Altura Distância Triplo Vara Altura
Distância
Triplo
Vara


1. Altura

Este evento não figura nos Jogos Antigos, mas foi comumente praticado pelos Celtas. A primeira competição foi organizada na Inglaterra, em 1940, e regimentada em 1965, onde cada competidor possuía três saltos em cada altura e a barra não poderia ser aumentada no caso do competidor derrubá-la. A altura de seis pés (1,83m) foi utilizada pela primeira vez por Marshall Brooks (Grã-Bretanha), em 1874, usando a técnica de um pé primeiro. As “tesouras” foram usadas pela primeira vez por William Page (EUA) em 1874, e prontamente acompanhadas pelo atalho oriental, desenvolvido por Michael Sweeney (EUA). George Horine foi a primeira pessoa a saltar 2,00m usando o girar oriental. Até 1936, as regras diziam que a viga tinha que ser ultrapassada com um primeiro pé primeiro. Em 1941, Lester Steers (EUA) iniciou o estilo de cabeça, justificando os seus 2,11m. Além disso, mudanças nas regras limitaram a espessura permitida das solas dos tênis dos saltadores. Em 1968, Dick Fosbury (EUA) inventou o “flop”, um salto atrasado acompanhado de uma corrida muito rápida e somente possível por causa da introdução de almofadas de aterrissagem no colchão. Esse estilo passou a ser usado por todos os grandes saltadores desde 1978. Javier Sotomayor (Cuba) é o atual recordista mundial com a marca de 2,45m. O recorde atual é 49cm maior que o primeiro registrado por ele. A primeira competição feminina de Salto em Altura ocorreu em 1895, nos Estados Unidos. O evento estreou nas Olimpíadas de 1928, e, o primeiro recorde foi homologado pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF) em 1932. As mulheres também usam vários estilos para saltar. 


2. Distância

O Salto em Distância há muito tempo faz parte das competições esportivas. Figurou nos Jogos de 708 AC como parte do Pentatlo: o saltador pegava na sua decolagem um pequeno lastro em casa passagem, no qual mostrava grande impulso. O evento moderno foi regularizado na Inglaterra e nos Estados Unidos em 1860: o levantar-vôo tinha que ser feito 20cm afastado da tábua dentro da marca de saibro. Até a década de 1920, a técnica foi considerada rudimentária, com as pernas dobradas embaixo do corpo imediatamente após o levantar-vôo, então estende-se e subseqüentemente põe as pernas abaixo do corpo novamente para a aterrissagem. Entre 1922 e 1927, William De Hart Hubbard (EUA), o primeiro campeão Olímpico negro e retentor do recorde mundial, introduziu adiante, com Robert Legendre (EUA), um movimento das pernas no ar. Variações disso e a mais simples técnica de “flutuar” são usadas até hoje. A primeira competição de salto em distância feminina aconteceu nos Estados Unidos em 1895. O primeiro recorde mundial feminino foi homologado pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF) em 1928, enquanto o evento estreou nos Jogos Olímpicos somente em 1948, na Inglaterra. 


3. Triplo

Os Celtas inventaram um estilo de três saltos numa ação contínua e isso foi regularizado até o fim do século XIX, primeiro pelos Irlandeses e depois pelos Americanos. Originalmente um vôo-vôo-salto, sendo primeiramente dois vôos com um mesmo pé, o Salto Triplo começou, depois de 1900, com a técnica vôo-passo-salto. Recordes femininos nas competições em ambiente fechado nos Estados Unidos datam de 1899, e, ainda que não tivesse reconhecimento oficial, o evento foi praticado regularmente, particularmente nos Estados Unidos, Rússia e China. O primeiro recorde mundial foi homologado em 1990 pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF), e estreou em 1993 no Campeonato Mundial da IAAF de 1993. 


4. Vara

O Salto com Vara foi conhecido pelos velhos Gregos através de saltos por cima dos touros. Os Celtas usaram a vara, mas para competição em extensão. Esse evento iniciou uma competição vertical na Alemanha em torno de 1775, durante as competições de ginástica. As varas maciças foram feitas de cinzas e os atletas aumentaram as suas marcas com os saltos. Em 1889, os Americanos alteraram o movimento das mãos ao longo da vara e inventaram a técnica de reverter as pernas para cima. Em 1900, os bambús foram usados pela primeira vez, remanescendo o uso até 1942, e recebendo a “caixa” onde a vara passou a ser introduzida. Em 1957, Bob Gutowski usou uma vara de alumínio para fazer o recorde mundial com a marca de 4,78m, o qual foi quebrado novamente em 1957 por Don Bragg (EUA), que usou uma vara de aço para chegar aos 4,80m. Neste período também houve introdução de colchões de aterrissagem, que aumentaram a segurança dos competidores. A vara de fibra de vidro, que permitiu maior flexão e revolucionou a técnica de saltar. O primeiro recorde mundial usando esse material foi marcado em 1961. Ainda que as performances femininas sejam registradas desde 1911, o evento foi levado a sério - com os Chineses na vanguarda - somente nos últimos anos. A Federação Internacional de Atletismo (IAAF) passou a ratificar o recorde mundial feminino em 1995 e o primeiro campeonato internacional foi o Campeonato Europeu Indoor em 1996. A vencedora foi Vala Flosadottir (17) da Islândia, com a marca de 4,16m. O evento tem participação garantida nos próximos Campeonatos Mundiais Indoor.

1