HISTORIA DO G.D.CHAVES
        
               G. D. CHAVES.      Dados gerais

                     
  FUNDADO:        1949                        
    ESTADIO:      Municipal de Chaves
       100 x 65 m.  LOTAÇAO: 22.000 e.
    EPOCAS EM 1ª DIVISAO:   13
    EPOCAS EM 2ª DIVISAO:   24
    EPOCAS EM 3ª DIVISAO:   15
                                                  
     
 
 HISTORIA  DO  G.D. CHAVES.
1954-55
Vice-campeao da 3ª Divisao.  A final registou este resultado:  Elvas 2; D.Chaves 1.
1957-58
Milita na 2ª Divisao zona norte.                                     Ver ao lado   >

 1982-83
  Acaba na 5ª posiçao, na zona norte da 2ª Divisao, atrás do Penafiel, Vizela (subida a 1ª
 Divisao), Paços de Ferreira e Leixoes.

  1983-84                                 Classificaçao
 2º classificado da 2ª Divisao zona norte, atrás do Vizela.                1º  Vizela             42
 Jogava a liguilha de subida á Primeira Divisao ante os                      2º  Chaves           39
 outros segundos classificados (Peniche e Maritimo) e o                  3º  Leixoes           37
 13º da 1ª Divisao, o Penafiel.                                                             4º  Sanjoanense  36
  O D. Chaves fez uma liguilha desastrada cabendo ao Penafiel a vitoria e, por tanto, mantinha
 o estatuto de primodivisionario.     Vejamos os resultados e a classificaçao desta liguilha:
   3-2  Maritimo   Chaves      1- 0                                Pontuaçao final
   3-1  Penafiel   Peniche      1- 1                               PENAFIEL      9 pontos
   1-2  Chaves   Penafiel      0- 3                               Maritimo         8
   2-0  Peniche  Maritimo      4- 6                                Peniche         7
   2-0  Penafiel  Maritimo      0- 1                                D. Chaves     0
   2-0  Penafiel  Chaves       4- 1

 Epoca 57-58
 Classificaçao á 7ª J.
  S.Covilhá  ......   13
   Boavista  ........    9
   Guimaraes           9
   Marinhense        9
   Espinho               9   
   Tirsense              7
   Vila Real              7
   Sanjoanense       6
   Gil Vicente           6
   Peniche                5
   Vianense              5
   Leoes Santarem  5
   D.Chaves             4
   Leixoes                 3                                                                                                                                                                                                                                                                                                                   
   1984-85
  Volta a ficar na segunda posiçao na zona norte da 2ª Divisao, desta vez atrás do D.Aves com quem travou uma luta acesa
    pela subida.  Ao final outra vez a liguilha, mas desta vez a equipa fez historia vencendo e conseguindo pela primeira vez na
    sua historia a subida á 1ª Divisao.  Relembremos o desenrolar desta competiçao:                     
    3-2  Chaves     Rio Ave   1- 1
    1-1  Uniao  M   U. Leiria  3- 0             
    3-0  Rio Ave     Uniao M  5- 0
    2-1  U. Leiria    Chaves    0- 2
    2-0  Chaves      Uniao M  4- 3
    3-0  Rio Ave     U. Leiria   2- 0  
 Pontuaçao final
 1º  Chaves       9
 2º  Rio Ave       9
 3º  Uniao M.     3
 4º  U.Leiria       3
  Como podemos analisar, tras a primeira vitoria no municipal diante do Rio Ave, a 2ª jornada ditou uma derrota em Leiría e a seguir
  uma luta até o fim com o Rio Ave. Na última jornada, nos Barreiros, uma vitoria dramática por 3-4 dava a subida á 1ª Divisao.
  O jogo "chave" foi sem dúbida o empate da 4ª jornada nos Arcos.  Vejamos a ficha deste jogo:
  1-1  RIO  AVE  -  D.CHAVES                 Os Arcos                                      23-6-85
              GOLOS:  Rui Lopes (20´) /  Cesar (42´)
 RIO  AVE: Figueiredo; Sergio, Brito, Duarte, Santana, Pinto, Virgilio, Juanico, Carlos Manuel, Rui Lopes, Chico Faría.
 D. CHAVES: Alvaro; Alfredo, Amandio, Vivas, Bio (Beto 68´), Miguel, Kiki, Antonio Jorge (Raul Aguas 61´),Antonio Borges,
 Cesar, Ze Albano. 

 1985-86
 Com as altas de Jorge Plácido, Julio Sergio (Varzim), Ferreira da Costa (Penafiel), Abreu (Portimonense),  o D.Chaves fez uma 
magnífica época, acabando na 6ª posiçao com 29 pontos.
  A primeira volta foi fenomenal, com uma grande fortaleza em casa, de onde só por uma vez voaram os dois pontos em disputa,
 com motivo da histórica visita do Benfica.  Relembremos:
  0 - 1  CHAVES  -  BENFICA          Municipal.        Jornada 10ª                                     10-11-85
              0-1  19m.  Nunes
 CHAVES: Fonseca; Vivas, Raúl, Carvalhal, Bio; Paulo Rocha, Kikí, Ferreira da Costa, Antonio Borges; Jorge Silva,
 Jorge Plácido (Julio Sergio 59´).
 BENFICA: Bento; Veloso, Samuel, Oliveira, Alvaro; Carlos Manuel, Nunes, Sheu; Nené (Pietra 61´), Manniche,
  Diamantino.
 A segunda volta teve mais irregularidade, sobre tudo no seu reduto (derrotas frente ao F.C.Porto 0-2, Guimaraes 0-1, Salgueiros)
 mas mesmo assím conseguiu manter o 6º posto devido ás escorregadelas de Belenenses e Portimonense na última jornada.
  - Na Taça de Portugal, boa prestaçao chegando até aos quartos de final, apos eliminar entre outros, o Marítimo em Funchal (0-1).
 Nos quartos de final visita ao Restelo para defrontar o Belenenses com o resultado de 1-1 apos prolongamento, golos de Djao de
penalty e Vivas, que adiantou aos flavienses no marcador.   O desempate no municipal de Chaves constituiu uma grande 
desilusao; apos empate a zero nos 120 minutos, o Belenenses foi mais feliz na marcaçao de grandes penalidades e apurou-se 
para as meias finais.

  1986-87
 Novamente o D.Chaves brilha na 1ª Divisao. Magnífica época, com um empate a zero no estadio da Luz (jornada 23) frente ao
 futuro campeao Benfica.  A grande epoca tinha como meta o 5º posto e a participaçao na prova da Taça UEFA.  O empate em 
casa (0-0) com o Portimonense na penúltima jornada obrigou a ir ao Restelo jogar tudo por tudo diante do Belenenses que, se
 ganhar, ultrapassava o Chaves e ia a UEFA.  No final, vitoria (0-1) e quinto lugar na tabela. O D.Chaves, na sua segunda 
epoca na 1ª Divisao, apurava-se para jogar a Taça UEFA.
  Os melhores marcadores da equipa na liga foram Jorge Silva e Rady, ambos com 11 golos.
  - Na Taça de Portugal, tras eliminar nos oitavos de final o Olhanense no jogo de desempate, em quartos foi afastado pelo 
Sporting apos a derrota por 4-1 em Alvalade.

   1987-88
 Grande primeira volta, com uma regularidade no municipal resaltada com algumas goleadas (6-1 ao Farense e Varzim nas
 jornadas 5ª e 11ª). Também o Benfica caiu no municipal na jornada 7ª.  Vejamos a ficha do jogo:
   1-0  CHAVES - BENFICA                  Municipal.                      Jornada 7ª                                  11-10-87
          1-0   91m. Julio Sergio (p.)
 CHAVES: Padrao; Cerqueira, Garrido, Jorginho, Rogerio; Gilberto, Spassov (Cesar 74´), Diamantino, Serra (Julio Ser-
 gio 57´); Rudy, Vermelhinho.
 BENFICA: Silvino; Veloso, Edmundo, Mozer, Alvaro; Diamantino, Carlos Manuel, Sheu, Bando; Magnusson,
 Rui Aguas (Tueba 57´).
  Entretanto, a equipa flaviense havía debutado na Taça UEFA. O primeiro rival era o credenciado Universidade de Craiova. Primeiro
 jogo na Romenia com começo promisor e final com sabor muito amargo. É que o D.Chaves se adiantou no marcador com 0-2 (golos
 de Gilberto 18´ e Vermelhinho 51´) mas os romenos deram a volta ao resultado com 3 golos (aos 64´, 66´ e 86´).  A ficha:
     3-2  UNIVERSIDADE  CRAIOVA - CHAVES                        15´00 horas                16-9-87
 D.CHAVES: Padrao; Cerqueira, Garrido, Jorginho, Rogerio; Diamantino, Luis Saura, Slavkov; Gilberto, Rady e 
 Vermelhinho.
 Nao me lembro como acabou o jogo de volta mas creio que o Chaves foi afastado da competiçao, tal como da Taça de Portugal, 
 ao cair derrotado na 2ª ronda em Bragança (1-0) a 21-11-87.
  A segunda volta foi irregular. Muitos pontos perdidos em casa foram compensados por alguns empates em terrenos a priori
 "verados"; 1-1 na Luz (jornada 26) ou 0-0 em Alvalade (j. 36).  Dois derrotas finais deixaram fugir o 6º lugar. No final, 7ª posiçao
 com 40 pontos, atras do   F.C.PORTO (66)   Benfica (51)  Belenenses (49)  Sporting (47)  Boavista  (46)  e  Espinho (40).
  Os melhores marcadores foram a extraordinaria dupla atacante formada por Rady (21 golos) e Vermelhinho (9).

    1988-89
 Uma epoca nao tao brilhante como as anteriores, mas que deu para uma manuteçao tranquila embora as perdas de pontos nos 
 jogos finais fizeram com que o 7º ou 8º lugar que manteve durante largas semanas se transformase num discreto 13º posto com
 34 pontos, só a 2 da descida.
  Os melhores marcadores da equipa foram Rady (12 golos), Slavkov (6), Cesar (3).
  - Na Taça de Portugal, depois de eliminar nos oitavos de final o Joane (1-3), os quartos ditaram o match com o S.Braga no 
 municipal. Resultado: 3-3 apos prolongamento.  No desempate na cidade dos arcebispos, derrota por 3-1.

       1989-90
 Sao vendidos alguns bons jogadores.  Rady (ao Braga), Julio Sergio (ao Boavista), Cesar (ao Tirsense), mas a equipa voltou a 
 fazer uma fenomenal epoca acabando em 5º lugar com 38 pontos,  atras do F.C.PORTO (59), Benfica (55), Sporting (46) e 
 Guimaraes (45).  Uma epoca que teve o facto curioso de ter 3 equipas da cidade de Funchal na 1ª Divisao (Maritimo, Nacional e
 Uniao).
  A derrota frente ao Porto na jornada 3 (1-2 (Rogerio / Semedo,Branco)), foi compensada com a vitoria ante o Sporting (2-1 
jornada 7) e o empate com o Benfica (0-0 jornada 9).  Na segunda volta, um sprint final com vitorias em Sta.Maria da Feira (1-2) 
e empate na Madeira com o Nacional (1-1) permeteu a conquista do 5º lugar em luta com o Belenenses e o V.Setubal. 
 Infelizmente nao deu para voltar à Taça Uefa porque o vencedor da Taça de Portugal (E.Amadora) nao estava entre os 5 primeiros.
  Os melhores marcadores seguíam sendo búlgaros:  Tanev (9 golos) e Rudi (8).
  - Na Taça de Portugal superou a 3ª ronda (2-0 Chaves-Mirense) e a 4ª (3-1 Chaves-L.Evora), caindo no municipal nos oitavos de
 final frente ao Belenenses (0-2).

    1990-91
 Foi uma epoca que começou muito mau, com tres derrotas consecutivas, dois delas em casa ante Boavista (0-1) e E.Amadora 
 (1-3).  Uma primeira volta com o credo na boca, deu lugar a uma segunda com a equipa mais segura em casa até que a derrota
 no municipal frente ao Benfica (0-3) na jornada 32 fez acender-se a luz vermelha, mas a equipa reagiu bem com empate na 
 Madeira diante do Maritimo (2-2) e a seguir uma goleada ao Beira Mar (6-0), na jornada em que o Benfica daba um paso decisivo 
 para a conquista do título ao bater sensacionalmente nas Antas ao F.C.Porto (0-2) com dois golos de Cesar Brito nos minutos 
 finais.    As últimas vitorias caseiras do Chaves (ante Guimaraes e Gil Vicente) bastaram para dar ao Chaves um magnífico 7º
 lugar com 34 pontos,  bastante irreal por certo, dado que o final de liga, na calda da tabela, esteve num pulo.  Basta dizer que 
 entre o 7º lugar do Chaves e o 18º lugar do E.Amadora que desceu, houve apenas 2 pontos!
  O melhor marcador foi Rudi com 12 golos.

    1991-92
 Outra epoca de nível meio, com a única aspiraçao da manutençao.  O inicio derrombante, com tres vitorias consecutivas, deu
 lugar na segunda volta aos negativos e a intranquilidade, sobre tudo após a derrota no municipal ante o colista Uniao da Madeira
 (0-2) na jornada 28.   O espectacular empate no Bessa (4-4) valeu para uma salvaçao conseguida na penúltima jornada, a pesar
 da derrota em Guimaraes (4-0), devido aos outros resultados.
  No final, 10º lugar com 30 pontos.  Campeao da epoca o F.C.Porto (56 pontos), e descíam à 2ª Divisao de Honra o Torreense (27),
 Penafiel (25) e Uniao da Madeira (24).
  O melhor marcador (faz falta dize-lo ? ) voltou a ser Rudi com 10 golos.
   - Na Taça de Portugal o D.Chaves tras eliminar sucessivamente a Académica (1-0) na 4ª ronda, e o U.Lamas (0-2) na 5ª,  nos
 oitavos de final contendía com o S.Espinho no municipal.  Resultado: 0-0 apos prolongamento.  Tudo adiado para o campo da 
 Avenida, onde após novo empate (1-1) os "tigres" foram mais felices na marcaçao de grandes penalidades.

    1992-93
 O D.Chaves perdía a categoría após 8 epocas consecutivas na 1ª Divisao.  Nao tenho muitas referencias de aquela epoca,
 mas simplesmente dizendo que a equipa acabou na ultima posiçao com 16 pontos ......  esta tudo dito.   Ao final descíam Tirsense
 (28), S. Espinho (28) e Chaves (16).
  O D.Chaves só conseguiu 4 vitorias, todas no municipal, e o melhor marcador voltava a ser um jogador do leste de Europa, o
 croata Karoglan com 10 golos.

   1993-94
 A passagem pela 2ª Divisao de Honra foi fugaz, pois o D. Chaves conseguía o retorno à maxima categoría.    No plantel, 
 salienta-se a saída do goleador Karoglan para o S.Braga e as entradas do experiente guardarredes Jesús (V.Guimaraes) 
e dos jogadores de campo Edu (Penafiel) ou Valter (V.Setúbal).
  A epoca nao foi fácil. O mau inicio com a derrota em casa ante o Tirsense (1-2) na jornada 3, foi compensado com um ciclo
 de 5 vitorias consecutivas que acabou na jornada 13 com a derrota no Manuel Marques frente ao Torreense (1-0).
  Na segunda volta, a derrota em Sto. Tirso (1-0) e o empate no municipal ante o U. Leiria (1-1) nas jornadas 20 e 21, causaram
 calafríos aos adeptos, a verem como Tirsense e Académica fugíam para a subida, com o Rio Ave e o U. Leiria a discutir o 3º 
 lugar com os flavienses.   Mesmo assím, uma serie de 4 vitorias consecutivas, só truncadas na jornada 31 com a derrota em 
 Vila do Conde (1-0), importante porque o Rio Ave ultrapassava o D.Chaves na tabela, deixavam tudo em aberto para as 3 
 derradeiras apaixonantes jornadas.
  Na jornada 32, o D.Chaves vencía comodamente o aflito Ac.Viseu (2-0), en tanto que as boas noticias chegavam desde 
 Madeira: o Rio Ave era batido pelo Nacional (2-1).  Num outro jogo importantissimo, a Academica que estava a deixar fugir 
 uma subida quase garantida perdeu em Leiria (1-0).  
  A penúltima jornada foi realmente decisiva.  O Chaves ía ao Calhavé defrontar uma Academica ferida que aínda acalentava
 remotas esperanças de subida. O resultado: 0-1 e a certeza de depender de sí propio para a subida.  Bastava a vitoria no 
 municipal na ultima jornada frente ao colista Leixoes.  Com um estadio cheio, a vitoria foi para os flavienses por 2-0. 
 O regresso à 1ª Divisao estava garantido.  O D. Chaves ficava na 3ª posiçao com 45 pontos.  Foi assím a classificaçao final:
  1º   TIRSENSE      46 pontos
  2º   U. Leiria          45
  3º   D. Chaves       45
  4º  Rio Ave           44
  5º  Académica      38
  6º  Felgueiras        37
 - Na Taça de Portugal, o D. Chaves foi surpreendentemente eliminado nos oitavos de final             
    ao perder no municipal ante o Lusitania de Lourosa por 0-1.
  

     1994-95
 De volta à 1ª Divisao, nem tudo ía ser como dantes.  Desaparecem os jogadores do leste europeu, substituidos por espanhois.
 Assím as principais contrataçoes foram o guardarredes Bastón (R. Burgos), os meiocampistas Tonino (Bilbao Athletic), Castillo
 (Málaga) e os atacantes Jose María (Cádiz CF) e o brasileiro Edinho.    Registemos o plantel completo:
  Guardarredes:  Orlando, Bastón e Silvino.
  Defesas:  Paulo Pires, Manuel Correia, Paulo Alexandre, Carvalhal, Rui Loja, Lino, Amarildo, Paulinho, Jorginho
  Meios: Edu, Tonino, Castillo, Dito, Jaime Cerqueira, Serrinha, Gomes, David, Agostinho
  Atacantes:  Joao Pedro, Edinho, Jose María, Marito
 A derrota inicial ante o Salgueiros (0-1) foi recuperada a seguir em Sto. Tirso (0-1) mas na jornada 8ª, a pesada derrota no 
 estadio da Luz (5-0) ditou uma serie de maus resultados ( 0-4 frente ao F.C.Porto, dois empates em casa a seguir), o que levou
 ao cese do treinador Antonio Jesús depois de 14 jornadas.     Sustituido por Vitor Manuel, a equipa atisbou uma reacçao (empate
 na Rebuleira (1-1) e vitoria "gorda" no estadio do Bessa (1-4) ) que nao chegou a concretizar-se, caminhando para uma segunda
 volta nao muito melhor, acabando com 27 pontos no 14º lugar.    Se nao desceu foi porque outras equipas fizeram pior: Uniao (24),
 Beira Mar (21) e V.Setúbal (18).
  Registemos a ficha do jogo das Antas da jornada 26:
      2-0       F.C. PORTO -  D.CHAVES           Jornada 26                          Antas                         23-3-95
               1-0  25m. Domingos
               2-0  43m. Secretario
 F.C.PORTO:  Vitor Baia; Joao Pinto, Jose Carlos, Aloisio, P.Santos; Secretario, Emerson, Rui Barros, Drulovic;
 Latapi, Domingos.
 D.CHAVES: Bastón; Paulinho, Manuel Correia, Carvalhal, Paulo Alexandre, Lino; Castillo, Tonino, David,
  Serrinha;  Edinho.
 O melhor marcador da equipa foi o brasileiro Edinho com 14 golos.

   1995-96
 Abandona a equipa o goleador Edinho (ruma a Guimaraes) e chegam o ponta de lança Rui Alberto (Salgueiros) e mais um
 espanhol, Miner (Sporting Gijón).
 Nao tenho informaçoes desta epoca, senao a classificaçao final (ver ao lado) 
 onde se adivinha uma epoca com "o credo na boca", pois o Chaves ficou em
 15º lugar com 34 pontos, a só 1 da descida.
   Os melhores marcadores da equipa foram:
   Miner              6 golos
   Rui Alberto     5
 Epoca 95-96  A "calda" da tabela  
  13.  E.Amadora           35
   14   Leça                     34
   15.  D. Chaves            34
    16.  Felgueiras            33
    17.  Campomaiorense  33
    18.  Tirsense                31      
  

  1996-97
 O mesmo tenho a dizer para esta epoca. Nao tenho referencias, nem sequer a pontuaçao final, embora algumas informaçoes
 me façam pensar que o D. Chaves ficou em um lugar na tabela bem desafogado  (8º lugar tal vez?).
  Novamente chegaram jogadores desde Espanha:  Matute (CD Logroñés), Sabou (Sporting Gijón) ou Milinkovic (UD Lérida).
  Os melhores marcadores foram:    Matute (8 golos),  Sabou (5),  Milinkovic (4),  Miner (4).

  1997-98
  Guardarredes:  Luis Vasco, Poleksic
  Defesas:  Raúl, Paulo Alexandre, Vieira, Kutnic, Paulo Silva, Hilario, N´Sunda
  Meios:   Toninho Cruz, Miner, Sabou, Tonino, Dani Diaz, Milinkovic, Matic
  Atacantes:  Vitor Vieira, Matute, Lewis, Cuc
 A primeira volta foi desastrada, sempre no último lugar da tabela. Em dezembro Milinkovic foi transferido para o CD Orense, e o 
 defensa Auri foi cedido pelo Vitoria de Guimaraes.
 Na jornada 29, depois da derrota nas Antas (3-1), o D. Chaves estava virtualmente descido junto ao Belenenses e Varzim.  Mas 
 uma recuperaçao fenomenal, com 4 vitorias consecutivas, fez com que a última jornada, no municipal, o Chaves-Académica fosse
 decisivo.  O Chaves, ganhando conseguía a salvaçao em detrimento da Académica. O empate bastava aos "estudantes". 
 Resultado final: 0-0.  Estava consumada a tragedia no municipal.  16º lugar na tabela com 35 pontos.  Melhor marcador: Cuc (5 g.)
     Mas a final, uma surpreendente decisao do Conselho de Justiça da Federaçao castigava ao Leça (12º posto) com a perda da
 categoria por acontecimentos (tentativa de suborno) respeitantes à epoca 94-95 quero recordar, na 2ª Divisao de Honra.  Uma 
 decisao pouco clara que prejudicou gravemente à equipa leceira, mas que serviu para que os flavienses continuasem uma epoca
 mais na divisao maior.

      1998-99
 Novos espanhois para a equipa:  o guardarredes Arteaga (Racing Ferrol), Carlos Alvarez (Celta de Vigo) ou Seba (Zaragoza).
  Além do ponta de lança brasileiro Wanderley.    Vejamos o plantel:
 Guardarredes:  Arteaga, Orlando, Artur Jorge
   Defesas:  Hilario, Paulo Alexandre, Luizao, Vinagre, André, Morgado, Raúl, Gorka
   Meios:   Carlos Alvarez,  Tonino,  Filipe,  Barbosa,  Jorge Ramos
   Avançados:  Seba,  Wanderley,  Cuc,  Ricardo Lopes
 O bom inicio nao fazia presagiar a debacle entre as jornadas 10 e 16 ( 7 derrotas consecutivas) que acabaram com o treinador
 Horacio Gonçalves, sustituido por Augusto Inácio.  O mercado de inverno trouxe a venda do defesa Hilario ao Perugia italiano, e
 os reforços de Paulo Torres (Salamanca), Michel (Sevilla) e o búlgaro Stanchev.
  Na segunda volta, depois do promisor começo com vitoria em Coimbra (1-2), gorou-se toda a esperança com uma serie de maus
 resultados em casa (5 empates, 3 derrotas e nenhuma vitoria) que deram com a equipa na 2ª Divisao.
  Com a descida consumada, Augusto Inácio foi sustituido o 10-5-99 pelo treinador espanhol Rodriguez Vaz.  Ao final, 17º lugar 
 com 25 pontos.  O Chaves acompanhava na descida à Académica (21) e Beira Mar (33) que perdeu a categoria num dramático
 jogo em Paranhos (4-4) onde a vitoria lhe era precisa.
  Os melhores marcadores foram Seba e Wanderley com 10 golos cada, Carlos Alvarez (4), Luizao (4), Tonino (2), R.Lopes (2).
  -  Na Taça de Portugal, o D. Chaves foi eliminado na 2ª ronda ao cair derrotado no Manuel Marques frente ao Torreense por 2-0.

     1999-00
 A epoca na II Liga foi de adaptaçao à categoria.  Muito irregular, alternando bons resultados fora de portas ante favoritos, com
 desaires na propria casa.  Nem mais, deu para um campeonato tranquilo mas sem esperanças de retorno à 1ª Liga.
 12º lugar com 44 pontos.

         2000-01
 Novamente uma discreta participaçao na II Liga, desta vez chegou a estar em causa uma possível descida à 2ª Divisao B 
 depois da derrota caseira frente ao Varzim (2-3) na jornada 29. A reacçao final fez evitar qualquer perigo de última hora.
 Classificaçao final: 12º lugar com 41 pontos.

           ©  TEXTO :       Juan Vicente Santamaría.           2001                                    Voltar a Tribuna Vip
1