Nome vulgar: Tenca

Nome vulgar: Tenca
Nome científico: Tinca tinca
Família: Cyprinidae
Ordem: Cypriniformes

Por enquanto desconhece-se a sua origem e como foi introduzida em Portugal, cuja existência ocorre em número muito pouco significativo e restrita às grandes bacias hidrográficas do Douro, Mondego, Tejo e Guadiana.

 

A Tenca possui um corpo alongado e alto, pele viscosa coberta de pequenas escamas fortemente incrustadas. Tem uma boca pequena, terminal e com um par de barbilhos. As barbatanas são arredondadas, tendo os machos as barbatanas pélvicas muito mais desenvolvidas do que as fêmeas. É uma espécie com uma coloração geral esverdeada escura a negro no dorso, com reflexos dourados nos flancos e apresentando um ventre em tons amarelos. A barbatana caudal quase não apresenta bifurcação

Tem dimorfismo sexual, distinguindo-se os dois sexos pela forma das barbatanas pélvicas, nos machos são largas, muito desenvolvidas e atingem o orifício anal, nas fêmeas são mais compridas e estreitas e de forma irregular.

É um peixe de fundo, habitando em albufeiras e nos troços inferiores dos rios de fraca corrente mas com muita vegetação. Tem uma admirável resistência às águas ligeiramente salobras e quase totalmente desprovidas de oxigénio, suportando ainda elevadas temperaturas. Pelo facto de ter uma pele muito viscosa torna-a resistente à poluição das águas.

Pode chegar aos 30 cm de comprimento e a um peso de 2 kg.

 

A sua alimentação sustenta-se em invertebrados do fundo, moluscos, vegetais e detritos, comendo igualmente ovos de peixe. Quando se alimenta tem a particularidade de libertar pequenas bolhas que sobem à superfície da água, facto que denuncia a sua presença.

 Esta espécie faz a sua reprodução no início do Verão, quando as temperaturas chegam aos 18/20ºC, depositando os ovos na vegetação submersa e sempre em águas pouco profundas.

 Cada fêmea efectua mais do que uma postura, a qual ocorre de Abril/Maio a Outubro.