Na mesa com os “amigos”...

escrito por Marcellus Cattete

Pois é , gente, estávamos de novo, a turma toda, na varanda da casa do Márcio Barbosa, beliscando uma carne seca e, também, o já famoso omelete acrobata do Renatinho, quando alguém falou de amizade. Me ajeitei na cadeira, e saí de canelada com essa: “hoje, após ler determinada matéria em revista de circulação nacional, cheguei à conclusão que não tenho amigos”.

- Ooooohhhhh!!!!!! Consternação geral!

- Será que não somos seus amigos? Perguntou alguém, mais ofendido ou fingido que os outros.

Então, estóica e pacientemente, já que a paciência é minha maior virtude, depois da inteligência, da beleza e da modéstia, respondi a todos:

- Amigo, mas, amigo mesmo, é o tal do Paulo Okamoto, aquele nissei com cara de bobo (e de bobo só tem a cara), que pagava as contas da família do nosso presidente Luizinho Inácio “Lula da Silva.

Bastava a “polaca” desejar um vestido novo, e, lá vinha ele, todo prestimoso, atender-lhe o sonho de consumo.

Viagem ao exterior?

Era só arrumar as malas e partir para o doce ócio turístico e cultural!

Negócio de R$20.000,00, R$30.000,00, não apertava o cara de olhos apertados, era só manifestar o desejo e chovia dinheiro para qualquer capricho do séqüito de Garanhuns. Nem a Fada Madrinha da Cinderella faria melhor com suas carruagens de abóbora e sapatinhos de cristal!

Ah, isso nenhum amigo meu jamais fez por mim! Que dia, qualquer desses caras do meu convívio, chegou para mim e se ofereceu para pagar alguma conta minha???

Não vou citar-lhes o nome para evitar tardios constrangimentos e falsos pedidos de desculpas:

Cambada de Judas (se bem que até Judas, hoje, é tido como amigo de Cristo!), falsos amigos.

Melhor teria feito se não tivesse perdido tempo com essa patuléia e me mandado para a região do ABC (Amigos Bons p'ra Caramba).

Lá, sim, tem amigos de verdade!

Rola de tudo: é dinheiro, Land Rover, empresa de fundo de quintal comprada a peso de ouro por operadora de telefonia, outro japonês (êta gente inteligente, sô!) que era ministro e dava consultoria para Fundos de Pensão. Enfim, é o melhor dos mundos.

Por isso eles são tão alegrinhos, que inventam até a “dancinha da pizza”, magistral e sensualmente performatizada pela vedete Joseense, Ângela Guadagnin.

Então, resolvi dar aos meus amigos uma chance única de se redimirem, já que não preciso do dinheiro deles: basta que paguem pelo menos minhas cervejas nos feriados em Guidoval.

E não vão faltar oportunidades, já que esse ano o que mais temos são feriados “enforcados”, tudo como um grande ABC.


e-mail
FALE com o Jornal de Guidoval
Jornal de Guidoval

1