inteview by Dementia

 


[Apresente-se e fale-nos sobre o Dead Jump!]

Bem, Meu nome e Alexandre G. Ramos e sou o unico integrante deste projeto. O dead Jump surgiu em abril de 1996, quando resolvi investir em alguma coisa seria, ja que o Brutal estava sendo levado "nas coxas". Hoje o Dead ja esta bem falado na cena eletronica, mas ainda acho que ha muito caminho a ser percorrido.



[Porque apos um bom tempo trabalhando com o Brutal Divergenz voce
resolveu partir pra carreira solo? E como anda o Brutal?]


Como disse, pelo fato de  nao ter seriedade e tambem pela falta de tempo. um dos grandes motivos do termino das milhares de de bandas existentes e o desinteresse por parte de algum FDP. Hoje acho melhor levar assim, porque sei que o futuro do Dead Jump esta em minhas maos. Ja o Brutal esta "congelado", pois enquanto eu nao atingir meu maior objetivo, que e lançar o cd, ele estara assim.

[Voce comecou fazendo um misto de ebm anos 80 com dark-electro, enquanto que os trabalhos novos estao mais na praia do electro-industrial, bem anos 90. Como voce explica essa mudanca sonora?]

Acho que tudo que muda em minha vida reflete nas musicas. Adquiri equipamentos novos e isso me fez crescer e muito, porque existiam muitas limitaçoes em minhas composiçoes devido aos recursos precarios da epoca, o que nao acontece hoje. Tenho liberdade para samplear o que quiser e isso enriquece as musicas e em decorrencia as musicas soam muito mais atualizadas.


[Que equipamentos voce tem utilizado ultimamente? O que mudou em relacao a primeira demo?]

Akai 2000, X2 Korg, Quadraverb 2, Computador Compaq pentium, Cakewalk, sound forge, Tascan 424 e MIC Roland. Posso te dizer que tudo  mudou em relaçao a Holy Mind. O jeito de compor, os vocais (agora tudo sampleado ), timbres, enfim uma renovaçao geral.



[Seu trabalho ja' foi elogiado por caras de bandas como Aghast View, Clone DT e Morgue. Ha' alguma previsao para sair um cd, mais do que merecido?]

E', Realmente recebi boas criticas destas pessoas e so tenho que agradecer por esta injeçao de animo. Ja o cd, posso lhe dizer que estou tentando. As poucas bandas brasileiras que se destacam "la fora" tiveram um apoio fundamental da Cri du Chat, como esta nao existe mais, cada um tem que tentar com o que tem e com certeza e muito mais facil carregar algums cds lançados na bagagem do que algumas " fitinhas", mas enfim ,o lançamento do cd e uma missao dificil, mas nao impossivel.


[Tanto a cena alema como a cena brasileira de musica eletronica pesada andam bastante paradas. Como voce ve o futuro da cena?]

E isso so tende a cair, pois cada dia que passa as coisas estao mais fechadas. A cena alema, muito estranha, esta totalmente parada. E dificil encontrar uma explicaçao logica para isso. Ela que conta com centenas de bandas, hoje em decadencia. Poucos lançamnetos interessantes e muita coisa para " irritar os ouvidos humanos". Ja a Brasileira, nao tenho nem o que comentar. Existe?? Acho que so a contribuiçao que esta recebendo hoje e pouco. todo mundo vive dizendo que o cd esta para sair, mas cade?? eu posso dizer que meu cd vira em breve, mas isso sera uma imbecilidade da minha parte. Quando alguem assume uma postura consideravel a frente de algum meio de divulgaçao e para dizer bosta de banda Brasileira. Que porra de gente e' essa?? Arruma espaço  para divulgar sua propria banda e meter o pau em EBM nacional. Nao esta feliz aqui, tchau! E' insuportavel ver pessoas cuspindo em pratos usados por si propio. Um dia isso mudara!!!


[O que voce tem ouvido ultimamente e usado como influencia para os futuros trabalhos do Dead Jump?]

Vou citar algumas bandas em praias diferentes: Front line assembly, Skinny Puppy, Leatherstrip, Haujobb, Download, Kraftwerk, Intermix, In Strict Confidence, Lassigue Bendthaus, Forma Trade, Klinik, Nine inch Nails, Marilyn Manson, Prodigy, Putrefy Factor 7, Mentallo & the Fixer, X Marks the Pedwalk, Funker Vogt, Trial, Depeche Mode, Delerium, e da cultura hip hop: Method Man, Onix, House of Pain, Deliquents Habits, Wu Tan Clam, Beastie Boys, Busta Rhymes e muitas outras coisas que nao lembro agora. Influencias, o básico: FLA, SKINNY PUPPY, LEATHERSTRIP, HAUJOBB, DOWNLOAD e KLINIK.


[E' verdade que seu irmao que curte rap tem participado de seus trabalhos? O que podemos esperar em termos de crossover em seu som? Rap, Metal, Techno, ...???]

Sim, O Jonas Tem feito algumas participaçoes nos vocais, mas isso nao reflete nas influencias da banda. E uma experiencia nossa que deve seguir adiante, pois os resultados estao sendo satisfatorios. Vcs podem esperar o imprevisivel. Acho que isso sera um desafio para mim e para os ouvidos alheios.


[Deixe uma mensagens aos leitores do Incision Magazine!]

Pensem mais a respeito da nossa cena. De mais valor, contribua de alguma forma, proteja, fale bem, enfim, nao vamos ser os assassinos da nossa propria cena, que hoje tem bandas muito boas para ouvir.


Incision Electro Bible - <Index>

1