Jornal afirma: apoio de Kértesz a Lula foi farsa

Na sua edição de 18 de dezembro, o jornal A Província da Bahia, em reportagem de Cláudio Leal, denunciou o esquema corrupto de duas FMs, Tropical Sat (antiga Salvador FM) e Metrópole FM. Intitulada “Hoje deu girafa”, a reportagem critica a divulgação do jogo-do-bicho na Tropical Sat e o pretenso apoio de Mário Kértesz ao vitorioso presidenciável Luís Inácio Lula da Silva.

Sobre a Salvador FM, Leal comenta o sensacionalismo pefelista (relativo ao Partido da Frente Liberal, liderado na Bahia pelo senador Antônio Carlos Magalhães) do apresentador Marco Aurélio, tido “o jornalista mais completo e polêmico da Bahia” segundo propagandas da emissora em outdoor. Sobre os resultados do jogo-do-bicho, uma passagem risível é que um desses resultados foi divulgado antes da entrevista da delegada e Secretária de Segurança Pública da Bahia, Kátia Alves. Como o jogo é considerado uma contravenção segundo a lei, Kátia simplesmente cancelou a entrevista, desligando o telefone.

Quanto a Kértesz que, em nome de seus interesses, chama qualquer um de “meu amigo”, o “caloroso apoio” dado a ele na campanha de Lula foi desmascarado pela reportagem. Por trás desse apoio, havia a amizade do ex-prefeito e dono da Metrópole FM com o publicitário de Lula, Duda Mendonça. Direitista explícito, Kértesz não seria petista de graça, mesmo diante de um Lula mais moderado do que nos tempos de sindicalista.

Uma jornalista da UFBA, Sílvia Resende, fez uma tese que analisou os programas de Marco Aurélio e Mário Kértesz, apontando vários problemas éticos. Ambos são considerados extremamente populistas, mesmo o falsamente refinado Kértesz. Além disso, o fato de Kértesz confundir as contribuições de ouvintes com novas reportagens é criticado por ela e por profissionais como Rocha Meirelles, da Rádio Excelsior, e Armando Mariani, da Rádio Sociedade. Estas duas são emissoras AM que, por sua credibilidade, contrapõem a seus arremedos de FM que pululam no rádio de Salvador, nas quais se inserem a Metrópole e a Tropical Sat.

Meirelles e Mariani criticam os descuidos desses dois programas de FM, que pecam pelo uso de palavrões, pelo parcialismo e pelo uso equivocado de reclamações de ouvintes como se fossem “notícias”. Podemos, nós, deste site acrescentar também que Kértesz fala o que quiser, como se fosse o dono da verdade que confunde a objetividade ética do jornalismo (que ele diz cumprir mas não cumpre) com a subjetividade opinativa (que ele abusa em praticar). Mesmo sob um invólucro mais apelativo que o arcaico populista Marco Aurélio (espécie de clone muito malfeito do famoso locutor baiano Raimundo Varela), Kértesz revela-se altamente tendencioso, anti-ético e manipulador, o que ofende o direito de nós, brasileiros, de receber informação radiofônica com um mínimo de ética e bom senso possíveis. Um sujeito como Kértesz e Aurélio só estragam a nossa mídia. E, se Kértesz, ao “apoiar” e até ser locutor da campanha radiofônica de Lula, quis parecer “esquerdista” aos olhos da opinião pública, ele simplesmente provou o contrário: ser um direitista conservador, desonesto, oportunista. Certamente a boa esquerda (ou mesmo a boa centro-esquerda) não irá dar crédito a homens como ele.

 

Retornar

1 1