ECOS
   
   
 
Poemas

AQUI JAZ

No cintilar inflamável
O sol adormece...
E nu
Tenebroso
Sigo o cáustico das penumbras...
Lá encontro a lua embriagada
Desfalida
Nos braços de um horizonte sem fim...
Lá encontro a poesia dos cactos
E os poetas de rapinas...
Lá encontro a solidão
Nos corpos adormecidos
Das lápides...
Lá a terra nos alimenta seus estrumos
E amamenta-nos
Como filhos do seu colo!
Lá eu me calo
No meu poema eterno:
“DE AQUI JAZ...”

Élsio Américo Soares

 

------------------------------------------------------------------------------------------------- 

AR  PÓ  A  DOR

Arpoador tem um bar,
tem uma menina,
tem ondas que vão...
E mansas vêm beijar a pele do Rio!!!

Arpoador tem dois nomes de Gangs
entrelaçadas no pó da praia
dividindo a sensualidade da maré!!!
Arpoador tem uma Maratona
de duas sociedades do Medo
que vão e vêm pela orla
como dois predadores irracionais!!!

Arpoador tem duas milhas de sal,
alimento apenas de dois répteis
que no ano Três Mil rastejam ofegantes
pela porta do bar... Arpoador tem:

 

Élsio Américo Soares

---------------------------------------------------------------------------------- 

 

 

BERÇO VAZIO

 

Meu berço de tábua

hoje tem mágoa
de menino vadio,
que  v
a
g
a   no tempo
do esquecimento
e do sofrimento;
sem cama
c    a  de lenço,
sem mãe ao alento
e sem pensamento...
Se deita no peito,
seu leito estreito,
seu berço
v
a
z
i o...

Élsio Américo Soares

-------------------------------------------------------------------------------------------------

 

BRISAS

 

Frias almas

Que o vento enlaça –
D’onde vais enfim?

Tomar do orvalho a noite de lua?

Ou vens a mim,
Trazer o léu doutra alma pura?
D’onde vais brisas calmas?
Se a noite é minha
E tu perdida no frio és cálida!
D’onde vais aí dentro de mim?

 

Élsio Américo Soares

 

 --------------------------------------------------------------------------------------------------

 

CACHOS  LILASES

 

Cachos lilases

gotejam cristais,
nas vinhas fugazes
daqueles quintais.

Cachos lilases

de corpos fatais,
sumos e gases
venenos mortais.

Cachos lilases

daqueles quintais,
bêbadas frases
de débeis mentais.

 

Élsio Américo Soares

---------------------------------------------------------------------------------- 

 

CÁRCERE

Precipia o olhar
No áspero sonhar de velas,
Os trôpegos passos
Enterro encalços...
Co’o véu negro
Vou aninhar no coalhar da cela,
Onde um cego

Sentinela

Me vela como águia,
Como se fosse uma ferra sem fôlego
E amassado feito pão do diabo!!

======================================================

futuro

 

Deparei com o futuro...

E vi, a modernidade enfocar tudo;

Até os sentimentos:

O amor era o look de um laizer.

E a paixão...

Apenas um soovenir!!

Que hoje eu guardei pra ti...

 

 

Elsio soares

========================================================

Libertas

 

Encontrei um pássaro

Com o olhar incrédulo!

(agonizante)

Teus pios ainda estridentes...

(a tua liberdade ateada pelos pés!)

 

Vivi a ânsia

De vê-lo ganhar novo vôo

E nova alma!

 

Não pude querer tua morte

Se o libertaria para a própria vida!

 

Agora...

Sobrara apenas o espaço

(somente)

E nele um peito

À espera de liberdade...

Enfim,

coloquei-o no ar

(lentamente)

E dei-o a liberdade...

Sem fim!

 

 

Elsio soares

=======================================================

dunas

 

na beleza das dunas

avermelhadas pelo sol

não se ver a brisa que alterna

só se vê a areia que se move

(lentamente)...

fazendo o tempo existir na gente

(plenamente)...

elsio

======================================================

 

Agonia...

 

 

 

Atirei ao ar...

E um pássaro com o olhar

Angustiante

Ainda me fintara sôfrego...

(feri-o pela liberdade de tuas asas!)

(... mortalmente.)

 

Sofro no âmago:

Por ter perdido o teu vôo

E a tua alma!

 

Que posso querer da tua vida

Se o libertei para a própria morte?

 

Agora...

Sobrou apenas o teu canto...

Agonizante!

Que ecoa em mim...

(na minha mente!)

À procura da liberdade

Da liberdade...

Enfim.

 

 

Elsio soares

 

=====================================================================

lugar

 

  Olha o céu ...

             Nele não há mais lugar

                 Para tua alma...

                     Olha o mar ...

               Nele também não há mais lugar

                  Para tua alma...

                      Olha na minha direção

                   Profundamente...

                            E um céu

                             E um mar

                    No meu peito há de encontrar!!!

                               Calma...

                  Acalma a tua alma,

                       Dentro de mim

                   Haverá sempre um lugar!!

                              Sempre  haverá...

 

                                                                 Elsio soares

========================================================

 

saudade

 

O tempo passa...

Os anos... (tão logo!!!))

Volto ao lugar de onde partí..

Tudo mudou!!

A estrada já não é mais terra...

A casa d’onde morei,  agora vazia...(branca)...

Solitária no meio da rua,

Destelhada pelo vento;

Inda guarda o segredo da minha alma...

... minha vida nesse canto era simples, tão pequena...

O olhar só... enchia-me de mil alegrias!!

Agora...

Observo com tanta dor, a paisagem tão fria.

Tanto é a tristeza

Que  em meus olhos tão frágeis

Mina uma gota da saudade!!!

Para onde vai esta minha ida?

E onde está?

Onde?

Onde está?

Minha mãe querida!!!

O tempo passa em mim... e nada sei...

 

Elsio soares

==================================================

ETERNOS...


PARTÍ...
DEIXEI UMA ALMA
A CHORAMINGAR NUMA LÁPIDE
FRIA E CINZA...
SABE DEUS DA MINHA IDA...
TÃO BRUSCA!!! TÃO DOÍDA!!!
MAS, EU TINHA EM MIM UMA CINA...
TÃO JUSTA!!! TÃO PEQUENA!!
... ENCONTRAR NESTE MUNDO:
A OUTRA PARTE DA MINHA ALMA...
A OUTRA PARTE DA MINHA VIDA...
TÃO LINDA!!! TÃO VIVIDA!!!
E... AINDA HÃO DE SE ENCONTRAR NO PARAISO...AINDA...
ATÉ LÁ MEU ANJO...
NÃO CHORES POR MIM AGORA...
ELSIO SOARES

 

 

 

 

PROXIMA


VOLTAR

.



proxima

 

 
         
1