Notas sobre linhas

"Desde pequeno sempre gostei de m�sica e tamb�m via que pelo menos um instrumento eu aprenderia. Via e ouvia meus irm�os mais velhos tocando viol�o, guitarra e bateria e, pra qualquer crian�a, esse �ltimo instrumento foi onde debutei. Peguei um par de baquetas e ficava de in�cio tentando acompanhar as m�sicas que eu ouvia na vitrola. Isso l� pelos meus 8 anos de idade. Em 1978, aos 9 anos, iniciei meus contatos com o Violino no projeto Orquestra de Cordas do Sesc com os Professores Alberto Jaff� e Dayse de Lucca Jaff�. Eu queria � aprender Piano mas como as inscri��es para a Escola Municipal de M�sica de S�o Paulo s� iriam abrir em outubro e ainda era abril, a dona Lourdes, minha m�e, falou se eu n�o queria ir aprendendo o violino pra da� sim passar pro Piano. Fui! Como n�o tive dificuldades no in�cio do aprendizado acabei gostando e ficando... At� hoje, novembro de 2003, estou vendo quando come�o a estudar piano. Em 1981 entrei na Orquestra Sinf�nica Jovem Municipal de S�o Paulo, atual Orquestra Experimental de Repert�rio, tocando um concerto para violino em G do Vivaldi!!! 'Magine se algu�m entraria tocando isso hoje l�. Tive aulas com Klaus W�sthof, um professor que precisou de muito saco para consertar minha afina��o j� que passei dois anos tocando sem professor, somente tocando na Sinf�nica Jovem � o que mostra que sem estudo di�rio mesmo ensaiando numa orquestra quase que diariamente, a afina��o vai pra cucuia - e Paulo Bos�sio, algu�m que me fazia sentir um puta violinista pois com poucas palavras conseguia fazer as passagens mais dif�ceis das m�sicas parecerem um simples �d�-r�-mi-f�, f�-f�, afinado. At� hoje n�o me conformo em ter abandonado as aulas dele. Isso em junho de 1990! Desde 1988 fa�o parte da Orquestra Sinf�nica Municipal de S�o Paulo. Fui integrante da Orquestra de Jazz Sinf�nica do Estado de S�o Paulo que j� se apresentou com grandes nomes da m�sica nacional e internacional. Participei de shows com Barry White, 1995; Zizi Possi (Per Amore e Passione), 1997 e 1998; Grupo Tarank�n, 1986; Roberto Carlos, Especial de Fim de ano da Globo em 2002; Roxette, dublei numa promo��o de disco novo nos programas H, J� Onze e meia e Programa Livre, 1998; Sa� pra BH, Rio e Porto Alegre com o British Rock Concert, com Alice Cooper, Jon Anderson e Alan Parsons, 2000; DVD do SPC, 2001; Daniel, e atualmente participo do show do Leonardo, 2002/03. Al�m de gravar com praticamente todos os nomes da m�sica Sertaneja � Chit�ozinho e Xoror�, Milion�rio e Jos� Rico, Leonardo, Daniel, Gian e Giovanni, Bruno e Marrone, Rick e Renner, Zez� di Camargo e Luciano, Clayton e Camargo, Pedro e Tiago, Christian; com os rom�nticos Roberto Carlos, Nelson Ned, Amado Baptista, Padre Marcelo Rossi, Peninha, Gilliard, Alexandre Pires, Marciano, Vav�, Frank Aguiar, Netinho, Agnaldo Rayol e Gilbert e Sandy & Jr. Os �timos Careqa e Dante Oz�tti. A �juvenilia� do RPM (estou no DVD), KLB, Lulo, Vinny, Twister e Fam�lia Lima. Os pagodeiros do Ra�a Negra, SPC, Travessos, Recado. As mulheres Joanna, Sula Miranda, Silvinha. E os grandes Jamel�o e Almir Guin�to. Fiz parte da orquestra do Festival da M�sica Brasileira na Globo, 2000. Ou seja: ganhei uma boa grana � que j� gastei, mas posso dizer que participei de algo na m�sica da TV, ao menos. Toquei bateria em um grupo de Rock por 5 anos, entre 1986 e 1991. No ano em que o Collor liberou as importa��es e a Teodoro Sampaio iria se tornar mais um 'ElDorado' ainda para as bandas, o grupo termina!! Pra se ter uma id�ia minha bateria era uma Ping�im, que ao bater no tambor se manifestava assim: pl�c! N�o era um TUUUUM!... Era um pl�c! com �P� min�sculo mesmo!!! A guitarra era uma Giannini, modelo Les Paul, com 8 kg!!!! O Baixo era um modelo com barbatana de tubar�o se afogando pra baixo e sem voluta que nem imagino a marca, com os trastes da dist�ncia de uma guitarra normal. Pra amplificar tudo isso t�nhamos um cabe�ote Palmer de 400W. E duas caixas gigantes, com 1,50m, que a pr�pria banda montou com dois falantes de 12�, dois de 10� e quatro de 6�... tudo recondicionado!!! E ainda ficava faltando os 4 tweeters mas tamb�m faltava a grana pra eles. Terminamos s� porque n�o fizemos sucesso. E precisa motivo melhor? Me d� saudades do grupo e da �poca. Hoje continuo no Municipal e toco violino e viol�o no Nhame, grupo de m�sica de raiz (da� a origem do nome: Inhame) que por ora estamos � Teco, Maur�cio Takeda (violino/viol�o), Mauro Domenech (baixo) e, eventualmente, Ricardo (bandolim) e Vin�cius (percuss�o) - passeando pelo estilo Celta, mais precisamente de Cape Breton"

  • Click Here!
    1