Nome vulgar: Ablete

Nome vulgar: Ablete
Nome científico: Alburnus alburnus
Família: Cyprinidae
Ordem: Cypriniformes

A Ablete, conhecida desde o século XIX, é uma espécie muito frequente em grande parte da Europa à excepção da Irlanda e Escócia, e estendendo-se até às zonas ocidentais do Mar Cáspio e Montes Urais.

Em Portugal é reconhecida a sua existência em algumas regiões mas em reduzido número. Na Albufeira da Barragem do Caia, onde recentemente foi introduzida por pescadores desportivos, a Ablete parece estar-se adaptando perfeitamente e já surge com certa regularidade em algumas zonas.

A Ablete é um peixe cuja presença serve de indicador positivo da qualidade da água que habita. De pequeno tamanho e com um aspecto prateado, tem um corpo alongado, a boca oblíqua ao alto com a maxila inferior a ultrapassar a superior, possui uma barbatana anal maior que a dorsal, as barbatanas são praticamente transparentes e possui uma linha lateral ao longo do corpo.

Possui uma medida que varia entre os 8 e 15 cm e com um peso de 20 a 50 g, podendo excepcionalmente atingir os 20 cm e pouco mais de 200 g.

 Habita em todos os sectores das ribeiras e albufeiras que possuem águas calmas, claras e bem oxigenadas. A Ablete movimenta-se em grupos numerosos e em águas de superfície e meio-fundo e prefere as áreas junto às margens que têm protecção ou onde haja suficiente vegetação.

É um peixe que pode ser utilizado como isco para outras espécies como o Achigã ou o Lúcio.

A Ablete alimenta-se fundamentalmente de larvas e insectos que vão caindo na água, sobretudo a formiga de asa, de detritos vegetais e também de pequenos moluscos e algas. Os recém-nascidos alimentam-se de plâncton. Esta espécie tem uma esperança de vida calculada em pouco mais de 7 anos e a sua maturidade sexual é atingida aos 2/3 anos de idade. O período de reprodução da Ablete situa-se entre Abril e Junho e sempre em locais de águas calmas e de preferência junto à vegetação ou mesmo em fundos com pequena gravilha, quando a temperatura da água atinge os 14/15ºC., podendo cada fêmea conseguir na postura até cerca de 2000 ovos, ficando estes aderentes às plantas aquáticas e com uma incubação de 2 a 3 semanas. Durante o período de reprodução os machos apresentam-se cobertos de tubérculos nupciais no dorso e flancos e as suas barbatanas adquirem uma coloração alaranjada.