ASSOCIAÇÃO POTIGUAR DE ARTETERAPIA
Principal
Nós
História
Profissionais
Artigos
Agenda
Links
Administração
Fale Conosco
Filie-se
Trabalhos
“Não há mudança da escuridão para a luz ou da inércia para o movimento sem emoção”.

Carl Gustav Jung, 1938
Apoio:
www.cimento.org
www.cimentobrasil.com
Arteterapia:A arte que cura (matéria do Jornal do dia, 29/03/2005)

Existe uma forma de expressão artística que ultrapassada as barreiras estéticas e está ligada, diretamente, ao auto-conhecimento e a cura de doenças subliminares da alma. Trata-se da arteterapia, que hoje é aplicada nas mais diversas situações. Mas vale lembrar que a prática trabalha o doente, não a doença.
Em Natal os arteterapeutas estão começando a divulgar os seus trabalhos através da criação de uma associação, que será apresentada para a sociedade na próxima quinta-feira, no auditório da UNP - Campus Floriano Peixoto, a partir das 20h. A Associação Potiguar de Arteterapia (ASPOART) buscará, entre outras coisas, a legalização da profissão de arteterapeuta, a divulgação dos benefícios da prática e a criação de um curso de graduação na área. A abertura da ASPOART será marcada por uma palestra sobre arteterapia, ministrada por Cristina Allessandrini. A especialista, que é coordenadora da Associação Brasileira de Arteterapia, em São Paulo, estará falando sobre os rumos da arteterapia no Brasil. O evento contará também com a presença de profissionais das áreas de saúde, educação, ONG's e empresas que já experimentaram os benefícios da arteterapia.
Não é de hoje que a arte é utilizada como terapia, há mais de 30 anos a especialidade vem sendo aplicada no Brasil. Mas para ser um facilitador da arteterapia, o interessado precisa ser graduado em algum curso das áreas de Humanas, Saúde ou Educação, além de passar por uma especialização com duração de dois anos. Em Natal, o curso é ministrado pela UNP e já formou cerca de 200 profissionais, que já estão inseridos no mercado de trabalho.

Arte sem compromisso estético
Uma obra de arte, consegue por si só, transmitir sentimentos como alegria, desespero, angústia e felicidade, de maneira única e pessoal, relacionadas ao estado espiritual que encontra-se o autor no momento da confecção.
A arteterapia tem como objetivo, favorecer o processo terapêutico, de forma que o indivíduo entre em contato com conteúdos internos e muitas vezes inconscientes, que foram barrados por algum motivo, expressando assim sentimentos e atitudes até então desconhecidos. A forma de extravasar esses sentimentos adormecidos é aplicada através de exercícios de artes plásticas, música e artes cênicas. "A arteterapia busca a expressão do verdadeiro eu, a partir daí vamos trabalhando auto-estima, depressão, carências, desejos e ainda promover um despertar artístico. Caso seja identificado algum tipo de distúrbio não tratado, encaminhamos o cliente para um psicólogo ou psiquiatra", explica Júnadi Mathias, que integra a ASPOART.
A utilização de recursos artísticos, como pincéis, cores, papéis, argila, cola, figuras, desenhos, recortes, etc, tem como finalidade a mais pura expressão do interior do "cliente" (os atendidos não são classificados como pacientes). O arteterapeuta não se preocupa com a estética, e sim com o conteúdo pessoal implícito em cada criação e explícito como resultado final.
A busca da terapia da arte é uma maneira simples e criativa para resolução de conflitos internos. "A arteterapia pode ser aplicada individualmente, assim como também em grupo. Não há classificação etária, nem contra-indicação", afirma Júnadi.
As linguagens plásticas, poéticas, musicais, dentre outras, podem ser mais adequadas à expressão e elaboração do que é apenas vislumbrado, ou seja, complexidade implica na apreensão simultânea de vários aspectos da realidade. Esta é a qualidade do que ocorre na intimidade psíquica; um mundo de constantes percepções e sensações, pensamentos, fantasias, sonhos e visões, sem a ordenação moral da comunicação verbal do cotidiano.
Outro detalhe interessante do trabalho da arteterapia, quando ligado ao suporte no tratamento de enfermidades, é que ele não trabalha apenas com pessoas doentes, cuida do médico também. "Venho desenvolvendo, há alguns meses, um trabalho para a diminuição da carga de stress dos profissionais da saúde. Através da terapia artística posso retirar cargas negativas, para que elas não sejam repassadas ao enfermo", disse a terapeuta.
Quem estiver interessado no aprofundamento dos estudos da prática deve procurar a Coordenação da Especialização em Arteterapia, localizada no Campus da Floriano Peixoto da Universidade Potiguar. O telefone é 3215-8508 ou 8825-2006 (Telma).
As Fotografias expostas no site são da Oficina Criativa realizada no SENAI_RN em maio/2004. Pelas profissionas:
*CATARINA CARDOSO AYRES LISBOA
*GRAZIELA AYRES FERREIRA DIAS
*LIANA SANTOS DE SOUZA
*MÁRCIA BERTELLI BOTTINI
*MARIA DOS PREZERES PEREIRA DA SILVA
*TELMA ROMÃO DE ALBUQUERQU
Oficina de arteterapia no SENAI
Oficina de arteterapia no SENAI
Oficina do SENAI
Oficina de Arteterapia no  Senai
Oficina no SENAI
Oficina Senai
Painel feito pelos alunos do SENAI
HISTÓRICO DA ARTETERAPIA NO BRASIL:

A Arteterapia tem sua origem no Brasil a partir de 1923, segundo o autor do livro Terapias Expressivas, Liomar Andrade, (2000) ao citar profissionais que realizaram trabalhos terapêuticos, utilizando-se da arte. Como Osório César,  desenvolvendo trabalhos sobre a arte dos alienados, observando a simbologia existente nas expressões artísticas dos seus pacientes e Nise da Silveira, nove anos após, estudando especificamente pacientes com esquizofrenia.  Tendo como fruto singular de seu trabalho a criação de um dos acervos mais importantes no mundo, onde são organizados e conservados trabalhos de expressão plástica dos internados do Instituto Psiquiátrico D. Pedro II. (
LEIA MAIS)