Nome vulgar: CABOZ (de água doce)

Nome vulgar: CABOZ (de água doce)
Nome científico: Salaria fluviatilis ou Blennius fluviatilis
Família: Blennidae
Ordem: Perciformes

Esta espécie de água doce encontra-se na maioria dos países banhados pelo Mar Mediterrâneo, com as suas populações em nítida regressão, sendo já considerada uma espécie rara e ou em perigo de extinção.

 Em Portugal, o Caboz de água doce aparece apenas na bacia hidrográfica do Guadiana onde, para além do próprio Rio Guadiana, existe ainda nos seus afluentes como o Xévora, Degebe e outros. Aparece na Albufeira do Caia.

 

É um peixe de pequenas dimensões, com um corpo alongado, um pouco comprimido lateralmente, sem escamas e com bastante mucosidade. Tem uma cabeça grande onde se destaca um pequeno tentáculo sobre cada olho e com uma boca cujos maxilares estão providos de dentes. As barbatanas dorsal e anal são grandes ao longo do corpo, tendo este uma coloração geral acastanhada com manchas transversais mais escuras e desenhos sinuosos.

 Habita preferencialmente em locais com águas limpas e fundos pedregosos onde procura esconder-se. É um peixe muito vulnerável a qualquer alteração prejudicial ao seu habitat.

 Excepcionalmente consegue ultrapassar o tamanho de 15 cm.

 

É considerada uma espécie carnívora, alimentando-se sobretudo de larvas de insectos, crustáceos e alevins.

 A sua reprodução realiza-se entre Maio e princípios de Agosto. O macho exerce uma forte custódia durante a desova, protegendo as suas fêmeas, as quais podem depositar quase sempre debaixo das pedras uma média de 400 a 600 ovos por cada e numa única vez em cada ano.