Entrevista:

by Marshal Law

 

Nao da' para falar em cena eletronica nacional sem citar o Morgue. Nascida como uma banda de electronic body music estes caras ganharam admiracao e respeito na Europa com suas tracks pulsantes e pesadas. No setimo ano de sua existencia eles lancam um dos melhores trabalhos de 1997: "Sweet Apology of Death" ( Cri Du Chat ) onde o que mais impressiona sao os detalhes dos arranjos e o experimentalismo sonoro.

 

[O que o Morgue andou fazendo entre "The Mind is a Labyrinth" e "The Sweet Apology of Death" ?]

Fizemos varios shows, temos estudado musica, compondo, descobrindo novas texturas e sinteses analogicas, reestruturando todo o set-up de equipamentos, adquirindo novas influencias e procuramos usa-las em nossos novos trabalhos.

 

[Estes dois trabalhos foram lancados e/ou distribuidos pela Cri Du Chat. Como tem sido trabalhar com este selo durante todos estes anos ?]

O primeiro trabalho foi prejudicado pelo fato que a Cri du Chat estava trabalhando com a Subtronic que nos roubou pra caramba, agora estamos prejudicados pela falta de promocao devido a saida do Eneas! Ainda nao recebemos nada pelo cd e pelas vendas, mas eu sinto que as coisas vao comecar a mudar breve...

 

[O que voces acham da saida do Eneas Neto da Cri Du Chat ?]

Como eu disse anteriormente, a promocao do disco esta sendo feita por nossa conta pois agora sem o Eneas a CDC esta totalmente desorientada e nos assumimos a promocao do disco para nao ficarmos a ver navios!

 

[O que voces andaram sampleando neste ultimo trabalho ?]

Eu tenho sampleado um montao de teclados analogicos como o Six-Trax da Circuitry e o Matrix da Oberheim (do George do Homicidal Feelings), Minimoog e Polymoog (do Apollo IX), Roland D-50, JV-80, D-70, Korg 01/W, X-3, Poly 800, Ensoniq VFX, Vintage,  e um montao de cds analogos de sampler da East-West, Discovery e timbres de bateria da Pro-Rec. De bandas eu sampleei alguns ticks de ruidos do VIVIsectVI do Skinny, David Bowie (guitarras modificadas com overload e phaser!), Enya (strings), loops de beat de hip-hop do Mantronix, GrandMaster Flash e do Whodini!

 

["Sweet Apology of Death" é bastante experimental: muitas faixas instrumentais,  cheias de noises e efeitos. O que voces andam escutando ultimamente ?]

Download; Nine Inch Nalis; Marylin Manson; Skinny Puppy; Sepultura; David Bowie ; Beck; Kraftwerk; Prodigy; Leftfield; Massive Attack; Haujobb; Psychic TV; Ice-T; Digable Planets; Bauhaus; Sisters of Mercy; Violeta de Outono; etc...

 

[No que influenciou a entrada de Marcelo  M. na banda ?]

Ele nos ensinou que musica eletronica nao e simplesmente sequenciar... Agora estamos preocupados com toda a estetica musical de cada som, vocal, forma de cantar, recheios com "loops"... e alem do mais as guitarras e strings que ele tem feito sao otimas no meu ponto de vista e do Morgue.

 

[A parte grafica de "Sweet Apology of Death" e' explicitamente trash. Por que ?]

As fotos foram tiradas do filme "Alucinacoes" que fala das experiencias vividas durante as alucinacoes com drogas como o Opium, Mescalina e o LSD. Neste caso a pessoa que vive esta experiencia esta sempre ligado a alucinacoes  que  beiram  a  morte!  As  fotos  sao destas "viagens".

O tema do cd se refere a uma visao psicodelica da morte. Death vs. Hallucination ! Na foto da bandeja do cd existe o codigo da acido lisergico e o lema do guru Timothy Leary que significa mais ou menos... "Fique conectado, faca bom uso desta loucura, mas nao deixe se levar demais e entao caia fora!"

 

[Voces mesmos ja' confeccionaram o site oficial do Morgue na Internet. Como esta' sendo para voces este contato com a rede ?]

Fantastico! Alem de economizar muito com correio nos temos visto o contador do nosso site crescer dia a dia! Estamos tentando manter o site informado e atualizado a cada dia! Se ate o Gilberto Gil ficou fascinado com a Internet e fez uma musica nos so podemos dizer que tudo isto e fantastico!

 

[O que voces estao achando da atual cena eletronica nacional ?]

Eu ainda acho que esta tudo muito apagado e as bandas nacionais nao exigem dos clubs para tocar ao vivo, sendo assim os donos das casas acham que show de banda eletronica nao precisa de cache! Qualquer bandinha de rock-garagem cobra R$ 400,00 para 500,00 e se nos pedimos R$ 150,00  os caras acham muito!!! Eu tambem nao concordo com as bandas que nao tocam ao vivo! Tem que tocar nem que seja play-back! Show ajuda a divulgar o trabalho da banda muito mais do que uma demotape, acredite! Infelizmente as bandas nacionais de eletronico estao vivendo num clubinho, a teia esta fraquinha e muito pequena! E por isso que estamos tentando pular fora do conceito EBM padrao que foi adotado aqui devido ao vacuo (buraco!!!) que as bandas da Alemanha deixaram na cena! Hoje eu nao consigo ouvir EBM feito na Europa (existe exceções, e claro!) por que o tempo esta passando e o som de la esta ficando chato, minimalista e burro! Eu noto que boa parte dos musicos de EBM nacional pensa como os do EBM europeu, infelizmente...  O que mata mais ainda e saber que tudo poderia ter sido melhor, como o techno e o trip-hop estao fazendo hoje, influenciando todo mundo, todos os grandes musicos e so agora, com o techno, e que se sabe que se podia fazer musica com synths e samplers?! Nao e de fuder!? Mas os "moleques" cabeca-fechada preferiram se masturbar com fitas demos de bandas novas e esgotaram a paciencia dos promoter das casas aqui em Sao Paulo e nunca levaram nada pra midia, jornal ou tv! Voce ja viu revista na banca de jornal falando so de eletronico e industrial... Mas garanto que de rap, funk, rock, metal,  sertanejo, samba, techno, djs, tem de monte...

 

[Como andam os trabalhos paralelos ( Glass House, Maggot e Mads in the House ) ?]

O  Glass  House esta  terminando uma  demo. O Maggot  esta quase  que aposentado pois a proposta do Maggot e muito dark e depressiva para o que rola hoje. Mads In The House vai comecar a trabalhar com o Morgue misturando Industrial com cross-over. Mas tudo ainda continua voltado para o Morgue, os projetos vao ficando para depois...

 

[Como voces funcionam ao vivo ? Levam toda a parafernalia (sequencers, samplers, modulos )  ou pre'-gravam tudo em mini-disc ou dat ?]

Nos levamos 2 teclados (as vezes 2 w-30s ou um w-30 e um Alesis quadrasynth), o modulo Sqr da Ensoniq, 1 mesa, 2 guitarras, bateria acustica (mas depende do lugar aonde vamos tocar!), e o minidisk com a base gravada! Rola playback com bastante improviso, dobrado de teclados e bateria e um montao de intros e colagens diferentes das musicas originais!

 

[Falando um pouco nesta parte tecnica : voces acompanham os lancamentos de hardwares e softwares de musica ? Se sim, o que estao achando ?]

Um pouco... Eu acho que os lancamentos (principalmente teclados e samplers) sao assustadores mas eu sempre gostei de explorar meus equipamentos no maximo, deixando tudo parecer de ultima geracao. A proposito isto nao faz sentido dizer pois todo mundo hoje em dia ainda se volta a tudo que e antigo!

 

[Para finalizar : quais os planos para este ano ?]

Esperamos realmente que a Off-Beat e a Metropolis licensie nosso cd la fora, pois houve um interesse de ambos e recebemos um fax da Off-Beat sobre isso... Tambem fomos convidados para fazer uma tour com o Aghast View nos EUA a convite do Brandon F. da Oramusic da California, esperamos que role! A banda Haujobb quer remixar a faixa Signum Signal do nosso cd, estamos agitando outros remixadores para podermos lancar um Mcd de remixes ate o  fim do ano. Nos ja fizemos um remixes da Nature's Freak para o Culture Shock Magazine dos EUA e um remix para a banda Kremaster, entao queremos fazer remixes para outras bandas e vice-versa!

Muito obrigado Heraclito e Paulo pela entrevista e contato. Um abraco. Gil O. S.

Morgue Contact:morgue@mandic.com.br


Incision Electro Bible - <Index>

1