Nome vulgar: Perca-sol

Nome vulgar: Perca-sol

 

Nome cientifico: Lepomis gibbosus

 

Origem: Continente americano.

 

Introduzida: nos rios do sul de Portugal (para alimentação do achigã) e tornou-se uma praga que rapidamente colonizou voluntária ou involuntariamente novas massas de água. Felizmente é uma espécie que não se dá bem em águas muito correntes e frias, pelo que ainda há muitos rios em que esta espécie não aparece.

 

Características: Predador de alevins, assim como “tudo o que lhe caiba na boca” – extremamente voraz e com grande capacidade de reprodução – não tem qualquer interesse desportivo ou alimentar por atingir pouco mais de uma dezena de centímetros.

 

Vantagens: Com base nos dados recolhidos não foi possível encontrar qualquer vantagem da introdução deste animal. A única coisa positiva é a sua possível utilização para espécie decorativa em aquário, pois é um peixe colorido.

 

Desvantagens: Está a levar quase à extinção as espécies nativas, uma vez que se alimenta de ovos e de peixes pequenos. Hoje em dia está largamente disseminada pelas nossas massas de água e tornou-se uma praga em grande parte destas, chegando ao ponto de ser a espécie dominante e mais frequente em muitas delas.

 

Localização: Lagoas de Mira e Pateira de Fermentelos, mais comum no sul do rio Tejo, principalmente em albufeiras e barragens.

 

ATENÇÃO:

Esta espécie nunca deve ser transferida para outras massas de água.

 

Perca-sol que capturei na vala de Alpiarça, onde estes peixes são já uma praga e são a espécie dominante.