Doenças Mais Comuns

Algumas Doenças

 

Glaucoma


Doença ocular grave, de diagnóstico importante pelas seqüelas funcionais sérias que acarreta para o portador. É silenciosa, na maioria das vezes, sem sintomas exuberantes, mas pode ser surpreendida pelo exame rotineiro com oftalmologista especializado, através de métodos disponíveis em seus consultórios e nas clínicas. Trata-se de doença com tratamento clínico eficiente, ou em falhando estes, tratamento cirúrgico.

Manifesta-se em geral na idade adulta, sendo muito importante sua pesquisa em todas as idades, desde que seja possível a colaboração do paciente. Também aparece em crianças já no nascimento, de forma congênita, sendo de diagnóstico necessariamente precoce, para que possam haver o menor número de seqüelas visuais e uma reabilitação da criança do ponto de vista visual..

Também manifesta-se secundariamente em uma variada gama de doenças com repercussão ocular, em traumatismos oculares devendo ser tratado com rigor, para não ser causa de incapacidade.

É considerada a maior causa de incapacitação visual, sendo por isso fonte de preocupação constante de todo o médico especializado em oftalmologia.

Catarata


È fator importante de perda funcional visual.

Decorre da perda da transparência do cristalino, lente biológica situada atrás do orifício pupilar, que tem importantes funções refracionais nos olhos.

Confundida com freqüência com outra doença ocular, o pterígio, que é externa ao olho, a catarata é uma doença intraocular. Aparece com mais freqüência em idosos, mas pode ser congênita, e também aparecer como complicação de várias doenças orgânicas, como diabetes, e, também, como seqüela de processos traumáticos, físicos ou químicos, e por complicação de doenças infecciosas e inflamatórias.

É tratada desde tempos imemoriais, com sucessos e fracassos. Na modernidade técnicas cirúrgicas cada vez mais avançadas, promovem a retirada do cristalino opacificado e sua substituição por lentes colocadas dentro do olho (LIO), com função refracional. Os tratamento conservadores estão em pesquisa, sendo no entanto, hoje, seguro o tratamento cirúrgico, com baixo índice de agressão orgânica e local.

 

Doenças da Córnea


A córnea é um tecido especial, sem similar no organismo. Está situado como anteparo e lente biológica, com funções extremamente importantes no processo visual., sendo protegida pelas pálpebras. É tecido sem vasos sangüíneos de nutrição, que se dá pela lágrima e por difusão dos líquidos que com ela entram em contato.

Pode ser sede de deformações que lhe tragam prejuízos em sua função refracional, ataques de agentes biológicos, agressões traumáticas sérias, pela sua localização, que podem gerar a perda de sua transparência e pode ser também secundariamente atingida em doenças orgânicas que repercutam nos olhos.

Suas patologias são tratadas clínicamente e, em função da evolução técnica cirúrgica, podem ser executadas operações que restabeleçam suas funções, sendo o primeiro sítio de transplantes realizado com sucesso pela medicina. Também é a mais importante via de acesso para as cirurgias intraoculares, sendo por isso passível de danos em certas situações de abordagem.

Nos dias atuais, cirurgias com técnicas modernas podem atuar sobre seus parâmetros modificando-os, e desta forma, tornando dispensável, em uma gama de defeitos de refração, o uso de meios de correção como os óculos ou as lentes de contato.

 

Doenças Externas


São as mais aparentes e, geralmente, as que mais motivam a pessoa a procurar cuidados médicos especializados.

Tem causas variadas, sendo a manifestação primordial a irritação ocular com vermelhidão. Podem estes sinais denunciar quadros clínicos das mais variadas complexidades, desde alterações simples causadas por agentes biológicos, até manifestações de doenças de gravidade insuspeita, que podem levar a graves riscos funcionais, como até riscos para a vida das pessoas.

Infelizmente é corriqueira no nosso meio a automedicação. Assim quadros graves podem passar despercebidos, ou podem ser mascarados por uso inadequado de agentes medicamentosos. Esta prática deve ser cessada para segurança e tranqüilidade das pessoas.

Outro alerta importante, que cabe neste espaço, é para as condições traumáticas que atingem os olhos. Mesmo em situações aparentemente simples está envolvido um risco para a função visual, devendo ser avaliada por alguém habilitado, evitando-se a prática de atos por pessoas que não possuam meios de conhecimento e ou meios materiais para atuar nessas eventualidades.

Finalmente é importante destacar, nos nossos, dias a importância do uso cinto de segurança em veículos automotores de transporte. O uso de contenção, é importante modo de diminuição do risco de traumas oculares graves, mesmo a baixas velocidades, como no tráfego urbano, e principalmente para crianças.

 

Vícios de Refração


São as alterações funcionais mais conhecidas da função visual, pelas pessoas em geral.

Desde muito tempo tem sido corrigidas por meio de óculos, e de algumas décadas para cá por meio de lentes de contato, e, mais modernamente, por técnicas cirúrgicas que pretendem corrigi-los dispensando o uso de meios físicos de correção óptica.

Apresentam-se de várias formas, causando dificuldades visuais em qualidade e quantidade. Vão desde restrições importantes da função visual quantitativas, com incapacitação para atividades corriqueiras, até a graus leves de imperfeição estrutural, que dão sinais qualitativos de disfunção visual, e mesmo alterações que causam desconforto nas atividades diárias das pessoas.

São importante causa de baixo aproveitamento escolar em crianças, devendo ser detectadas com precocidade para sua correção. Além disso são causa de baixo nível de eficiência no trabalho, e podem ser fator econômico importante, pela melhoria da eficiência, e pela diminuição de situações de risco no trabalho, em pessoas que apresentam déficit visual qualitativo ou quantitativo. São também fator de risco envolvido, de maneira importante, na segurança das pessoas pois pode prejudicar, de maneira direta e indireta, a capacidade para conduzir veículos no tráfego conturbado das estradas e ruas.

São causa de variados sintomas, principalmente, a dor de cabeça nas pessoas, e podem ser fator de desmotivação e desestímulo no trabalho, tanto físico como intelectual. Podem ocorrer repercussões econômicas importantes quando tais sintomas são levados a que se pesquisem outras doenças, com grandes perdas de tempo e recursos.

 

Doenças Sistêmicas


São causas freqüentes de alterações visuais.

Esta comunicação alerta principalmente para doenças de alta prevalência na população em geral como a Hipertensão Arterial Sistêmica (pressão alta) e o Diabetes. Diagnosticada uma dessas condições, é importante uma visita ao oftalmologista, para avaliar as conseqüências sobre os olhos, assim como um exame oftalmológico, pode ser meio eficaz de suspeita da existência dessas doenças, ainda não diagnosticadas pelo médico clínico.

No entanto não são apenas essas as patologias orgânicas que se manifestam nos olhos. Doenças de todos os órgãos e sistemas podem afetar os olhos, sendo que também nesses casos um exame especializado pode colaborar para um diagnóstico precoce e o estabelecimento de prognósticos.

É oportuno ressaltar que crianças nascidas prematuras, ou que tiveram parto difícil, devem ser examinadas por especialistas, principalmente se fizeram uso de oxigênio com agente terapêutico, em virtude de patologia grave que podem causar, que pode ser diagnosticada com brevidade e então tratada com precocidade.

Esta comunicação não tem a pretensão de abordar todas as situações de risco da função visual, mas ser de caráter informativo e auxiliar, às pessoas não afeitas a assuntos dessa especialidade a conduzirem situações.

Não deve servir de fonte de substituição dos médicos clínicos, da confiança dos pacientes, que são as pessoas aptas a orientarem os pacientes nas situações reais do cotidiano.

1