Cabana da Vovó Engrácia
Nossa História
Grupo de filhos em foto de 1963
Os filhos no antigo terreiro, hoje nossa camarinha
Em 1948, Cydéa Paulo de Carvalho, iniciou seus passos na Umbanda no Terreiro de Pai Joaquim, que era um grupo dirigido por dona Hilda Marinho, passado um tempo, foi obrigada pôr circunstâncias alheias a sua vontade  a sair do grupo, então ingressou no Terreiro do Caboclo Tupinambá dirigido pelo Babalorixá Rocha, e em 30 -09-1955, fez sua obrigação para Mãe-Pequena. Porém um ano e pouco depois conheceu o Terreiro do Senhor Ogum Rompe Mato, que era dirigido pela Ialorixá Julia Pires Costa, o qual passou a freqüentar e em 30-09-1957, pelas mãos sabias de Mãe Julia, fez sua obrigação de Ialorixá.
Cydéa, filha dos Orixás Xangô e Oxum, lembrava a Mãe Julia, os mesmos Orixás de sua Mãe Dolores a fundadora da Cabana dos Pretos Fôrros, e quando de sua levantada da obrigação, Mãe Júlia, fez uma previsão, que Cydéa seria a continuadora dos rituais e preceitos da Cabana dos Pretos Fôrros.
Em 1959, Vovó Engrácia, preta velha que trabalha com Cydéa, como recompensa de um trabalho ganhou um barraquinho de madeira localizado à rua Mello Moraes 76 em Engenheiro Leal, Rio de Janeiro, no início eram só Adecy, Lygia, Glacy cujo esposo, Sr. joão Neme Abdala, foi quem cedeu o barraquinho, e as moças Wanda, Norma e o menino Roberto, logo outros filhos foram se unindo ao grupo, encantados pela doçura, meiguice segurança de Vovó Engrácia e em três anos a família cresceu e foi preciso conseguir um novo local.
Assim em 30-04-1964, mudava-se para sua nova sede própria a rua Padre Telêmaco, 276 em Cascadura Rio de Janeiro onde permanece até hoje.
Alguns dos filhos na festa dos 53 anos de Umbanda de nossa Mãe
Voltar
1