Os Saltimbancos  (Chico Buarque) voltar
     
     
(1)- Bicharia

Enriquez - Bardotti
versão de Chico Buarque
1977

Au, au, au. Hi-ho hi-ho.
Miau, maiu, miau. Cocorocó.
O animal é tão bacana
Mas também não é nenhum banana.
Au, au, au. Hi-ho hi-ho.
Miau, maiu, miau. Cocorocó.
Quando a porca torce o rabo
Pode ser o diabo
E ora vejam só.
Au, au, au. Cocorocó

Era uma vez
(e é ainda)
Certo país
(E é ainda)
Onde os animais
Eram tratados como bestas
(São ainda, são ainda)
Tinha um barão
(Tem ainda)
Nunca trabalhava
E então achava a vida linda
(E acha ainda, e acha ainda)

Au, au, au. Hi-ho hi-ho.
Miau, maiu, miau. Cocorocó.
O animal é paciente 
Mas também não tem nenhum demente.
Au, au, au. Hi-ho hi-ho.
Miau, maiu, miau. Cocorocó.
Quando o homem exagera
Bicho vira fera
E ora vejam só.
Au, au, au, Cocorocó.

Puxa, jumento
(Só puxava)
Choca galinha
(Só chocava)
Rápido, cachorro
Guarda a casa, corre e volta
(só corria, só voltava)
Mas chega um dia
(Chega um dia)
Que o bicho chia
(Bicho chia)
Bota pra quebrar
E eu quero ver quem paga o pato
Pois vai ser um saco de gatos

Au, au, au. Hi-ho hi-ho.
Miau, maiu, miau. Cocorocó.

 

 

 

(2) - O jumento

Enriquez - Bardotti
versão de Chico Buarque
1977

Jumento não é
Jumento não é
O grande malandro da praça
Trabalha, trabalha de graça
Não agrada a ninguém
Nem nome não tem
É manso e não faz pirraça
Mas quando a carcaça ameaça rachar
Que coices, que coices
Que coices que dá

O pão, a farinha, o feijão, carne seca
Quem é que carrega? Hi-ho
O pão, a farinha, o feijão, carne seca
Limão, mexerica, mamão, melancia
Que é que carrega? Hi-ho
O pão, a farinha, o feijão, carne seca
Limão mexerica, mamão, melancia
A areia, o cimento, o tijolo, a pedreira
Quem é que carrega? Hi-ho

Jumento não é
Jumento não é
O grande malandro da praça
Trabalha, trabalha de graça
Não agrada a ninguém
Nem nome não tem
É manso e não faz pirraça
Mas quando a carcaça ameaça rachar
Que coices, que coices
Que coices que dá
Hi-hooooooooo
(3) - Um dia de cão

Enriquez - Bardotti
versão de Chico Buarque
1977

Apanhar a bola-la
Estender a pata-ta
Sempre em equilíbrio-brio
Sempre em exercício-cio
Corre, cão de raça
Corre, cão de caça
Corre, cão chacal
Sim, senhor
Cão policial
Sempre estou
Às ordens, sim, senhor

Bobby, Lulu
Lulu, Bobby
Snoopy, Rocky
Rex, Rintintin

Lealdade eterna-na
Não fazer baderna-na
Entrar na caserna-na
O rabo entre as pernas-nas
Volta, cão de raça
Volta, cão de caça
Volta, cão chacal
Sim, senhor
Cão policial
Sempre estou
Às ordens, sim, senhor

Bobby, Lulu
Lulu, Bobby
Snoopy, Rocky
Rex, Rintintin
Bobby, Lulu
Lulu, Bobby
Snoopy, Rocky
Estou às ordens
Sempre, sim, senhor

Fidelidade
À minha farda
Sempre na guarda
Do seu portão
Fidelidade
À minha fome
Sempre mordomo
E cada vez mais cão
(4) - A galinha

Enriquez - Bardotti
versão Chico Buarque
1977

Todo ovo
Que eu choco
Me toco
De novo
Todo ovo
É a cara
É a clara
Do vovô

Mas fiquei
Bloqueada
E agora
De noite 
Só sonho
Gemada

A escassa produção
Alarma o patrão
As galinhas sérias
Jamais tiram férias
``Estás velha, te perdôo
Tu ficas na granja
Em forma de canja''

Ah!!! é esse o meu troco
Por anos de choco???
Dei-lhe bicada
E fugi, chocada

Quero cantar
Na ronda
Na crista
Da onda

Pois um bico a mais
Só faz mais feliz
A grande gaiola
Do meu país
(5) - História de uma gata

Enriquez - Bardotti
versão Chico Buarque
1977

Me alimentaram
Me acariciaram
Me aliciaram
Me acostumaram

O meu mundo era o apartamento
Detefon, almofada e trato
Todo dia filé-mignon
Ou mesmo um bom filé... de gato
Me diziam em casa, não tome vento
Mas é duro ficar na sua
Quando à luz da lua
Tantos gatos pela rua
Toda a noite vão cantando assim

Nós, gatos, já nascemos pobres
Porém, já nascemos livress
Senhor, senhora ou senhorio
Felino, não reconhecerás

De manhã eu voltei pra casa
Fui barrada na portaria
Sem filé e sem almofada
Por causa da cantoria
Mas agora o meu dia-a-dia
É no meio da gataria
Pela rua virando lata
Eu sou mais eu, mais gata
Numa louca serenata
Que de noite sai cantando assim

Nós, gatos, já nascemos pobres
Porém, já nascemos livress
Senhor, senhora ou senhorio
Felino, não reconhecerás
(6) - A cidade ideal

Enriquez - Bardotti
versão de Chico Buarque
1977

CACHORRO A cidade ideal dum cachorro 
Tem um poste por metro quadrado 
Não tem carro, não corro, não morro 
E também nunca fico apertado 
GALINHA A cidade ideal da galinha 
Tem as ruas cheias de minhoca 
A barriga fica tão quentinha 
Que transforma o milho em pipoca 

CRIANÇAS Atenção porque nesta cidade 
Corre-se a toda velocidade 
E atenção que o negócio está perto 
Restaurante assando galeto 

TODOS Mas não, mas não 
O sonho é meu e eu sonho que 
Deve ter alamedas verdes 
A cidade dos meus amores 
E, quem dera, os moradores 
E o prefeito e os varredores 
Fossem somente crianças 

Deve ter alamedas verdes 
A cidade dos meus amores 
E, quem dera, os moradores 
E o prefeito e os varredores 
E os pintores e os vendedores 
Fossem somente crianças 

GATA A cidade ideal de uma gata 
É um prato de tripa fresquinha 
Tem sardinha num bonde de lata 
Tem alcatra no final da linha 

JUMENTO Jumento é velho, velho e sabido 
E por isso já está prevenido 
A cidade é uma estranha senhora 
Que hoje sorri e amanhã te devora 

CRIANÇAS Atenção que o jumento é sabido 
É melhor ficar bem prevenido 
E olha, gata, que a tua pelica 
Vai virar uma bela cuíca 

TODOS Mas não, mas não 
O sonho é meu e eu sonho que 
Deve ter alamedas verdes 
A cidade dos meus amores 
E, quem dera, os moradores 
E o prefeito e os varredores 
Fossem somente crianças 

Deve ter alamedas verdes 
A cidade dos meus amores 
E, quem dera, os moradores 
E o prefeito e os varredores 
E os pintores e os vendedores 
As senhoras e os senhores 
E os guardas e os inspetores 
Fossem somente crianças 

 


 (7) Minha canção

Enriquez - Bardotti
versão de Chico Buarque
1977

Dorme a cidade
Resta um coração
Misterioso
Faz uma ilusão
Soletra um verso
Lavra a melodia
Singelamente
Dolorosamente
Doce a música
Silenciosa
Larga o meu peito
Solta-se no espaço
Faz-se a certeza
Minha cançao
Réstia de luz onde
Dorme o meu irmão
(8) A pousada do bom barão

Enriquez - Bardotti
versão de Chico Buarque
1977

TODOS Vamos tratar uma hospedagem 
Pra descansar e seguir viagem 

GATA Olha que linda aquela pensão 
Se chama ``Pousada do bom barão'' 

JUMENTO Para mim, esse nome, não sei não 

GALINHA Já tou por aqui de tanto barão 

GATA Mas vamos, mas vamos, não custa tentar 
É só pruma noite e depois se mandar 

CACHORRO Ai, ai, ali tem uma placa 
Que cheira a uma bruta urucubaca 

TODOS Proibida a entrada 
Exijo gravata e dados pessoais 
Proibido aos mendigos e aos animais 
Ahhhhhhhhhhhhhh!!! 

JUMENTO Puxa, puxa, que desacato 
Eu, afinal, sou jumento ou rato? 

CACHORRO Poxa, poxa, que desrespeito 
Se duvidar, eu entro no peito 

GALINHA Cacilda, cacilda, que bela tramóia 
Já tava pensando numa bóia 

GATA Que bode, que bode, mas isso é o fim 
Parece que todos estão contra mim 

CRIANÇAS Tentem olhar ali pela janela 
Quem sabe não tem ninguém dentro dela 
E se for assim vocês podem entrar 
Fazer uma boca e se arrancar 

JUMENTO Puxa, puxa, o que é que estou vendo? 
Vivendo e aprendendo, vivendo e aprendendo 
Tem quatro pessoas naquele salão 
E uma das quatro é o meu patrão 

CACHORRO Poxa, poxa, vejam vocês 
É o meu patrão já com os outros três 

GATA Que grilo, que grilo, não é uma boa 
Aquela coroa é a minha patroa 

GALINHA Cacilda, cacilda, coisa de maluco 
É o meu patrão que tá com o trabuco 

CRIANÇAS Caramba, caramba, como é que é 
Eu acho que é hora de dar no pé 
Pra quem não quiser entrar de gaiato 
O melhor negócio é dormir no mato 

TODOS Caramba, caramba, como é que é 
Eu acho que é hora de dar no pé 
Pra quem não quiser entrar de gaiato 
O melhor negócio é dormir no mato 

JUMENTO Porém, porém, já tou fulo da vida 
Ter toda a razão e nenhuma comida 

CACHORRO A minha barriga não se acostuma 
A ter toda razão e comida nenhuma 

GALINHA Porém, porém, já me sinto aflita 
Me sinto assada, acho que tou frita 

GATA É já, é já, vamos sentar a pua 
Botar os safados no meio da rua 

TODOS Quatro juntos braços dados 
Damos o fora nesses safados 
Braços dados juntos quatro 
Chutar os safados pra fora do teatro 
Dados juntos quatro braços 
E esses safados já tão no bagaço 
Quatro braços dados juntos 
E esses safados vão virar presunto


(10) Todos juntos

Enriquez - Bardotti
versão de Chico Buarque
1977

Uma gata, o que é que tem?
- As unhas
E a galinha, o que é que tem?
- O bico
Dito assim, parece até ridículo
Um bicinho se assanhar
E o jumento, o que é que tem?
- As patas
E o cachorro, o que é que tem?
- Os dentes
Ponha tudo junto e de repente
Vamos ver no que é que dá

Junte um bico com dez unhas
Quatro patas, trinta dentes
E o valente dos valentes
Ainda vai te respeitar

Todos juntos somos fortes
Somos flecha e somos arco
Todos nós no mesmo barco
Não há nada pra temer
- ao meu lado há um amigo
Que é preciso proteger
Todos juntos somos fortes
Não há nada pra temer

Uma gat, o que é que é?
- Esperta
E o jumento, o que é que é?
- Paciente
Não é grande coisa realmente
Prum bichinho se assanhar
E o cachorro, o que é que é?
- Leal
E a galinha, o que é que é?
- Teimosa
Não parece mesmo grande coisa
Vamos ver no que é que dá

Esperteza, Paciência
Lealdade, Teimosia
E mais dia menos dia
A lei da selva vai mudar
Todos juntos somos fortes
Somos flecha e somos arco
Todos nós no mesmo barco
Não há nada pra temer
- Ao meu lado há um amigo
Que é preciso proteger
Todos juntos somos fortes
Não há nada pra temer

E no mundo dizem que são tantos
Saltimbancos como nós
(11) Esconde-esconde

Enriquez - Bardotti
versão Chico Buarque
1977

CRIANÇAS Esconde-esconde 
Cabra-cega 
Tá aqui? ou lá? 
Esconde-esconde 
Cabra-cega 
Vai sair um refrega 

GATA Venha, venha, quem me pega 
Tou escondida aqui na adega 
E assim que você chega 
Se você não pára 
Vai pensar 
Que tem uma bruxa que te arranha bem na cara 

CRIANÇAS Tá esquentando 
Tá esfriando 
Cadê? Cadê? 
Esconde-esconde 
Bicho-papão 
Vai dar uma confusão 

CACHORRO Vem chegando, meu barão 
Tou atrás do teu portão 
Vais tomar uma lição 
Se te aproximares 
Vais pensar 
Que tem um diabo te mordendo os calcanhares 

CRIANÇAS Tá escondido no curral 
Não vai ser muito legal 
Quem é? Quem é? 
Tá aqui? Ou lá? 

JUMENTO Venha, venha, meu rival 
Tou escondido no curral 
Não vou ser muito legal 
Se sair dos trilhos 
Vai pensar 
Que tem um fantasma que te chuta nos fundilhos 

GALINHA Venha, venha, com o trabuco 
Tou escondida atrás do cuco 
Preparando um arapuca 
Se tu me cutuca 
Vai pensar 
Que tem um dragão dando bicada na tua cuca 

GATA Vocês viram? 
GALINHA Co-co como eles co-correm! 
CACHORRO Agora eles não voltam mais 
JUMENTO Não! 
TODOS Vivaaaaa!!
   

 

 

 

 

 

1