Nome vulgar: SAVELHA

 

Nome vulgar:  SAVELHA
Nome científico: 
Alosa fallax
Família: Clupeidae
Ordem: Clupeiformes

Espécie marinha anádroma, efectua migrações do mar para os rios para se reproduzir.

Em Portugal está referenciada nos rios Minho, Lima, Douro, Mondego, Tejo, Zêzere, Sado e Guadiana.

Nas albufeiras de Castelo de Bode e Carrapatelo existem populações que ficaram retidas pela construção das respectivas barragens. Estas populações alimentam-se e crescem em águas doces, reproduzindo-se nos tributários (afluentes).

Peixe semelhante ao sável, mas mais pequeno. O corpo é igualmente de forma alongada e comprimido lateralmente, coberto de escamas grandes e pouco aderentes. O dorso apresenta uma coloração azulada e os flancos e ventre são prateados. Possui de cada lado do corpo uma fila de quatro a oito manchas escuras arredondadas.

Vive durante um grande período na plataforma continental marinha. A migração desta espécie é mais tardia do que a do sável.

Numa primeira fase alimenta-se de zooplâncton, insectos e crustáceos. Nos estuários a sua alimentação consiste essencialmente em crustáceos e no mar em peixes e crustáceos.

Tal como o sável, também a savelha efectua migrações anádromas, não se alimentando durante este período. A desova ocorre igualmente de noite e embora um pouco menos ruidosa é também semelhante à do sável. Contudo, contrariamente àquela espécie, muitos dos reprodutores após a desova voltam ao mar para no ano seguinte tornarem a repetir este ciclo. Têm a capacidade de se reproduzir em locais mais próximos dos estuários. As fêmeas desovam mais do que uma vez em cada época.