ANOTAÇÕES

V de Vingança

Livro I

Por Madelyn Boudreaux - 27 de abril de 1994.

31, 2, 3, O mundo é um palco!

Esta é uma citação da peça As You Like It, de Shakespeare, Ato II, cena VII. (Bartlett 211).


33, 3, 1, Beatniks

Beatniks foram artistas boêmios e poetas que, durante as décadas de 40 e 50, romantizaran a cultura do negro. Como uma regra, eles escutavam músicas de jazz, escreviam poesia avant garde, e mantinham opiniões politicamente esquerdistas (marxistas). O termo foi cunhado 1958, por Herb Caen, jornalista de São Francisco (Alfonso 7), e provavelmente foi derivada parcialmente do termo de jazz beat, que se refere a ritmo, adicionado ao perjorativo sufixo iídiche nik (Partridge, Unconventional, 1000). Porém, Jack Keroac, membro da geração beat, cunhou o termo original, beat, em 1949; ele insistia que veio do palavra beatific (beatífico, que torna bem aventurado) (Alfonso 7).


42, 2, 3, ...voltamos às cinco.

Uma expressão popular para dar um intervalo vem de uma frase do show business, embora leis de sindicatos agora requeiram dez minutos de intervalo (Sergal 219).


47, 2, 2, Mea Culpa

Do latin eu confesso ou a culpa é minha (Jonas 69).


48, -, - Bring me my bow of burning gold, Bring me my arrows/ of desire, Bring me My spear, O clouds unfold, Bring/ me my chariot of fire...I will not cease from mental/ flight Nor shall my sword sleep in my hand 'Till we/ have built Jerusalem In England's green and pleasant/ land.

Este é parte do poema de William Blake, And Did Those Feet (E Fez Esses Pés), do prefácio à sua coleção Milton. O prefácio de Blake para este trabalho foi um chamado aos cristãos para condenassem os clássicos escritos de Homéro, Ovídio, Platão, e Cícero, venerados no lugar da Bíblia. Ele declarou Nós não queremos modelos gregos ou romanos na Inglaterra; de preferencia, ele disse, seus companheiros Cristãos deveriam se esforçar para criar esses mundos de eternidade nos quais nós viveremos para sempre, (MacLagan e Russell xix). V está, a seu modo, tentando criar a sua idéia de Jerusalém, um mundo livre, na Inglaterra. A tradução é a seguinte:

Tragam meu arco de ouro candente,
Traga minhas flechas de desejo,
Tragam minha espada, ó nuvens que se desfraldam,
Tragam minha carruagem de fogo...
Eu não cessarei minha luta espiritual...
Nem descansarei a espada em minha mão...
Até termos erguido Jerusalém...
Nas terras verdes e aprazíveis da Inglaterra.


54, 2, Por favor, deixe que eu me apresente. Eu sou um homem de posses...
... e bom-gosto!


Esta é a abertura da canção Sympathy for the Devil, dos Rolling Stones, lançada em 1968.


55, 3, 3, Eu sou o Demônio e vim realizar a obra demoniaca!

Finch descreve esta citação como vindo de um famoso caso de assassinato, quase vinte anos antes de 1997. Uma busca em almanaques dos anos 1974 a 1979 revela que o único caso famoso de assassinato naquele tempo foi o do Filho de Sam/David Berkowitz. Berkowitz foi condenado por matar seis pessoas e ferir outras sete em ataques aleatórios nas ruas de Nova Iorque entre 29 de julho de 1976 e 31 de julho de 1977. Não havia nenhum motivo aparente por trás dos assassinatos; Berkowitz os explicou dizendo que foi um comando. Eu tive um sinal e o segui (Delury, 1978, 942). Considerando esta citação, e a aparente insanidade de Berkowitz, na qual o fez interromper seu julgamento com violentos ataques, é provável que esta citação venha desse caso.


56, 2, 1-2: O Senhor é meu pastor: e nada me faltará; Em um lugar de pastos, ali me colocou. Ele me conduziu junto a uma água de refeição. Converteu minha alma, me levou pelas veredas da justiça, por amor de seu nome!

Esta é a tradução feita da seguinte versão inglesa do 23º Salmo do livro bíblico dos Salmos, usada originalmente na versão em inglês de V de Vingança:

The Lord is my shepherd: therefore I can lack
nothing; He shall feed me in green pasture and lead
me forth beside the waters of comfort. He shall
convert my soul and bring me forth in the paths of
righteousness, for His name's sake...

Esta parece ser uma estranha versão deste salmo. Não é nada parecida com a versão padronizada pelo Rei James:

The Lord is my shepherd, I shall not want. He maketh
me lie down in green pastures; He leadeth me
beside the still waters. He restoreth my soul: he
leadeth me in the paths of righteousness for his
name's sake.
(Bartlett 18)

Procurei em várias bíblias e descobri que cada uma tinha uma versão diferente. Em uma versão bastante comum, da Holy Bible (versão católica padrão da Bíblia), lê-se:

The Lord is my shepherd, I shall not be in want. He
makes me lie down in green pastures, he leads me
beside quiet waters, he restores my soul. He guides
me in paths of righteousness for his name's sake.
(310)


68, 3, 1, The Magic Faraway Tree, por Enid Bla??

Embora muitos dos livros em V de Vingança sejam reais, este aqui parece ser uma das invenções de Moore. Nem o Oxdford Companion to Children's Literature, nem a Science Fiction Encyclopedia incluem o seu título.


73, 1, 3, Ouvi falar de um experimento...


A experiência, que não foi tão dramática quanto descrita em V de Vingança, foi administrada na Universidade de Yale em 1963 por Stanley Milgram. Os voluntários não estavam realmente acreditando que estavam matando as vítimas, e 65% (26 de 40 voluntários) continuaram administrando o que eles acreditavam ser perigosos e severos choques em suas vítimas (Milgram 376).


80, 2, 3, ... uma mistura de extrato de Hipófise e Pineal.

Moore se refere-se a uma mistura de substâncias extraidas das glândulas Pituitária e Pineal, embora eu duvide que tal mistura apresente os efeitos que Moore descreve na série. Deve ser apenas uma criação de Moore.


81, 3, 3, fertilizante de amônia

Alguns fertilizantes contêm amônia que, na presença de certas bactérias, pode ser transformada em nitrato, que é usada pelas plantas (Chittenden 99).


83, 2, 2, gás mostarda

Este gás foi criado para ser usado como arma química durante a Segunda Guerra Mundial. Causa severas vesículas na pele e irritação nos olhos. Sua estrutura química é (Cl2CH2CH2)2S (sulfeto de 1,1-dicloro-etil) (Enciclopédia Americana 679).


83, 2, 3, napalm

Napalm é um explosivo derivado da gasolina, também usado durante a Segunda Guerra Mundial (Enciclopédia Americana 724). Não acho que uma pessoa possa fazer Napalm ou gás mostarda a partir de ingredientes de jardinagem. (N. do T.: Como foi apontado por outras pessoas, há a possibilidade de produzir tais substâncias com produtos de jardinagem, dependendo, é claro, das condições de produção. Mas como estamos falando de uma obra de ficção, o autor deve ter admitido que, devido a sua impressionante natureza mental, o personagem V seria capaz de tais façanhas científicas).

Antes de acabar, gostaria de incluir uma observação: durante a tradução do material americano, encontrei muitas anotações referentes a imagens ou textos que não se encontram na versão brasileira, devido à adaptação da obra para o português. Como tais adaptações são, com frequência e infelizmente, incontornáveis, não podemos culpar os editores nem as editoras.

Assim, para manter uma certa fluência na legibilidade destas anotações, eu também as retirei das anotações acima, ao menos as que não pude adaptar.


INÍCIO -------------VOLTAR ------------- LIVRO II

 

 

 
 
 
1 1