitamin E 
mg ATE
0.090
Lipids
Fatty acids, saturated 
g
0.197
4:0 
g
0.000
6:0 
g
0.000
8:0 
g
0.000
10:0 
g
0.000
12:0 
g
0.000
14:0 
g
0.000
16:0 
g
0.185
18:0 
g
0.012
Fatty acids, monounsaturated 
g
0.374
16:1 
g
0.000
18:1 
g
0.374
20:1 
g
0.000
22:1 
g
0.000
Fatty acids, polyunsaturated 
g
0.603
18:2 
g
0.586
18:3 
g
0.018
18:4 
g
0.000
20:4 
g
0.000
20:5 
g
0.000
22:5 
g
0.000
22:6 
g
0.000
Cholesterol 
mg
0.000
Amino acids
Tryptophan 
g
0.023
Threonine 
g
0.133
Isoleucine 
g
0.133
Leucine 
g
0.358
Lysine 
g
0.141
Methionine 
g
0.069
Cystine 
g
0.027
Phenylalanine 
g
0.155
Tyrosine 
g
0.126
Valine 
g
0.191
Arginine 
g
0.135
Histidine 
g
0.091
Alanine 
g
0.304
Aspartic acid 
g
0.252
Glutamic acid 
g
0.655
Glycine 
g
0.131
Proline 
g
0.301
Serine 
g
0.158
USDA Nutrient Database for Standard Reference, Release 13 (November 1999)


 Quanto ao milho devemos lembrar a possibilidade de contaminação transgênica, pricipalmente para os subprodutos industrializados.
 
Para queles que desejarem replicar variedades não híbridas, lembro que a "CATI", em Campinas, SP fornece estas variedades no setor de "sementes e mudas".
 

Stigmata maydis

Zea

Corn-silk

HOMŒOPATHIC MATERIA MEDICA
by William BOERICKE, M.D.
Presented by Médi-T

Has marked urinary symptoms, and has been used with success in organic heart disease, with much œdema of lower extremities and scanty urination. Enlarged prostate and retention of urine. Uric and phosphatic Gonorrhœa. Cystitis. 

Urinary.--Suppression and retention. Dysuria. Renal lithiasis; nephritic colic; blood and red sand in urine. Tenesmus after urinating. Vesical catarrh. Gonorrhœa. Cystitis. 

Shucks (as a decoction used for chronic malaria, teaspoonful doses freely. Dr. E. C. Lowe, England). 

Dose.--Tincture in tent-to fifty-drop doses. 

Copyright © Médi-T 1999


 Henriette's herbal homepage
Nat. Ord.—Gramineae. 
COMMON NAME: Corn-silk.

                 (também veja Extractum Zeae Fluidum (o N. F.) —Fluid Extract de Zea.)

Botanical Source.—Indian corn is a monoecious, paniceous grass, annual, with a fibrous root, and an erect, leafy stem, channelled on one side, 5 to 10, and, in some varieties, 15 to 20 feet high. The male flowers are terminal and racemose; the female axillary and densely spiked. Stamens 3. Ovary sessile and ovate. Style 1, long and capillary. Stigma ciliated. Caryopsides roundish or reniform, arranged on a large cylindrical receptacle or rachis, popularly called the cob, generally in 8 rows. The ordinary color of the ripe grains or caryopsides is yellow, but they are frequently met with white, parti-colored, red, purple, or even black (W.—P.).
History.—Corn is a native of the warm latitudes of America, and its varieties are exceedingly numerous. It is extensively cultivated in the United States, and also in various parts of the world, and is much used in these countries as one of the principal articles of diet. It is very nourishing and digestible, and is used in many forms in this country, as bread, mush, puddings, cakes, etc. It is incapable of being made into light or raised bread, on account of its small quantity of gluten. Roasting-ears, or hot corn, as it is called in this country, consists of the young ears, which are gathered just previous to becoming ripe and hard, and boiled in water. They form an agreeable and nutritious food, but should not be used by those disposed to looseness or other intestinal derangements. The parts used in medicine are corn-meal and the styles and stigmas, the latter two constituting the official Zea, which is thus described: 
Description.Zea, or Stigmata maydis, is "thread-like, about 15 Cm. (6 inches) long, and 0.5 Mm. (1/50 inch) broad, yellowish or greenish, soft-silky, finely hairy, and delicately veined longitudinally; inodorous; taste sweetish"
Chemical Composition.—GRAIN OF MAIZE contains moisture (13.3 per cent), starch (50 to 67 per cent, and more), nitrogenous matters (about 10 per cent), fatty or oily substance (3.8 to 9 per cent), and mineral matters (about 1.5 per cent), consisting chiefly of potassium phosphate. The oil of maize occurs mainly in the embryo, and can not be obtained from the corn by mere pressure. The grains are allowed to sprout to a certain extent; the germ containing over 15 per cent of the oil, is separated by machinery from the starchy part, and is then softened by steam and subjected to hydraulic pressure, which separates the oil and yields a press-cake, rich in albuminoids, and retaining 4 to 5 per cent of oil. Or, the oil is yielded as a by-product in the manufacture of corn-starch (see J. M. Maisch, Amer. Jour. Pharm., 1885, p. 404, and J. U. Lloyd, ibid., 1888, p. 325; also see C. E. Bowers, ibid., 1889, p. 503). Oil of maize has been used as a lubricant, and in the manufacture of soap. It is a bland, non-drying, yellowish oil, having a specific gravity of. 0.92. It is readily saponifiable, and does not easily become rancid upon exposure to the air. Prof. Lloyd recommends its use especially in the making of ammonia liniment.
CORN-SILK (Zea).—C. J. Rademaker and John L. Fischer (Amer. Jour. Pharm., 1886, p. 369) found corn-silk to contain 5.25 per cent of a light-yellow fixed oil, resin, a crystallizable acid (maizenic acid of Vautier), soluble in water, ether, and alcohol, insoluble in petroleum spirit; and sugar, gum, albuminoids, etc. No volatile oil could be found. J. M. Hillan (ibid., 1884, p. 571), by distillation with alkali, obtained a basic distillate, yielding a crystalline acetate, which formed precipitates with solution of iodine and with Mayer's solution. The same author found 83.3 per cent of moisture, and in the dried corn-silk 12.5 per cent of ash. Sugar was observed in green but not in the dried corn-silk. (For pharmaceutical preparations from corn-silk, see Geo. W. Kennedy, Amer. Jour. Pharm., 1883, p. 242.) 
Action, Medical Uses, and Dosage.—Corn-silk is diuretic and slightly anodyne, and, for the former purpose, has been found useful in many urinary troubles, associated with renal and cardiac disorders. In southern France, the inhabitants use it as a domestic remedy for calculi, gravel, and strangury. It has been found of value by physicians in the treatment of cystic irritation, due to phosphatic and uric acid concretions, and in both acute and chronic inflammations of the bladder, whether traumatic or idiopathic. Dropsy, when due to cardiac or renal origin, and particularly after such urinary disorders as those above mentioned, and pyelitis, catarrh of the bladder, and urinal retention appear to be benefited by the diuretic action of this drug, which action is said to be quite positive. Besides its diuretic effects, the drug seems to be a cardiac stimulant as well. In fact, its diuretic action is largely due to its tonic action upon the heart and blood vessels. It is especially of value in the bladder disorders of children, in gonorrhoea, and in cases where decomposition of the urine is prone to take place within the bladder. The active virtues are attributed to the maizenic acid, which may be given in 1/8-grain doses. However, the infusion of the fresh "silk" (silk troy ounceii to boiling water Oj) is the most active preparation, and should be freely administered. The fluid extract, which is said to well represent the drug, may be given in doses of 1/2 to 2 fluid drachms, every 2 to 4 hours.
CORN-MEAL forms a very palatable and nutritious gruel for the sick, and, in the form of mush, is an excellent diet for convalescents, as well as a good emollient poultice for ulcers, swellings, rheumatic pains, etc. An infusion of parched corn is useful in allaying the nausea and vomiting attendant upon many diseases. It may be drank freely. (For the parasitic fungus growing on corn [Ustilago Maydis], see Ustilago.)

 
Coloco alguns dados obtidos na rede para reforçar a perspectiva transgênica.


LIBERAÇÃO DE PLANTIO DE MILHO TRANSGÊNICO EM ÁREAS DE AGRICULTORES
Conforme já havia sido alertado pelo Greenpeace, a CTNBio aprovou no último dia 6 de Novembro o plantio de plantas transgênicas em áreas de agricultores para fins de “avaliar à campo a tolerância do híbrido ao herbicida e divulgar a tecnologia para os agricultores”, conforme consta no pedido feito pelas empresas (veja descrição dos pedidos abaixo).
 Esta aprovação é completamente absurda e arbitrária. Em primeiro lugar, os materiais transgênicos em questão ainda estão em fase de testes de biossegurança. Isto significa que, de acordo com a Instrução Normativa no. 1 da própria CTNBio, só poderiam ser plantados em áreas que tivessem o CQB (Certificado de Qualidade em Biossegurança). Além disso, não poderiam de maneira alguma entrar em fase de divulgação para agricultores, uma vez que a liberação para fins comerciais ainda não foi concedida.
 Ao contrário da soja, o milho é uma planta de fecundação cruzada que pode facilmente contaminar outras variedades não transgênicas, comprometendo a diversidade conservada in situ  pelos agricultores.  Portanto, é importante divulgar as informações nos Municípios e Comunidades onde estes testes serão (ou já estão sendo) feitos. Os Sindicatos de Trabalhadores Rurais, Câmara de Vereadores, Associações de Produtores, Secretarias Municipais de Agricultura, Grupos Ambientalistas locais devem ser informados sobre o que está ocorrendo e estimulados para que tomem alguma ação frente a CTNBio, Ministério da Agricultura, Ministério do Meio Ambiente, etc.
 Apenas há uma semana tive acesso a uma cópia do Comunicado no. 60, do qual sistematizei as informações em três tabelas, agrupando as localidades dos plantios por Estado e Município (Tab.1, 2 e 3). A tabela 1 traz os pedidos feitos pela CARGILL para 16 localidades, sendo 2 em MG, 1 no MT, 6 no PR, 2 no RS, 2 em SC e 3 em SP. Em cada uma destas localidades serão plantados 3 experimentos de milho transgênico para testar/divulgar: tolerância a Glufosinato; tolerância ao herbicida Glifosate; resistência a inseto.  A tabela 2 traz os pedidos feitos também pela CARGILL, mas para 36 localidades: 1 na BA, 3 em GO, 4 em MG, 3 no MS, 1 no MT, 10 no PR, 5 no RS, 4 em SC e 5 em SP. Em cada uma das localidades serão plantados três experimentos de milho transgênico para testar/divulgar: tolerância ao herbicida Glufosinato; resistência a insetos; tolerância ao herbicida Glifosate. Finalmente, a tabela 3 traz os pedidos feitos pela NOVARTIS para 8 localidades, sendo 7 delas no MT e 1 em GO.
 Os detalhes das liberações aprovadas para cada uma das localidades estão descritos abaixo. É necessário divulgar estas informações em nível de base para que outros setores da sociedade possam manifestar-se e tomar as devidas precauções, especialmente agricultores e/ou comunidades indígenas que plantam suas variedades locais nas imediações das áreas com transgênicas.

           Por favor, divulguem estas informações na sua região de atuação e para outros parceiros da sua rede.

Ângela Cordeiro
acordei@hotmail.com

Espécies de milho transgênico em áreas de agricultores aprovadas pela CTNBio a pedido da CARGILL S/A, em 98/99.
 
  • Híbridos transgênicos de milho CX9864LL e CX9865LL, geneticamente modificados com o gene pat que confere tolerância ao herbicida Glufosinato de Amônio.
  • Híbrido transgênico de milho CX9865RR, geneticamente modificado com o gene epsps, que confere tolerância ao herbicida Glifosate.
  • Híbridos transgênicos de milho CX9864YG e CX9865YG, geneticamente modificados com o gene cryIA(b), que confere resistência a insetos.
  • Híbridos transgênicos de milho CX9864RR e CX9865RR, geneticamente modificados com o gene epsps que confere tolerância ao herbicida Glifosate.

  •  

     
     
     
     
     
     
     

    ESTADO
    MUNICÍPIO
    ENDEREÇO & PROPRIETÁRIO

    MG
    Uberlândia
    Fazenda Canadá, de propriedade da ABC Agricultura e Pecuária S/A, localizada na Rodovia BR 365, Km 635,

    MG
    Unaí
    Fazenda Bandeirantes, de propriedade do Sr. Luís Mauro dos Santos, localizada na Rodovia Unaí - Bonfinópolis de Minas, km43 - CEP 38610-000

    MT
    Tangará da Serra
    Fazenda Borborema, de propriedade do Sr. Marciano Stefanuto, localizada na Rodovia MT 170, Km 38, CEP: 78360-000

    PR
    Campo Mourão
    Fazenda Santa Maria, de propriedade do Sr. Joaquim Peres Montans, localizada na Rodovia PR 460, Km 09, CEP: 87300-000

    PR
    Itambé
    Fazenda Ouro Verde, de propriedade do Sr. Luiz Alberto Palaro, localizada na Estrada Ouro Verde, Km 04, CEP: 87120-000

    PR
    Manborê
    Fazenda Barth, de propriedade do Sr. Armindo Barth, localizada na Rodovia BR 369, Km 30 (Divisória, Km 03), CEP: 87340

    PR
    Realeza
    Agrícola Bocchi , de propriedade do Sr. Ednilson S. Bocchi, localizada na Linha Água Branca, Km 3, 85670-000

    PR
    Rio Bonito
     Fazenda Esperança, de propriedade do Sr. Eliseu Fernando Telli, localizada na Rodovia Laranjeiras do Sul - Chopinzinho, Km 16 - CEP 87540-000

    PR
    Santa Marina
    Fazenda Santa Marina, de propriedade do Sr. Paulo Prado de Paiva, localizada na Rodovia BR 369, Km 10, CEP: 86350-000

    SC
    Canoinhas
    Fazenda do Sr. Valdemar de Jesus F. dos Santos, localizada na Rodovia SC 477, Km 08, CEP: 89460

    SC
    Ituporanga
    Fazenda do Sr. Haroldo Kussner, localizada na Rodovia SC 302, Km 10, Bela Vista, CEP: 88400

    SP
    Itararé
    Agropecuária Jatibuca Ltda., de propriedade do Sr. Carlos Augusto Moulatler, localizada na Rodovia SP 258, Km 317, CEP: 18400-000

    SP
    Jaborandi
    Fazenda Santa Genoveva, de propriedade do Sr. Gabriel Adolfo Carvalho Dias, localizada na Estrada Barretos - Jaborandi, km 12.5 - CEP 14787-040

    SP
    Mendonça
    Fazenda Barra Mansa, de propriedade do Sr. Gilberto Luiz Casagrande, localizada na Rodovia BR 153, Entrada para Mendonça, Km 06, CEP: 15220-000

    BA
    Barreiras
    Fazenda Odisséia, de propriedade do Sr. Luis Ricardi, localizada na BR 242, Km 17, CEP: 47800-000

    GO
    Campo Alegre de Goiás
    Fazenda Califórnia, de propriedade do Sr. Humberto Piassa, localizada na Rodovia BR 05, Km 187, CEP:
    38440-000

    GO
    Monte Vidio
    Fazenda São Benedito, de propriedade do Sr. José Roberto Brucceli, localizada na Rodovia GO 050, Km 90, CEP: 75900-000

    GO
    Vicentópolis
    Fazenda Santa Laura, de propriedade do Sr. Antônio Carlos da Cruz, localizada na Rodovia GO 320, Km 02, CEP: 75600-000

    MG
    Alfenas
     Sociedade Agrícola Vitória Ltda., localizada na Rodovia Alfenas -VArginha, Km12, CEP 37130-000

    MG
    Passos
    Cooperativa Agropecuária do Sudeste Mineiro Ltda., localizada na Rodovia BR 265, Km 424, CEP: 37900-000

    MG
    Uberaba
    Fazenda Orto Uberaba, de propriedade do Sr. Celonir Ferreira Castilho, localizada na Rodovia BR 452, Km 52, CEP: 38175-000

    MG
    Unaí
    Fazenda Guaribas, de propriedade do Sr. Antério Manica, localizada na Rodovia BR 201, Km 30,
    CEP: 38610-000

    MS
    Chapadão do Sul
    Fazenda Gávea, de propriedade do Sr. João Carlos Krug, localizada na Rodovia MS 306, Km 110,
    CEP: 79560-000

    MS
    Dourados
    Sítio Canambi, de propriedade do Sr. Wilson Takeshi Sarvwatari, localizada nos Lotes 7 e 8, Quadra 25,
    CEP: 79800-140

    MS
    São Gabriel do Oeste
    Fazenda Manancial, de propriedade do Sr. Waldemar Grimm, localizada na Rodovia BR 163, Km 620,
    CEP: 79490-000

    MT
    Dom Aquino
    Fazenda Castelinho, de propriedade do Sr. Dorival Agulhon, localizada na Rodovia BR 070, Km 343,

    PR
    Campo Mourão
    Fazenda Experimental da Cooperativa Agropecuária Mourãoense Ltda., localizada na Rodovia 487, Km 167, CEP: 87300-970

    PR
    Cascavel
    Centro Tecnológico Coopavel, de propriedade da Cooperativa Agropecuária Cascavel Ltda., localizada na Rodovia BR 277, Km 578, CEP: 85815-480

    PR
    Castro
    Fundação ABC Para Assistência Técnica Agropecuária, localizada na Rodovia PR 151, Km 155,5,  84166-990

    PR
    Guarapuava
    Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária, localizada na Rodovia Colônia Vitória - Entre Rios (Rodovia PR 463, Km7, CEP 85108-000

    PR
    Londrina
    Sociedade Rural do Paraná, localizada no Parque de Exposições Governador Ney Braga, Avenida Tiradentes, 6275, Município de Londrina, CEP: 86072-630

    PR
    Mangueirinha
    Fazenda Palmital, de propriedade do Sr. Manuel Aparecido de Almeida, localizada na Linha Palmital, Km 01,

    PR
    Mauá da Serra
    Fazenda Colônia Fuji, de propriedade do Sr. Carlos T. Kamiguchi, localizada na Rodovia BR 376, Km 228,

    PR
    Palotina
    Fazenda Santa Fé, de propriedade da Cooperativa Mista do Vale do Piquiri Ltda., localizada na Linha Paraíso (Rodovia PR 182), Km 2, CEP: 85990-000

    PR
    São Miguel do Iguaçu
    Fazenda S.D.E., de propriedade do Sr. Altair Cardoso Carvalho, localizada na Linha Nova Roma, BR 277, Km 702, CEP: 85877-000

    PR
    Tibagi
    Fazenda Pousada dos Gaúchos, de propriedade do Sr. Ivo Carlos Arnt Filho e outros, localizada na Rodovia Tibagi - Ventana, a 20 Km de Tibagi, CEP 84300-000

    RS
    Palmeira das Missões
    Granja Guará, de propriedade do Sr. Henrique J. M. Aernoudts, localizada na Rodovia BR 158, Km 123, CEP: 98300-000

    RS
    Vacaria
    Sementes Mário José Basso, de propriedade do Sr. Raul Basso, localizada na Rodovia BR 285, Km 142, CEP: 95200-000

    RS
    Carazinho
    Granja Senger, de propriedade do Sr. Luiz Henrique Senger, localizada na Rodovia Carazinho - S.Bento, no.1 - Distrito, CEP99500-000

    RS
    Cruz Alta
    Fazenda Chaparral, de propriedade do Sr. Luiz Fernando Tagliari, localizada na Estrada Salto do Jacui, Km 02, Capão Grande, CEP: 98005-970

    RS
    Erechim
    Fazenda Agranionik, de propriedade do Sr. Maurício Leão Agranionik, localizada na Rodovia Erechim -Jacutinga, acesso p/ Quatro IrMãos, CEP 99700-030

    RS
    Tapejara
    Fazenda Lavoura Grupo Bianchini, de propriedade do Sr. Odil Léo Bianchini, localizada na Avenida Principal, s/nº, no município de Tapejara, CEP: 9950-000

    RS
    Teutônia
    Fazenda Silvério Luersen, de propriedade do Sr. Silvério Luersen, localizada na Rua Professor Alfredo Schneider, s/n, Bairro Teutônia, CEP: 98700-000

    SC
    Bom Jesus
    Granja Pelizza, de propriedade do Sr. Odir Pelizza, localizada na Linha Passo Ferraz (Xanxerê - Abelardo Luz), km 08, CEP 89801-020

    SC
    Campo Erê
    Fazenda Perseverança, de propriedade do Sr. Victor Hugo Begrow, localizada na Linha Agroisa (Rodovia SC 473), Km 09, CEP: 89980-000

    SC
    Campos Altos
    Fazenda Ouro Branco, de propriedade do Sr. Juvenil Moysés Dutra, localizada na BR 470, Trevo Sul, Saída para o Rio Grande do Sul, CEP: 89620-000

    SC
    Chapecó
    Campo Demonstrativo Alfa, de propriedade da Cooperativa Regional Alfa, localizado na Rodovia SC -238, Km3,

    SP
    Coroados
    Sítio São José, de propriedade do Sr. João Esteves de Freitas, localizada na Rodovia SP 300, vicinal Glicério a Juritis (entrada para o Bairro Caximba), CEP: 16260-000

    SP
    Morro Agudo
     Fazenda Indaiá do Ingoio, de propriedade do Sr. Luiz Martins de Barros, localizada na Rodovia SP 373, Km 8, C

    SP
    Palmital
    Fazenda São Sebastião, de propriedade do Sr. Dorival Aparecido Tirolti, localizada na Rodovia Nelson Leopoldino (entrada no trevo para Palmital), no município de Palmital, CEP: 19970-000

    SP
    Piraju
    Fazenda Santo Antônio, de propriedade do Sr. Pedro Donizete Stuani, localizada na Rodovia Piraju - Manduri
     (Trevo Raposo Tavares), CEP 18800-000

    SP
    Pirassununga
    Fazenda Cascalho, de propriedade do Sr. Octávio de Freitas Filho, localizada na Rodovia SP 225, Km 26,5,


     Áreas de plantio de milho transgênico aprovadas pela CTNBio a pedido da NOVARTIS .
     
    ...híbridos transgênicos expressam o gene cryIA(b), isolado de Bacillus thuringiensis subs. kurstaki, que codifica uma proteína delta-endotoxina, que possui propriedades tóxicas contra determinados insetos (o gene introduzido é uma versão truncada da original), e o gene marcador pat, isolado de Streptomyces viridochromogenes, que codifica a enzima fosfinotricina acetil-transferase (PAT), inativadora da fosfinotricina, ingrediente ativo do herbicida Glufosinato de Amônio.

     

     
     
     
     
     
     
     

    ESTADO
    MUNICÍPIO
    ENDEREÇO & PROPRIETÁRIO

    MT
    Primavera do Leste
    Fazenda Buriti, de propriedade do Sr. Tarcísio Gebert, localizada na rodovia BR 070, Km 283,

    MT
    Poxoréu
    Fazenda Cidade Verde, de propriedade do Sr. Wilson Daltroso, localizada na rodovia MT 130, Km 06,

    MT
    Nova Mutum
    Fazenda Canta Galo, de propriedade do Sr. Wilmar Trentini e outros, localizada na rodovia BR 163, Km 653

    MT
    Nova Mutum
    Fazenda Vovô Ernesto, de propriedade do Sr. Júnior Zorteia, localizada na rodovia BR 163, Km 653,

    MT
    Lucas do Rio Verde
    Fazenda Irmãos Muranetto, de propriedade dos Srs. Domingos e Nelson Muranetto, localizada na rodovia BR 163, Km 669,

    MT
    Campo Verde
    Fazenda Marabá, de propriedade do Sr. José Pupin, localizada na Rodovia MT 140, Km 45,

    MT
    Alto Garças
    Fazenda São Gerônimo, de propriedade do Sr. Rudolf Aernoudts, localizada na Rod. BR 364, Km 65,

    GO
    Chapadão do Céu
    Fazenda Barra Bonita, de propriedade do Sr. Cláudio João Gorgem, localizada na rodovia Chapadão do Sul (MS) - Chapadão do Céu (GO), km 08

    TABELA 1. Lista as localidades onde serão plantados milhos transgênicos, de acordo com solicitações da CARGILL conforme descrição abaixo:
    1. Processo nº 01200.003876/98-10.
    Interessado: CARGILL AGRÍCOLA S/A.
    CGC: 60.498.706/0001-57.
    Endereço: Rua Olavo Bilac, 157, CEP: 04671-900, Santo Amaro - SP; Telefone: (019) 289 1381;
    Fax:(019) 289 4396.
    Assunto: Solicita da CTNBio autorização para a liberação no meio ambiente de milho transgênico (Zea mays), em áreas de produtores rurais ou cooperativas agrícolas, especificadas a seguir (Tab.1). A requerente informa que será utilizado nas liberações o híbrido transgênico de milho CX9864LL, geneticamente modificado com o gene pat, que confere tolerância ao herbicida Glufosinato de Amônio. A solicitação de liberação tem como objetivo avaliar à campo a tolerância do híbrido ao herbicida e divulgar a tecnologia para os agricultores. Em cada área serão plantadas 4 linhas de 10 m do híbrido transgênico, bem como 8 linhas do híbrido convencional. A área total do experimento, em cada local, será de aproximadamente 144 m2, sendo que aproximadamente 72 m2 serão ocupados pelo material transgênico. Será utilizada uma bordadura de 5 m de híbrido comercial não transgênico ao redor do experimento. Serão utilizadas práticas recomendadas pela pesquisa para o manejo do experimento, de forma compatível com os seus objetivos. Caso qualquer tipo de máquina seja utilizado em auxílio à colheita ou beneficiamento do material, esta será devidamente limpa para garantir que nenhuma semente possa sair da área experimental sem o devido controle. O monitoramento de tais áreas será conduzido durante e após a conclusão dos trabalhos, no último caso, pelo período de 1 ano. As sementes colhidas serão destruídas após o término dos ensaios. As áreas experimentais serão plantadas, na safra seguinte, com culturas alternativas como soja, algodão ou girassol.
    Decisão: Deferido.

    2. Processo n.º 01200.003880/98-97.
    Interessado: Cargill Agrícola S/A.
    CGC: 60.498.706/0001-57.
    Endereço: Rua Olavo Bilac, 157, CEP: 04671-900, Santo Amaro - SP; Telefone: (019) 289 1381; Fax: (019) 289 4396.
    Assunto: Solicita da CTNBio autorização para a liberação no meio ambiente de milho transgênico (Zea mays), em áreas de produtores rurais ou cooperativas agrícolas, especificadas a seguir (Tab.1). A requerente informa que será utilizado nas liberações o híbrido transgênico de milho CX9865RR, geneticamente modificado com o gene epsps, que confere tolerância ao herbicida Glifosate. A solicitação de liberação tem como objetivo avaliar à campo a tolerância dos híbridos ao herbicida e divulgar a tecnologia para os agricultores. Em cada área serão plantadas 4 linhas de 10 m de cada um dos híbridos transgênicos, bem como 8 linhas de cada um dos híbridos convencionais. A área total do experimento, em cada local, será de aproximadamente 144 m2, sendo que aproximadamente 72 m2 serão ocupados pelo material transgênico. Será utilizada uma bordadura de 5 m de híbrido comercial não transgênico ao redor do experimento. Serão utilizadas práticas recomendadas pela pesquisa para o manejo do experimento, de forma compatível com os seus objetivos. Caso qualquer tipo de máquina seja utilizada em auxílio à colheita ou beneficiamento do material, esta será devidamente limpa para garantir que nenhuma semente possa sair da área experimental sem o devido controle. O monitoramento de tais áreas será conduzido durante e após a conclusão dos trabalhos, no último caso, pelo período de 1 ano. As sementes colhidas serão destruídas após o término dos ensaios. As áreas experimentais serão plantadas, na safra seguinte, com culturas alternativas como soja, algodão ou girassol.
    Decisão: Deferido.

    3. Processo n.º 01200.003881/98-50.
    Interessado: Cargill Agrícola S/A.
    CGC: 60.498.706/0001-57.
    Endereço: Rua Olavo Bilac, 157, CEP: 04671-900, Santo Amaro - SP; Telefone: (019) 289 1381; Fax: (019) 289 4396.
    Assunto: Solicita da CTNBio autorização para a liberação no meio ambiente de milho transgênico (Zea mays), em áreas de produtores rurais ou cooperativas agrícolas, especificadas a seguir (Tab.1). A requerente informa que serão utilizados nas liberações os híbridos transgênicos de milho CX9864YG e CX9865YG, geneticamente modificados com o gene cryIA(b), que confere resistência a insetos. A solicitação de liberação tem como objetivo avaliar à campo a tolerância dos híbridos ao herbicida e divulgar a tecnologia para os agricultores. Em cada área serão plantadas 4 linhas de 10 m de cada um dos híbridos transgênicos, bem como 8 linhas de cada um dos híbridos convencionais. A área total do experimento, em cada local, será de aproximadamente 216 m2, sendo que aproximadamente 72 m2 serão ocupados pelo material transgênico. Será utilizada uma bordadura de 5 m de híbrido comercial não transgênico ao redor do experimento. Serão utilizadas práticas recomendadas pela pesquisa para o manejo do experimento, de forma compatível com os seus objetivos. Caso qualquer tipo de máquina seja utilizada em auxílio à colheita ou beneficiamento do material, esta será devidamente limpa para garantir que nenhuma semente possa sair da área experimental sem o devido controle. O monitoramento de tais áreas será conduzido durante e após a conclusão dos trabalhos, no último caso, pelo período de 1 ano. As sementes colhidas serão destruídas após o término dos ensaios. As áreas experimentais serão plantadas, na safra seguinte, com culturas alternativas como soja, algodão ou girassol.
    Decisão: Deferido.
     

    TABELA 2. Lista as localidades onde serão plantados milhos transgênicos de acordo com solicitações da CARGILL,  conforme descrição abaixo:

    1. Processo nº 01200.003367/98-04.
    Interessado: Cargill Agrícola S/A.
    Endereço: Rua Olavo Bilac, 157, CEP: 04671-900, Santo Amaro - SP; Telefone: (019) 289 1381; Fax: (019) 289 4396.
    Assunto: Solicita da CTNBio autorização para a liberação no meio ambiente de milho transgênico (Zea mays), em áreas de produtores rurais ou cooperativas agrícolas, especificadas a seguir (Tab.2). A requerente informa que serão utilizados na liberação os híbridos transgênicos de milho CX9864LL e CX9865LL, geneticamente modificados com o gene pat que confere tolerância ao herbicida Glufosinato de Amônio. A solicitação de liberação tem como objetivo avaliar à campo a tolerância dos híbridos ao herbicida e divulgar a tecnologia para os agricultores. Em cada área serão plantadas 4 linhas de 10 m de cada um dos híbridos transgênicos, bem como 8 linhas de cada um dos híbridos convencionais. A área total do experimento, em cada local, será de aproximadamente 216 m2, sendo que aproximadamente 72 m2 serão ocupados pelo material transgênico. Será utilizada uma bordadura de 5 m de híbrido comercial não transgênico ao redor do experimento. Serão utilizadas práticas recomendadas pela pesquisa para o manejo do experimento, de forma compatível com os seus objetivos. Caso qualquer tipo de máquina seja utilizada em auxílio à colheita ou beneficiamento do material, esta será devidamente limpa para garantir que nenhuma semente possa sair da área experimental sem o devido controle. O monitoramento de tais áreas será conduzido durante e após a conclusão dos trabalhos, no último caso, pelo período de 1 ano. As sementes colhidas serão destruídas após o término dos ensaios. As áreas experimentais serão plantadas, na safra seguinte, com culturas alternativas como soja, algodão ou girassol.
    Decisão: Deferido.
    2. Processo n.º 01200.003368/98-69.
    Interessado: Cargill Agrícola S/A.
    CGC: 60.498.706/0001-57.
    Endereço: Rua Olavo Bilac, 157, CEP: 04671-900, Santo Amaro - SP; Telefone: (019) 289 1381; Fax: (019) 289 4396.
    Assunto: Solicita da CTNBio autorização para a liberação no meio ambiente de milho transgênico (Zea mays), em áreas de produtores rurais ou cooperativas agrícolas, especificadas a seguir (Tab.2). A requerente informa que serão utilizados na liberação os híbridos transgênicos de milho CX9864YG e CX9865YG, geneticamente modificados com o gene cryIA(b) que confere resistência a insetos. A solicitação de liberação tem como objetivo avaliar à campo a tolerância dos híbridos ao herbicida e divulgar a tecnologia para os agricultores. Em cada área serão plantadas 4 linhas de 10 m de cada um dos híbridos transgênicos, bem como 8 linhas de cada um dos híbridos convencionais. A área total do experimento, em cada local, será de aproximadamente 216 m2, sendo que aproximadamente 72 m2 serão ocupados pelo material transgênico. Será utilizada uma bordadura de 5 m de híbrido comercial não transgênico ao redor do experimento. Serão utilizadas práticas recomendadas pela pesquisa para o manejo do experimento, de forma compatível com os seus objetivos. Caso qualquer tipo de máquina seja utilizada em auxílio à colheita ou beneficiamento do material, esta será devidamente limpa para garantir que nenhuma semente possa sair da área experimental sem o devido controle. O monitoramento de tais áreas será conduzido durante e após a conclusão dos trabalhos, no último caso, pelo período de 1 ano. As sementes colhidas serão destruídas após o término dos ensaios. As áreas experimentais serão plantadas, na safra seguinte, com culturas alternativas como soja, algodão ou girassol.
    Decisão: Deferido.
     

    3. Processo n.º 01200.003369/98-21.
    Interessado: Cargill Agrícola S/A.
    CGC: 60.498.706/0001-57.
    Endereço: Rua Olavo Bilac, 157, CEP: 04671-900, Santo Amaro - SP; Telefone: (019) 289 1381; Fax: (019) 289 4396.
    Assunto: Solicita da CTNBio autorização para a liberação no meio ambiente de milho transgênico (Zea mays), em áreas de produtores rurais ou cooperativas agrícolas, especificadas a seguir (Tab.2). A requerente informa que serão utilizados na liberação os híbridos transgênicos de milho CX9864RR e CX9865RR, geneticamente modificados com o gene epsps que confere tolerância ao herbicida Glifosate. A solicitação de liberação tem como objetivo avaliar à campo a tolerância dos híbridos ao herbicida e divulgar a tecnologia para os agricultores. Em cada área serão plantadas 4 linhas de 10 m de cada um dos híbridos transgênicos, bem como 8 linhas de cada um dos híbridos convencionais. A área total do experimento, em cada local, será de aproximadamente 216 m2, sendo que aproximadamente 72 m2 serão ocupados pelo material transgênico. Será utilizada uma bordadura de 5 m de híbrido comercial não transgênico ao redor do experimento. Serão utilizadas práticas recomendadas pela pesquisa para o manejo do experimento, de forma compatível com os seus objetivos. Caso qualquer tipo de máquina seja utilizada em auxílio à colheita ou beneficiamento do material, esta será devidamente limpa para garantir que nenhuma semente possa sair da área experimental sem o devido controle. O monitoramento de tais áreas será conduzido durante e após a conclusão dos trabalhos, no último caso, pelo período de 1 ano. As sementes colhidas serão destruídas após o término dos ensaios. As áreas experimentais serão plantadas, na safra seguinte, com culturas alternativas como soja, algodão ou girassol.
    Decisão: Deferido.
     

    TABELA 3. Lista as localidades onde serão plantados milhos transgênicos  de acordo com solicitação da NOVARTIS, conforme descrição abaixo:

    1. Processo n.º 01200.003197/98-78.
    Interessado: Novartis Seeds Ltda.
    CGC: 49.156.326/0001-00.
    Endereço: Avenida Vicente Rao, 90, Caixa Postal: 21468, Brooklin Paulista, CEP: 04706-900, São Paulo - SP; Telefone: (034) 216-6005; Fax: (034) 216-6537.
    Assunto: Solicita da CTNBio autorização para a liberação no meio ambiente de milho transgênico (Zea mays), em áreas de produtores rurais, especificadas a seguir (Tab.3). Os híbridos transgênicos expressam o gene cryIA(b), isolado de Bacillus thuringiensis subs. kurstaki, que codifica uma proteína delta-endotoxina, que possui propriedades tóxicas contra determinados insetos (o gene introduzido é uma versão truncada da original), e o gene marcador pat, isolado de Streptomyces viridochromogenes, que codifica a enzima fosfinotricina acetil-transferase (PAT), inativadora da fosfinotricina, ingrediente ativo do herbicida Glufosinato de Amônio. A requerente informa que a proposta objetiva medir os efeitos de Bt176 sobre as características de tolerância a insetos, principalmente Diatraea saccharalis, em áreas de produção comercial de milho. O milho geneticamente modificado será plantado em 8 linhas de 50 m de comprimento, espaçadas de 0,80 ou 0,90 m entre linhas, totalizando 360 m2, em cada fazenda. As áreas adjacentes serão plantadas com milho não geneticamente modificado para comparação. Todos os ensaios serão inseridos em lavouras comerciais de milho.
    Decisão: Deferido.

    (Fonte: Comunicado CTNBio no. 60, publicado no Diário Oficial da União no. 215, de 10/11/98, seção 3. p-64-66.)
     

    ENDEREÇOS ÚTEIS:

    1. Dr. Francisco Sérgio Turra, Ministro da Agricultura
    Esplanada dos Ministérios, Bloco D, 70043-900 - Brasília - DF
    Fax: (061) 2259046       e-mail: turra@agricultura.gov.br

    2. CTNBio - Secretaria Executiva -
    Min. Ciência e Tecnologia, Esplanada dos Ministérios, Bloco E., salas T-15 e T-17
    700067-900 - Brasília - DF
    Fax: (061) 3177682        e-mail: ctnbio@mct.gov.br

    Variedades de milho transgênico disponíveis no mercado:

    Liberty Link™ Corn (Produced by AgrEvo®) - Introduced in 1997, Liberty Link™ Corn allows growers to apply Liberty herbicide over the top during the growing season. This results in weed control with no effect on crop performance or yield. Liberty Link™ Corn hybrids are offered by seed company partners; Liberty™ herbicide is offered by AgrEvo®.

    IMI-CORN® (Produced by American Cyanamid) - Introduced in 1992, imidazolinone-tolerant and -resistant corn allows growers to apply the flexible and environmentally friendly imidazolinone herbicides to corn. Registration of LIGHTNING™ herbicide, a new imidazolinone specifically for use on IMI-CORN®, was approved by the EPA on March 31, 1997. One post-emergence application of LIGHTNING™ herbicide provides both contact and residual control of broadleaf and grassy weeds, resulting in maximum yield potential.

    Novartis Maximizer™ Hybrid Corn (Produced by Novartis) - This corn is modified to have natural protection against the European corn borer, one of the most devastating insect pests in modern U.S. agriculture.

    DEKALB™ Insect-Protected Hybrid Corn (Produced by DEKALB Genetics Corporation) - Approved in 1997, select DEKALB leader hybrids are now available with built-in-protection against the European corn borer.

    DEKALB GR Hybrid Corn (Produced by DEKALB Genetics Corporation) - Approved in 1996, DEKALB GR hybrids pprovide growers the added weed control benefits of over-the-top glufosinate herbicide application during the growing season.

    High pH Tolerant Corn Hybrids (Produced by Garst Seed Company) - These corn hybrids are capable of groowing successfully on the severely alkaline soils that characterize the western United States corn belt.

    Gray Leaf Spot Resistant Corn Hybrids (Produced by Garst Seed Company) - Corn hybrids tolerant to the disease Cercospora spp., which attacks corn hybrids in the central and southeastern corn belt.

    G-Stac™ Corn Hybrids (Produced by Garst Seed Company) -Corn hybrids featuring "stacked" genes providing multi-task capability. For example, hybrids that contain genes for the control of European corn borer (B.t.), genes for resistance to Liberty herbicide and genes for resistance to imidazolone herbicide all in the same corn hybrid.

    YieldGard™ Insect-Protected Corn (Produced by Monsanto) - The YieldGard gene provides control oof the European corn borer throughout the corn planting season.

    NatureGard® Hybrid Seed Corn (Produced by Mycogen) - These corn plants express a protein toxic to European corn borer that will allow for less use of insecticides.


     Luiz Meira 
    medicina de família
    crm 41.521
    http://luizmeira.cjb.net
    +19 3256 9968
    Enviar mensagem ao autor
    top
    Mapa do Site
    voltar
    Olá! | Sementes | Clínica Doméstica | Iridologia | Alergia | Transgênicos
    Voltar
    Adiante
    passeio


    Composição de Alimentos

    in
    enviar mensagem diretamente para o pager de Luiz Meira
    passando

     
    1