Prensa
 La gran victoria en el Cross de Itálica según la prensa

Cross internacional de Itálica (Sevilla) 13-Enero-2002

                   A BOLA

"Mónica imperatriz itálica"

«Um sonho mais distante tornado realidade aos 23 anos!» Assim resumiu Mónica Rosa o seu feito a A BOLA quando contactámos com ela após o final da competição. E de facto poucos apostariam num triunfo da atleta portuguesa num dos crosses mais mediáticos do Mundo e que conta já com 20 edições, embora só nos últimos doze anos tenha sido aberto a atletas femininas.

Este feito inédito no historial do atletismo português, tem ainda maior relevância se atendermos a que Helena Sampaio, mesmo em recuperação, conseguiu alcançar o segundo lugar da corrida, Ana Dias foi quinta classificada e Anália Rosa foi sétima.

Mónica Rosa tomou o comando da corrida logo na primeira volta. «Na partida tive uma espécie de visão que me motivou bastante e que me dizia que era hoje o meu dia de vencer», afirmou. Aos 4000 metros a portuguesa estugou o passo e apenas seis atletas aguentaram na frente: Helena Sampaio, Ana Dias, Anja Smolders, Luisa Larraga e Jaqueline Martín, as que repartiriam os seis primeiros lugares no final.

Nos últimos 1.000 metros a portuguesa isolou-se e cortou a meta com três segundos de vantagem sobre a sua colega de equipa Sampaio. Ana Dias, ainda teve esperança de completar o pódio mas não resistiu ao forcing de Smolders. Anália Rosa, menos fulgurante no início, conseguiu subir alguns lugares e terminar no sétimo posto.

«Se me tivessem falado nisso ontem apenas poderia afirmar que pensava no pódio», referiu Mónica Rosa, «mas jamais pensaria numa vitória, para já».

                                   MAFRA REGIONAL On-LINE 14-1-02
                                                               www.mafraregional.pt 

LUSITANOS EM FOCO NO CROSS ITÁLICA

Eduardo «pica» africanos e Mónica Rosa bate europeias
Ele atacou na última volta, depois de passar grande parte da prova como único europeu entre sete africanos; ela derrotou Helena Sampaio, com Ana Dias em quinta e Anália Rosa em sétima

MUITO bom o comportamento dos atletas portugueses no Cross Itálica, em Sevilha. Eduardo Henriques foi o único europeu a dar luta aos (excelentes) africanos presentes, terminando no quarto lugar, a escassos dez segundos do vencedor, Abraham Chebii, o líder anual de 10 000 metros em 2001. Mónica Rosa ganhou uma mais acessível corrida feminina, isolando-se a cerca de 800 metros do fim para derrotar Helena Sampaio (outra excelente corrida) e a belga Anja Smolders, décima no último Mundial (embora apenas 39ª no recente Europeu).

Na corrida feminina, Mónica Rosa esteve sempre na frente e, na parte final, ganhou dois segundos a Helena Sampaio e à belga Anja Smolders.

"A atleta mafrense Mónica Rosa, que representa as cores do Maratona CP, venceu a mais importante prova do calendário de crosses do país vizinho, o Crosse Itálica. Numa prova com elevados índices competitivos, Mónica provou que está a passar um óptimo momento de forma.
Em Sevilha, onde os crosses costumam ser de elevado nível competitivo, Mónica Rosa arrebata, porventura, o seu mais importante troféu internacional conquistado até à data.

Depois de um segundo lugar no Crosse do Calçado, em Fuensalida, a atleta Mafrense, que venceu o Crosse Itálica, destacou-se entre a comitiva portuguesa que se deslocou à cidade espanhola de Santiponce, nos arredores de Sevilha.

A fundista do Maratona CP, que tinha começado muito bem a sua época de Inverno e depois baixara um pouco, em especial por ocasião dos Europeus de crosse, obteve aquele que é até agora o seu maior triunfo internacional, ao vencer a prova espanhola, uma das mais relevantes do circuito mundial.

Helena Sampaio foi segunda com 21m24,17s o que correspondeu a mais de 2,5 segundos de desvantagem sobre Mónica. Ana Dias, outra das representações nacionais acabou no quarto lugar da tabela.

Com esta vitória Mónica Rosa continua a ser, cada vez mais, apontada como uma das principais esperanças nacionais em termos de atletismo."

                         MARCA

"En la categoría "reina" femenina -con cuatro portuguesas entre las siete primeras- el triunfo fue para Mónica Rosa (21:21.42), con un final impresionante ante un grupo de media docena de corredoras, entre las que se encontraban dos españolas, Luisa Larraga -que fue cuarta, con 21:27.78- y Jacquelin Martín -sexta-, con 21:34.60.

Monica Rosa, trigésima en el Mundial de Cross de Ostende 2001, estuvo siempre en el grupo de cabeza de la carrera que comandó en un primer momento la belga Anja Smolders, décima en el Mundial de Cross de Ostende y que acabó tercera.

También estuvieron en todo momento las portuguesas Helena Sampaio -sexta en el Europeo de Cross de Thun 2001- y Ana Dias -trigésimo cuarta en Ostende- y la inglesa Diane Ilenaghan, que fue la primera en desencadenar batalla pero que al final quedó relegada al puesto decimotercero."

             El Mundo deportivo

"En la prueba femenina Portugal se dio un festín, colocando a cuatro atletas entre las siete primeras, entre ellas la vencedora, Monica Rosa, autora de un final extraordinario entre un grupo de seis corredoras con dos españolas, Luisa Larraga, cuarta, y Jacqueline Martín, sexta."