O Olho Humano

O Olho Humano






O
globo ocular, com cerca de 25 milímetros de diâmetro, é o responsável pela captação da luz refletida pelos objetos à nossa volta. Essa luz, atinge em primeiro lugar nossa córnea, que é um tecido transparente que cobre nossa íris como o vidro de um relógio. Em seu caminho, a luz agora passa através do humor aquoso, penetrando no globo ocular pela pupila, atingindo imediatamente o cristalino que funciona como uma lente de focalização, convergindo então os raios luminosos para um ponto focal sobre a retina. Na retina, mais de cem milhões de células fotossensíveis transformam a luz em impulsos eletroquímicos, que são enviados ao cérebro pelo nervo óptico. No cérebro, mais precisamente no córtex visual ocorre o processamento das imagens recebidas pelo olho direito e esquerdo completando então nossa sensação visual.

O olho humano é um órgão da visão, no qual uma imagem óptica do mundo externo é produzida e transformada em impulsos nervosos e conduzida ao cérebro.

Ele é formado pelo globo ocular e seus diversos componentes. Basicamente se restringe a uma lente positiva (convergente) de alto poder refrativo e é formado pela córnea, com +44,00 diop. e o cristalino com +14,00 diop. num total de +58,00 diop.. Seu comprimento, no sentido ântero posterior, é de 24 mm. Entenda-se que estes dados são básicos e naturalmente variações existem.

Os raios luminosos, paralelos, vindos do infinito, penetram no olho pela pupila, convergem-se (com o poder dióptrico positivo) encontrando-se na retina, mais precisamente na fóvea central, que é circundada pela mácula, proporcionando assim visão nítida, o que ocorre com os olhos de visão normal, conhecida como "emétropes".

Uma curiosidade: as imagens, que se projetam dentro do olho, são invertidas, ou seja, de cabeça para baixo.Isto é o que ocorre com todo sistema óptico, quando é disposto além da sua distância focal. O cérebro faz a inversão da imagem, colocando-a na posição correta e nos dá a sensação que estão na posição normal.

O propósito do olho humano, no processo da visão, é formar uma imagem, no fundo do olho, que é conhecida genericamente como "retina". Podemos considerar que o olho é um instrumento óptico, por tal performance. A necessidade de lentes de óculos, em frente do olho, é determinado pela inexatidão com que esta imagem é formada na retina. Nos casos em que a imagem, ou o encontro focal, acontece fora da fóvea central, provoca uma imagem borrada ou desfocada. Esta imagem é corrigida com lentes oftálmicas com poderes dióptricos, que compensam as deficiências visuais, desde que necessária para fazer a compensação e obtenção de boa visão.

Enfatizo que quando os óculos são usados, não somente completam a função visual, como também suplementam o poder refrativo do olho.

 

Pálpebras

As pálpebras são as partes móveis que servem para proteger os olhos. A pele das pálpebras é a mais fina do corpo, é de grande elasticidade, pois exige-se muito delas nos movimentos de abertura e fechamento dos olhos. Além do mais elas tem a função de lubrificar os olhos.

Esclera



É a estrutura branca dos olhos e funciona como um "esqueleto", contendo, protejendo e dando forma ao globo ocular. É contínua à córnea e ao revestimento do nervo óptico.

Córnea




A córnea é a lente natural mais importante do olho, que, assim como a lente de uma câmera fotográfica, refrata os raios de luz que entram nos olhos, participando da focalização das imagens na retina. Ela é um tecido totalmente transparente, que, semelhante ao vidro de um relógio, protege a estrutura interna, sem ser facilmente visto.

Humor Aquoso

Trata-se de uma substância semi-líquida, transparente, semelhante a uma gelatina incolor. Esta substância preenche a câmara anterior do olho e, pela sua pressão interna, faz com que a córnea se torne protuberante.

O humor aquoso é renovado lenta e constantemente e o seu excesso é escoado pelo canal de Schlemn. Quando este canal entope, o olho fica com excessiva pressão, sendo uma das causas do glaucoma, doença que danifica a fóvea central, podendo causar cegueira parcial.

Cristalino: Corpo aproximadamente biconvexo, em forma de lente, transparente, com um poder dióptrico de perto de +14,00 diop., localizado logo atrás da íris, entre a câmara anterior e a câmara posterior do olho. A função principal do cristalino é permitir a visão nítida em todas as distâncias. Quando se olha para perto, o cristalino torna-se convergente, aumentando o seu poder de refração e quando se olha para longe, torna-se menos convergente, diminuindo seu poder dióptrico. Isso faz com que a visão seja nítida em todas as distâncias. O cristalino é uma lente que, através da sua variação dióptrica, conhecida como acomodação, torna possível visão nítida, para perto, para longe e para todas as distâncias. Esta acomodação diminui, à medida que os anos passam, até que surge a presbiopia.

Retina




A retina é uma fina camada de tecido nervoso que reveste a face interna e posterior do globo ocular. É destinada a receber os raios de luz, formando as imagens e transferí-las para o cérebro. Quando não há erros de refração, as imagens recebidas esterão perfeitamente em foco.

Músculos Extraoculares

Seis músculos extraoculares controlam os movimentos de cada olho: quatro músculos retos e dois oblíquos. Eles mantém o alinhamento dos olhos, possibilitando a formação da imagen em locais determinados da retina. O desalinhamento dos olhos é chamado de estrabísmo e denota uma disfunção destes músculos.

Nervo Óptico


O nervo óptico é um prolongamento das células nervosas da retina, responsável pela condução das imagens formadas no olho até o sistema nervoso (cérebro), onde as imagens serão decodificadas e interpretadas. Ele pode ser comparado ao fio de um telefone  que conecta o aparelho à uma central telefônica.

Íris


A íris é a parte colorida dos olhos. É uma superfície relativamente plana, com uma abertura circular no centro, a pupila, cuja função é regular a quantidade de luz que entra nos olhos, através de movimentos de dilatação e contração, da mesma forma que o diafragma de uma máquina fotográfica.

Cristalino


É a lente  interna dos olhos. É uma estrutura biconvexa, transparente, de cerca de 4mm de espessura e 9mm de diâmetro, suspenso atrás da íris. Sua função, assim como a da córnea, é de focalizar as imagens na retina.

Humor Vítreo


O humor vítreo é um corpo gelatinoso, transparente e avascular, que perfaz dois terços do volume e do peso do olho. Ele preenche grande parte do espaço interno do olho. O vítreo é composto por água (cerca de 99%), colágeno e ácido hialurônico, que lhe conferem sua consistência gelatinosa.

Mácula


Utilizando a imagem de uma antena parabólica para representar o fundo do olho ressalta-se que o centro corresponde à mácula e não ao nervo óptico. O nervo óptico não capta as imagens com a máxima precisão de detalhes. É o centro óptico do olho, onde são focalizadas as imagens. O centro da mácula é a fóvea, região da retina especializada em ver detalhes com nitidez. Por isto mesmo, concentra apenas os cones, sem apresentar sequer uma rede capilar, recebendo nutrição das células vizinhas. Cada cone situado nesta região se liga a uma fibra que faz ligação direta com o nervo óptico transportando seu estímulo quase que individualmente.Neste ponto central da retina faltam algumas de suas camadas mais internas, deixando-a mais fina, com uma pequena concavidade, marcada por uma coloração mais escura. Esta região se compõe exclusivamente de cones e, na medida em que se afasta da fóvea, a retina vai refazendo a sua estrutura, naturalmente mais espessa.A mácula tem o tamanho aproximado do nervo óptico (cerca de 1mm de diâmetro).A própria anatomia predispõe esta região da retina para nitidez de detalhes, forma de imagens paradas, estáticas, porque cada detalhe pode ser transmitido por uma fibra nervosa, pouco associado a outras imagens.

Ponto cego

O ser humano tem um pequeno ponto cego no olho. Fica localizado no fundo da retina. Está situado ao lado da fóvea e é o ponto que liga a retina ao nervo óptico. Estranhamente é desprovido de visão.

Músculos externos

Também conhecidos como "extrínsecos". Os globos oculares têm seus movimentos conduzidos pelos músculos externos. Quatro destes músculos são chamados de "reto" e são os seguintes: Reto superior (responsável pela movimentação do globo para cima), Reto inferior (responsável pela movimentação do globo para baixo), Reto interno (responsável pela movimentação do globo para o lado nasal) e Reto externo (responsável pela movimentação do globo para o lado temporal).

Outros dois músculos são conhecidos como oblíquos: Oblíquo superior e Oblíquo inferior, ambos responsáveis pelos movimentos rotativos do olho.

Fóvea Central

Fica localizada no fundo da retina, ligeiramente para o lado temporal e seu tamanho é de 3mm. de largura por 2mm. de altura. Como se nota é bem pequena e é nela onde há o encontro focal dos raios paralelos que penetram no olho. A fóvea é de suma importância para a visão pois a acuidade visual, nela obtida, e de 10/10 ou 20/20 (um inteiro), ou 100%, ou seja, a visão normal de uma pessoa emétrope. Fora da fóvea a acuidade visual vai gradativamente perdendo a eficiência, à medida que a concentração de cones, vai reduzindo. Basicamente a fóvea é composta de três cones: um para a cor verde, outro para a amarela e outro para a vermelha.

 

1