Superordem: Protacantoptegios

Superordem: Protacantoptegios.                        
Ordem:
Salmoniformes.
Família:
Salmonídeos.

Nome vulgar:
Salmão

Nome científico: Salmo salar Linneo 1758.

Características:

Corpo fusiforme, alongado e um pouco comprimido no dorso, alcançando a largura máxima na região da barbatana dorsal. Cabeça um pouco afilada, com mandíbulas providas de fortes dentes. Durante a reprodução, a mandíbula inferior dos machos alonga-se e encurva-se em forma de gancho; isto ocorre raramente nas fêmeas. A extremidade posterior do maxilar está alinhada verticalmente com o limite posterior da pupila do olho. O pedúnculo caudal é estreito e a barbatana da cauda tem uma ligeira forma de forquilha, com as pontas em bico. As peitorais alcançam ou ultrapassam verticalmente a base da dorsal. Os salmões adultos que regressam do mar apresentam o dorso cinzento fortemente azulado, os flancos prateados e o ventre nacarado, com pequenas manchas negras arredondadas ou em forma de estrela sobre a cabeça e o corpo, bem como barbatanas acinzentadas.

Quando sobem o rio, a aparência torna-se mais escura, tingida de vermelho escuro e amarelo esverdeado, salpicado de vermelho com pequenas manchas escuras rodeadas de claro e barbatanas enegrecidas. Os que já desovaram têm uma coloração muito escura, frequentemente com grandes manchas vermelhas. Nos jovens podem ser vistas entre oito a dez listas transversais azuis esverdeadas sobre os flancos, com uma série de manchas vermelhas intermédias. Ao longo da sua vida apresentam diferentes morfotipos:


·         Pintos ou Parrfase inicial da vida; são chamados assim por serem salpicados com pintas vermelhas. Alimentam-se de macroinvertebrados aquáticos e chegam a alcançar entre 10 e 16 cm.

·         Esquines ou SmoltNa Primavera quando atingem pelo menos 15cm passam ao estado de smolt. Começam a ficar prateados e aparecem-lhes pintas negras em forma de X nos flancos, os seus sistemas de osmorregulação adaptam-se para a vida marinha, iniciando as migrações entre Maio e Junho.

·         Salmões têm o dorso azul esverdeado e o resto do corpo prateado, com algumas pintas negras arredondadas ou em forma de X nos opérculos e nos flancos.

Há diferentes morfotipos de salmão:

Ø       S1s – se a migração se dá 15 meses após o nascimento;

Ø       S2s – se a migração se dá 27 meses após o nascimento;

 

A maioria das populações encontra-se nas águas do Sudoeste da Gronelândia, onde se alimentam, regressando 1 – 3 anos depois ao rio de nascimento para desovar.

Ø             Quando regressam depois de 1 ano no mar são designados por GRILSE, pesam 1 – 2,5kg e são na sua maioria machos;

Ø             Os que regressam depois de 2 ou mais anos são designados de SALMÕES e pesam 3 – 20kg.

·         Zancados (saltadores) são os animais que, uma vez que se reproduzem, voltam ao mar arrastados pela corrente e reiniciam a sua alimentação, também se dá o nome de KELT.

 

Comprimento: até 1,5 metros.
Peso: até 35 kg.
Já foi muito comum nos rios do Atlântico Norte e nos do Cantábrico, mas a sua população encontra-se em forte regressão populacional, tendo desaparecido já da maior parte dos rios onde existia. Em Portugal aparece esporadicamente no rio Lima e ainda é pescado no rio Minho, mas já não consegue realizar a sua migração até onde era habitual devido à construção de barragens. Outras causas para a redução das populações de salmão são: o aumento da poluição, pesca furtiva e com artes proibidas, extracção de inertes (turvam a água e destroem locais de postura), constantes flutuações do nível da água causado pelas descargas das barragens, que deixam muitas vezes a seco ou arrastam os ovos não só dos salmões, mas de quase todos os peixes.

 A carne do salmão é muito apreciada e é de uma tonalidade avermelhada. Caracterizam-se por não terem espinhas intramusculares.

 

Trata-se de uma espécie anádroma. A postura dos ovos (desova) ocorre no Outono. Os ovos eclodem na Primavera. Quando atingem entre dois a quatro anos, alcançam a maturidade.

 

A migração do Salmão e as suas fases de vida: