Como passar numa dinâmica de grupo

Como passar numa dinâmica de grupo ?

Julian Szymański

Fevereiro de 2006.

 

Muitos universitários que visitam este website têm escrito para mim para perguntar se tenho alguma dica de como passar numa dinâmica de grupo. É tanta gente pedindo a mesma coisa, que em vez de eu ficar escrevendo para cada um resolvi fazer esta página.

No início, eu não conseguia ser aprovado em nenhuma dinâmica. Nenhuma mesmo ! Depois que eu aprendi o macete da coisa, passei a ser aprovado em todas.

A idéia básica é que o candidato a um emprego ou estágio chega no processo de seleção com uma "máscara", demonstrando (ou procurando demonstrar) que é o cara ideal para aquela vaga, que tem inúmeras qualidades e nenhum defeito. O recrutador deve (tentar) descobrir o que há por trás dessa "máscara", qual a verdadeira personalidade do candidato e se ela é a mais adequada para a tarefa que a empresa pretende ver desempenhada no cargo.

Um pequeno aparte : a palavra personalidade vem do latim personae, que deriva da palavra usada pelos romanos para se referirem à máscara usada no carnaval de Veneza..

A vantagem é ampla do candidato inteligente e minimamente bem informado de como funciona o processo de seleção porque:

    1. Um gênio como Freud levava semanas para conseguir revelar os meandros da personalidade de alguém, trabalhando num ambiente calmo e com a pessoa relaxada. É evidente que mesmo se o recrutador fosse um gênio e não um "meia-bomba" de araque, ele não conseguiria fazer a mesma coisa em 3 ou 4 horas, e ainda por cima num ambiente hostil, de competição.
    2. o recrutador geralmente é um psicólogo ou alguém que acha que é mesmo sem ter feito faculdade de psicologia. Recrutadores são, via de regra, indivíduos vaidosos que acham que não podem ser enganados. Esse é o maior ponto fraco deles.

Tendo isso em mente, dá para concluir que com um pouco de teatro bem-feito dá para enganar o recrutador-dublê-de-psicólogo-genial. Atenção: não tente enganar um psicólogo competente como Paulo Hindenburgo, Augustus Vinícius Amaral Galvão ou Luis Alberto Py dentre outros, porque você não vai conseguir. A boa notícia é que não se conhecem muitos recrutadores do quilate desses profissionais. Até existem, mas são raros. Recrutadores são em regra uns bobalhões, assalariados, parvos de pai e mãe, que se fossem mesmo competentes teriam seus próprios consultórios e escreveriam seus próprios livros para não dependerem da boa-vontade de uma empresa privada que lhes dá de comer. Portanto, dá para enganar esses trouxas !

Mas voltando à "vaca fria"... foram criados testes, jogos e brincadeiras que acredita-se terem o poder mágico fornecer resultados padronizados que apontariam as tendências da personalidade do candidato.

Por exemplo, existe uma "brincadeira" em que os candidatos são requeridos a fazerem uma roda e darem as mãos, de modo que cada um consiga ver o rosto do outro. Então, os candidatos recebem a tarefa de descobrirem um jeito de, sem soltar as mãos uns dos outros, fazer com que a roda seja mantida mas que cada pessoa fique de costas uma para outra.

O objetivo dessa "brincadeira" é observar os candidatos que conseguem ouvir a opinião dos outros, os que sabem se colocar perante um grupo, os que apenas ficam reclamando, os que são maria-vai-com-as-outras, os que perdem o controle por não terem suas opiniões levadas em conta e por aí vai. Pouco importa se no final o grupo vai conseguir ou não terminar com cada pessoa de costas umas para as outras. O que importa é como os candidatos se comportam durante a atividade.

Apenas para constar, a solução desse problema é a seguinte: Passo 1- Escolha 3 pessoas quaisquer da roda que estejam lado a lado. Digamos que sejam A-B-C ("B" está entre "A" e "C"); Passo 2- "B" e "C" levantam os braços (lógico que estou me referindo ao braço de "B" que está dando a mão a "C"). Passo 3- "A" passa por baixo dos braços de "B" e "C" e vai puxando a fila. Passo 4 - Depois que todos já tiverem passado, o resultado é que cada um vai ficar de costas para o outro e não de frente.

O que leitor deve fazer para ser aprovado numa dinâmica de grupo como essa ? Deve dar suas opiniões e ouvir a dos outros. Não existe nesse teste algo "certo" ou "errado", o candidato deve mostrar que não tem timidez de falar perante um grupo. Se alguém o criticar, deve apenas sorrir e dizer algo como "levarei em conta sua opinião". Atividades em grupo são barulhentas, portanto quando alguém quiser tomar a palavra, aproveite a oportunidade e diga em voz alta "pessoal, vamos ouvir o que o colega tem a dizer", como se você se importasse com o que ele vai bostejar. Aliás, aja como se você se importasse com os palpites estúpidos dos outros. Por fim, mantenha sempre um sorriso simpático (faça aquela cara de "gerente-de-banco-atendendo-velhinha").

Isto requer uma boa dose técnica cênica. Eu peguei o jeito da coisa depois de fazer algumas dinâmicas. Mas depois que eu aprendi como fazer, eu invariavelmente era aprovado em todas as dinâmicas e escolhia onde queria ir trabalhar.

Existem na internet diversos textos como este que ensinam a passar num dinâmica de grupo. A própria brincadeira da roda já está muito manjada, não é novidade para ninguém. É certo que os recrutadores mudarão o jogo. Em vez de ser essa, vai ser uma outra babaquice qualquer.

Não me decepcione ! Somente porque a grama muda de cor o burro não deixa de pastar. Qualquer atividade em que seja pedido ao candidato para se reunir em grupo e fazerem juntos alguma tarefa tem o mesmo objetivo. A solução é a mesma: fingir que se importa com os sentimentos e opiniões dos outros, tentar convencê-los de que a sua é melhor; saber avançar e retroceder; fingir que está interessado no que o outro tem a dizer; dar aquele sorriso para fingir que está tudo bem, etc.

É um cinismo necessário. Afinal, depois que você pegar a vaga, o que a empresa vai querer mesmo é o lucro que seu trabalho lhe proporciona. Fingirá que se importa com seus sentimentos, com o bem-estar de sua família, mas na hora em que você não for mais útil, lhe dará um pé na bunda... Do mesmo modo, enquanto você estiver empregado também fingirá ser "o-cara-legal", até que uma concorrente ofereça algo que você quer ou até você arrumar um emprego público e sair dessa ciranda.

Se for pedido a você que desenhe algo, procure ser simples. Não seja muito detalhista, nem muito esculhambado. Procure manter a proporção das coisas retratadas (ex. não desenhar uma pessoa maior que uma casa). Desenhar homens mais altos que mulheres pode ser interpretado por esses recrutadores maníacos que você é machista. Desenhar pessoas brancas, altas, fortes ou em posição de chefia ou com qualidades muito evidentes pode ser interpretado como racismo. Não desenhe plantas, animais, montanhas, o sol ou o mar porque pode ser interpretado que você não se adapta ao trabalho de escritório. Criatividade é importante, mas não em excesso, RH não existe para contratar artistas.

Importante : os recrutadores pensam que todos são loucos como eles, portanto é melhor não contrariá-los. O exemplo clássico é o da "árvore do Pica-Pau". Convencionou-se dizer que quem desenha uma árvore com frutas e com um buraco no meio apresenta algum "déficit emocional". Em miúdos, é maluco e não serve para trabalhar. Quase todas as pessoas da minha geração desenham a porra da árvore desse jeito. Por que ? Porque o desenho animado mais popular daquela época era o do Pica-Pau, que passava no programa do Bozo, no SBT. A casa do Pica-Pau era um buraco no tronco de uma árvore. Por isso, todas as crianças da minha sala de aula, da minha rua, do meu clube, enfim, TODAS desenhavam árvores desse jeito. A inteligência do recrutador mediano não é suficiente para deduzir que talvez o cartunista que inventou o Pica-Pau fosse lé-lé-da-cuca, mas não as crianças que apenas retratavam o que viam no programa de televisão. Resumo da ópera: não desenhe árvores com frutas, flores nem buracos no tronco. Seja simples, objetivo e direto.

Não prometo milagres. Estou apenas ensinando a ser aprovado em uma das etapas do processo de seleção, que é a dinâmica de grupo. Para conseguir o emprego você tem que superar as outras etapas. Seu currículo técnico e acadêmico tem que ser competitivo. Sua idade tem que ser aquela que a empresa tolera, nem muito velho, em muito novo (aos olhos deles). Até mesmo seu sexo e o lugar onde você mora influem.

Boa sorte !

Leia também:

Dinâmica de Grupo 1

1