Yoga
[
Origem Histórica ] [ Efeitos ]
Racionalização dos Sentidos
[
Sexo ] [ Alimentação ]
[
Meditação Final ]



Yoga é uma filosofia prática. Significa "união". É proveniente da índia e sua origem oscila entre 20.000 e 5.000 Ac. Afirmam algumas lendas que tais técnicas seriam originárias de uma cultura pré-ariana e trazida de outros orbes.
Os mais radicais defendem que na Lemúria utilizavam-se certas práticas, inconcebíveis para nós, e que visavam proporcionar ao povo lemuriano o que ele mais necessitava devido à sua carência. Milênios mais tarde, o continente Atlântico veio a substituir geologicamente o da Lemuria e aquelas práticas foram fundamentalmente alteradas para se adaptar às necessidades dessa nova raça.
Consequentemente, o próprio nome da prática mudou para pertencer ao idioma do povo que a utilizava. Passaram-se mais alguns milênios e a Atlântida submergiu, não antes, porém, de alguns atlantes se retirarem para a Ásia, perpetuando, dessa maneira. os ensinamentos da prática citada.
Novas adaptações foram surgindo para que pudesse servir aos indianos que a acolheram. E sendo o idioma sagrado o sânscrito passou a chamar-se Yoga. As finalidades naquela época eram filosófico-espirituais por serem essas as carências da Humanidade.
Passaram-se alguns milênios e hoje encontramos o Yoga readaptado para as nossas carências atuais. Mas antes disso, chegou as Escolas de Mistérios do Egito, fonte na qual bebeu Moisés como príncipe egípcio que era, e por seu intermédio passaram essas doutrinas do Egito para o país de Israel, onde ganharam nova roupagem: a Cabala e graças a Orfeu que também se iniciou nos Mistérios do Egito, a Grécia conheceu rudimentos dessa doutrina sobre cujas adaptações se erigiram suas escolas iniciáticas.
Há sem dúvida uma identificação perfeita entre a mitologia grega e a hindu, como também o Decálogo de Moisés é bastante semelhante ao Decálogo ético do Yoga (cinco yamas e cinco nyamas).
Porém tantas adaptações e diversificações sob influências não raro políticas, acabaram por aniquilar a autenticidade dos primordiais ensinamentos e o mundo se voltou para a origem de tantas filosofias, indo buscar na Índia o Yoga e promovendo uma adaptação direta surgiu, então, o Yoga da forma como o conhecemos no século XX / XXI no Ocidente.
Ao contrário do que julgam algumas pessoas o yoga não é ginástica, e o Yoga se divide e subdivide em dezenas de ramos.
O que caracteriza a ginástica é: a repetição exaustiva de movimentos consideravelmente rápidos, tendo por objetivo trabalhar músculos e articulações, e, por conseqüência direta e imediata, a transpiração, a aceleração respiratória, a aceleração cardíaca, a fadiga; aceitando e, muitas vezes requerendo instrumentos e aparelhos para auxiliar a prática, limitando-se a influir no corpo, só chagando a beneficiar o psiquismo e a mente de uma maneira muito reduzida e indireta, e não possuindo o impacto terapêutico típico do Yoga, culminando na impossibilidade de se dedicarem a ela as pessoas cardíacas, hipertensas, muito idosas, enfermas, gestantes e convalescentes.

O YOGA é oriundo da Atlântida, misterioso continente submerso no oceano que lhe lembra o nome. Em passado remotíssimo, calculado pela ciência em cerca de um milhão de anos, havia uma só massa terrestre importante sobre as águas do planeta.
Esse vasto continente não constituía, no entanto, o primeiro a surgir do " MAGMA'', o complexo pastoso e efervescente que formou a capa externa da Terra quando esta começou a solidificar-se. Foi o primeiro elemento sólido e rochoso que emergiu da periferia terrestre, até então formada de lavas quentíssimas e gelatinosas, vindo a constituir o continente primordial do nosso planeta.
Até essa época cósmica só havia na Terra a vida mineral, a única capaz de resistir às duras condições climáticas do nosso globo, ainda em formação geológica. Durou enquanto a "cadeia mineral" cumpria a sua evolução.
Quando esse ciclo evolutivo se completou, um cataclismo rompeu a grande ilha gondwânica, fragmentando-a em diversos pequenos continentes, entre os quais o maior era a LEMÚRIA, situada mais ou menos à altura da atual Oceania.
Durante bilhões de anos esse novo continente foi palco de profundas transformações da vida mineral, presenciando ainda as mutações geológicas da crosta terrestre. Aos poucos, foi o Magma se diferenciando em águas e rochas, enquanto a vida mineral desenvolvia para a vida vegetal, encubada nas quentes areias e rochas da Lemúria.
Quando a separação definitiva das águas e terras se completou, a vida vegetal iniciou sua transformação em vida animal, nos mornos oceanos então surgidos.
Tanto a evolução vegetal quanto a animal, duraram e ainda durarão bilhões de anos. Em determinada época surgiu nas terras lemurianas o homem, oriundo de determinadas categorias animais.
A Lemúria foi portanto o verdadeiro ventre cósmico onde se realizou a gestação desse pequeno deus que é o Ser humano.
O homem primitivo assemelhava-se a um animal, hirsuto, expressando-se por grunhidos, feroz e combativo, era, no entanto, muito diferente dos demais Seres até ali existentes, porque já demonstrava uma certa aptidão para colocar-se de pé, na postura vertical que viria mais tarde a constituir uma de suas características essenciais.
Essa atitude, proveniente de sua destinação superior, capacitou-o a absorver pelo alto da cabeça determinadas vibrações siderais que terminaram por transformá-lo, após períodos cósmicos sem conta, no "homo sapiens" dos nossos dias.
O lemuriano desenvolveu ao máximo o corpo fisico do homem. Nele ainda não se haviam manifestado a emoção nem a inteligência. Sua evolução constituiu principalmente em organizar, além do corpo, o cérebro e o sistema nervoso fisicos, órgãos por meio dos quais as fulgurâncias da sensibilidade e do intelecto se iriam expressar, nas futuras humanidades que surgiriam com o desenvolvimento da evolução do planeta.
Quando morfológica e fisiologicamente o Homem estava completo, novo cataclismo abalou a Terra, fragmentando a Lemúria e fazendo surgir a Atlântida, à altura do Oceano Atlântico atual, acrescido de parte das Américas, da África, da Europa, além de ilhas distantes, como o Egito, a Índia, parte da China e do Cáucaso.
Convém notar que as rochas, na parte que não afundou com o primeiro cataclismo, constituem o "complexo cristalino brasileiro", as terras altas da África do Norte e as cordilheiras da Índia, ainda hoje existentes, tendo feito parte da Lemúria, da Atlântida e do mundo atual.
São as mais velhas rochas do planeta, constituídas de granito e gneiss, formas cristalográficas da parte sólida da crosta terrestre. Esse detalhe é importante, pois constitui prova de que existiram no Brasil civilizações remotíssimas, muito mais antigas que as mais vetustas descobertas pela História. A Atlântida deveria cumprir a missão de servir como morada do tipo humano que iria desenvolver a sensibilidade, atributo superior do Ser, em comparação com a estrutura física, comum a todos os animais.
Durante milhões de anos o continente vermelho, como é atualmente designado em YOGA, cumpriu sua nobre tarefa. Várias civilizações ali se desenvolveram, enquanto o homem ia também aperfeiçoando a sua forma e suas funções biológicas.
A pele, que nos lemurianos era escura e peluda, foi, através de enormes períodos cósmicos, se tomando limpa e corada. O Sol, cujos raios já penetravam melhor a atmosfera terrestre, agora livre dos vapores obscuros dos tempos lemurianos, crestou com suave cor alaranjada a tez formosa do atlante.
Muitos milhões de anos demorou-se a evolução trabalhando o Ser humano no continente vermelho, até que, completado o ciclo evolutivo do corpo astral, sede da emoção e da sensibilidade, tornou-se necessário promover o de senvolvimento da mente e do intelecto já potencial e embrionariamente existentes no homem.
A essa altura (cerca de um milhão de anos antes da nossa Era), a civilização atlante se desenvolvia em oito cidades principais, numa espécie de feudalismo teocrático muito semelhante ao da Europa medieval.
Seus rincões mais afastados estavam constituídos por parte das terras atualmente ocupadas pelo México, Peru, Egito, Índia. China, Cáucaso e Escandinávia, ocupadas por gentio inculto e bárbaro. Na altura do atual Estado do Rio de Janeiro e abrangendo parte da África Ocidental (América do Sul e Africa eram unidas), havia sido tentado o estabelecimento de um empório ou entreposto, sob direção de Baldezir, filho de Jetzabal, Rei da terceira Cidade". Baldezir foi surpreendido pelo cataclismo que fragmentou a Atlântida. Não era ''MANU'', mas um simples comerciante e conquistador.
Quando os SENHORES DO DESTINO julgaram oportuno, o continente vermelho foi rompido por tremenda convulsão tectónica, soçobrando nas águas e dando origem ao aparecimento do Oceano Atlântico.
A fragmentação e afundamento de Atlântida duraram de um milhão até noventa mil anos antes de Cristo, e deram origem à lenda do Dilúvio que abalou e destruiu o mundo, permitindo unicamente que Noé e as de sua arca sobrevivessem.
O último fragmento vermelho a submergir foi a ilha de Posseidones, referida por Platão e outros filósofos gregos, egípcios, balbilônicos e hindus. Para preservar a semente humana da destruição e assim permitir o prosseguimento da evolução do Ser, sete MANUS emigraram de atlântida antes de sua destruição para os rincões mais afastados, a fim de lançar ali a semente das futuras civilizações.
As regiões do atual México, Peru, Índia, Egito, China, Escandinávia e Cáucaso foram as escolhidas pelos iniciados da "Oitava Cidade" para receber os enviados atlantes e ali constituírem os núcleos das futuras comunidades.
Cada um desses enviados levava uma das espécies do conhecimento e da cultura atlante.
Vaisvávata que foi para Âryâvartta (antiga Índia), levava a ciência do YOGA, transmitindo-a ao povo daquelas paragens, também desprovido ainda do poder mental. Milênios mais tarde, quando os descendentes desse MANU conquistaram toda a península Índica tomando o nome de "áricos" (impropriamente chamados "ários"), começou aquela humanidade a desenvolver os atributos mentais, recompondo então, em bases intelectivas, os conhecimentos mágicos yoguis trazidos do continente vermelho.
Osíris, que foi o MANU do Egito, levou a astronomia mágica que ali seria transformada em ciência exata. Não é para causar admiração, portanto, que as pirâmides do Nilo encerrem tantas verdades astronómicas, inclusive a distância da Terra ao Sol, o diâmetro do globo terrestre, do valor de Pi etc.
Aos escandinavos foi legado o conhecimento náutico, que proporcionou aos Vikings atingirem a América séculos antes dos navegadores espanhóis e portugueses. gráfico entre o planalto e o litoral, por meio de pirâmides sonoras engenhosamente dispostas.
O MANU caucasiano
Joefal (origem do termo Jeová?) transmitiu ao gentio da região a sabedoria da medicina mágica, herdada pelos árabes séculos após, enquanto o que se dirigiu para a China legou aos seus habitantes o conhecimento do alfabeto atlante.
É claro que todos os MANUS possuíam o domínio completo da cultura e da ciência do continente vermelho, sendo, no entanto, especializados em determinado aspecto delas. Foi portanto a Índia o berço do YOGA, no que se refere à civilização "árica", correspondente à quinta-raça-raiz, que é a nossa.
O atlante constituiu a quarta-raça-raiz e o lemuriano a terceira. As anteriores, que foram a hiperbórica e a adâmica, estavam constituídas de Seres sem corpo físico ainda. A título de ilustração, citaremos que
Manco-Capac, o MANU que se dirigiu à região do atual Peru, levando o conhecimento relativo à engenharia, apareceu, segundo a lenda peruana, numa cabana em determinada ilha do lago Titicaca, ao lado de sua irmã e esposa.
Essa região tomou mais tarde, por corruptela, o nome de Copacabana (a cabana de Capac). Há três séculos, com a penetração jesuíta no Peru, foi ali erigida uma capela, em honra de Maria, mãe de Jesus, que passou a ser denominada Nossa Senhora de Copacabana, cujo culto espalhou-se rapidamente por toda a América.
Certo navegador de origem espanhola, açoitado por violenta tempestade no Atlântico, prometeu erigir, caso sobrevivesse, uma ermida àquela Santa, assim que pisasse terra firme. Essa terra foi o promontório onde atualmente se encontra o Forte de Copacabana.
A capela ali construída pelo navegador deu assim origem ao nome da mais bela praia do mundo.
Quetzal-Coatl foi o MANU que emigrou para a região do México atual, levando a ciência do poder vibratório do som, que permitiu aos Astecas, milênios mais tarde, estabelecerem verdadeiro sistema telegráfico entre o planalto e o litoral.
Se o leitor desejar mais, aconselhamos ler "A LIBERTAÇÂO PELO YOGA", de Caio Miranda.

Volta ao topo


- O que caracteriza o Yoga é: a não repetição dos exercícios, logo, não cansa; exercícios estes que não consistem em movimentos mas, sim, em posições estáticas ou em deslocamentos extremamente lentos, tendo por objetivo no corpo físico trabalhar glândulas endócrinas e o sistema nervoso cérebro-espinhal, e, por conseqüência imediata e direta, tranqüilização psicomotora voluntária e involuntária (neuro-vegetativo), o reequilíbrio harmonioso das funções orgânicas e emocionais, a reintegração estética corporal, etc. sem transpiração, palpitação, respiração ofegante, dor, desconforto nem cansaço de espécie alguma, jamais aceitando para a prática instrumento algum além do próprio corpo do praticante, o que lhe confere uma autonomia incomparável, não se limitando a trabalhar o corpo físico, mas na realidade começando de cima para baixo, concedendo mais de 80 % do trabalho e dos efeitos à mente e ao espírito, representando, a parte material, somente um modesto reflexo do que se verifica acima dela (assim o corpo é influido por via indireta), possuindo um impacto terapêutico tão grande que o professor desta filosofia não deve trabalhar sem a assessoria de um ou mais médicos, culminando isso na possibilidade de se dedicarem ao Yoga as pessoas cardíacas, hipertensas, muito idosas, enfermas, gestantes e convalescentes. São diversos os ramos de Yoga chamados "físicos" por possuirem grande quantidade de técnicas orgânicas e sensoriais, não devem ser confundidos entre si. Yoga consiste na execução de exercícios encadeados, não raro começando um onde termina o anterior; algo como um ballet místico e estático.

"YOGA É UMA PRECE FEITA COM O CORPO"
Volta ao topo


OS EFEITOS DO YOGA

Jamais alguém poderia colocar no papel nem sequer a décima parte dos ensinamentos Yogis. Com relação aos efeitos, essa percentagem já é enorme, há milênios, poderíamos dizer que o Yoga proporcionava a identificação com a Divindade, a iluminação do intelecto, a elevação espiritual, o desenvolvimento dos poderes latentes e a perfeição fisiológica. Dizer isso hoje seria muito pouco.
O Yoga foi integrado a Medicina, a Psicologia, a Parapsicologia, a Fisiologia, a Psicoterapia, ao Esporte, a vida familiar, social e profissional do indivíduo. Em linhas gerais, podemos dizer que os efeitos obtidos pelo Yoga são análogos aos obtidos pela psicanálise, sonoterapia, hipnose, ginástica, massagem, sauna e dietética, todos juntos.
Sendo, como já foi dito, impossível citar todas as vantagens obtidas com a prática do Yoga, vamos citar apenas as de caráter terapêutico dentro daquilo que já é sabido e notório de todos os praticantes. São efeitos que todos observam facilmente, centenas de obras os citam e cuja maior parte consta dos relatórios de nossos praticantes.
O Yoga confere maior calma e tranqüilidade, aumenta a memória, o raciocínio, a inteligência, a lucidez mental e a concentração. Aumenta o potencial subconsciente transferindo-o para a esfera consciente. Combate (com a indispensável assistência do médico): adenóides, adiposidade, aerofagia, afonia, amenorréia, amigdalite, anemia, angina no peito, angústia, anomalias hepáticas, apendicite, artrite, asma, bócio, bronquite, bursite, carência de peso, colite, celulite, cálculo nos rins, catarro, ciática, cólicas menstruais, deformações das espáduas, doenças do coração, desvios da espinha, diabete, dilatação do baço, dismenorréia, dispepsia, distúrbios gastro intestinais, distúrbios do sistema nervoso, dores de cabeça, dores nas costas, dores de garganta, dores nas pernas, ejaculação precoce, envelhecimento precoce, esterilidade, excesso de peso, excesso de apetite, extremidades frias, fobias, flacidez, fragilidade capilar, fraqueza do estômago e cólon, gases, gastrite, gripes, hemorróidas, hérnias, hipertensão, hipotireoidismo, hipertireoidismo, hipertrofia da próstata, impotência sexual, inapetência, inflamação das vias respiratórias, insegurança, insônia, insuficiência ovariana, irregularidades menstruais, irregularidades do metabolismo, laringite, leucorréia, lumbago, neurastenia, polução noturna, prisão-de-ventre, reumatismo, rinite, rouquidão, sinusite, rugas, sono agitado, taquicardia, temperatura alta ou baixa, tremores nervosos, timidez, úlcera, varicela, varizes, varicocele e visceroptoses.
Ajuda a modelagem e estética do corpo, o crescimento, o desenvolvimento muscular, a flexibilidade articular, vitaliza os pulmões e vias respiratórias, melhora a circulação, enrijece os seios, auxilia o parto sem dor. Combate o cansaço e o desânimo. Estimula e entusiasma. Contribui para um melhor aproveitamento no trabalho, nos estudos, nos esportes, para uma maior disposição, alegria e bem-estar para enfrentar os problemas do cotidiano. Corrige algumas imperfeições da visão, tendo-se obtido ótimos resultados contra o astigmatismo.
Yoga influencia beneficamente quase todas as enfermidades, auxiliando como profilaxia para as mesmas e tornando mais positivas as atitudes mentais, emocionais e praticamente imunizando contra as de fundo nervoso ou glandular. Segundo a psicossomática, quase todas as enfermidades têm suas origens no psiquismo, portanto, admite que o Yoga cura quase todas as enfermidades.
Em um curso sobre os aspectos místicos do Yoga, ministrado na Rosacruz, foram dividir as finalidades do Yoga, da seguinte maneira: "Em Yoga cada um encontra aquilo que for buscar: - o sábio encontra mais sabedoria; o buscador de mistérios encontra muitos; o religioso encontra Deus; o homem de ciência descobre novos conceitos; o filósofo encontra a mais transcendental das filosofias; o enfermo encontra a cura; e o ocultista, o poder.
Há, entretanto, para nossa prática, uma certa quantidade de finalidades definidas, quais sejam : aniquilamento de complexos e recalques e outros problemas emocionais; equilíbrio psicossomático, perfeição do corpo e da mente lucidez mental, ampliação da consciência, favorecimento do Pratyahara ou abstração dos sentidos, favorecimento do Dhárana ou concentração focal da consciência, favorecimento do Dhyana ou meditação, favorecimento do Samadhi ou êxtase místico, desenvolvimento dos Siddhis ou poderes psíquicos, transformação da energia sexual em Ojas ou despertar equilibrado do Shakti Kundalini.
Fisiologicamente, são as seguintes as principais finalidades comuns a quase todos os exercícios, ou obteníveis pelo conjunto dos mesmos : prevenir e contribuir para a cura de várias enfermidades dos aparelhos digestivo, excretor, reprodutor, respiratório, circulatório e equilibrar o sistema nervoso, glandular, ósseo e muscular, reduzir em 90% a propensão ao câncer reduzir em quase 100% a propensão a qualquer enfermidade não virulenta, triplicar a resistência contra enfermidades virulentas, imunizar contra enfermidades de fundo mental ou nervoso, fortalecer os músculos, tornando-os mais voluntários, embelezar e harmonizar as formas corporais e faciais.
- O Yoga pode promover o completo despertar espiritual do Homem, e preparar seu corpo físico e psíquico para esse despertar, dando-lhe saúde e perfeição.
- O Yoga é um processo de auto aaperfeiçoamento integral do Ser Humano.
Sendo a velhice o enfraquecimento e enfermidade generalizados, a diminuição dos reflexos, da lucidez mental e da potência sexual, bem podemos compreender porque o Yoga é considerado o melhor processo para sustar o envelhecimento e iniciar o rejuvenescimento. Como vemos, seria descabida pretensão querer colocar no papel mais do que uma ínfima porção dos efeitos mais comuns.

Volta ao início


RACIONALIZAÇÃO DOS INSTINTOS

- SEXO -

Sem dúvida o sexo merece o primeiro lugar, porquanto é o mais importante dos nossos instintos. É graças à energia sexual aumentada e sublimada que se atingem os passos mais adiantados do Yoga. Como que intuindo tal fato, o terceiro terço do século XX se tornou a era da dissolução dos tabus sexuais. Comecemos estudando a atuação do sexo na esfera espiritual. O Ser Humano possui 72.000 nádis no seu veículo energético (nádis são correntes de prana análogas aos canais e pontos da acupuntura e à corrente sangüinea).

Os três principais são: - Sushumma , que é bipolar e espacialmente corresponde à medula espinhal, interpenetrando-se com ela. - Ida , que é negativa de polaridade e inicia no testículo direito ou no ovário esquerdo e termina na narina esquerda do homem ou na direita da mulher - Pingala , que é de polaridade positiva, inicia no testículo esquerdo ou no ovário direito e termina na narina direita do homem ou na esquerda da mulher. Essas três correntes são vitalizadas na proporção direta da vitalização das gônadas e posterior sublimação da energia, que deixa de ser sexual para transformar-se em Ojas. Com isso desenvolvem-se os chakras e desperta-se o Kundalini. Embora socialmente seja comum exercer uma considerável repressão ao sexo, espiritualmente não ocorre assim. Sexo para o Yogi tem outro significado. É polaridade puramente, despido de conceitos (e preconceitos) de bem e de mal. Sexo no Yoga é diferenciação entre atos, objetos ou seres com polaridade positiva ou negativa e qualquer conceituação baseia-se nas motivações, quiçá coerções, e conseqüências desses atos, objetos ou seres polarizados, isto é, sexuados. Noutras palavras, o ato, ou o ser, não é bom ou mau em si (diríamos aprovável ou reprovável), mas sim as circunstâncias ambientais (país, clima, raça, costumes etc.) e os efeitos diretos ou indiretos de sua existência. Vejamos o caso da roupa, já que este é um tabu em plena mutação. Há anos atrás, e ainda hoje em algumas partes do planeta, o ato de se despir diante de outro ser humano era "reprovável"; no entanto, diante de um ser vegetal, mudava a conceituação. Logo, o ato em si nada continha: por si só era vazio. As circunstâncias é que lhe conferiam significado. Questão de convenção. Como também é questão de convenção a maior parte dos seres humanos estar inapta mentalmente para aceitar os banhos públicos do Japão, ou as saunas coletivas dos países nórdicos, ou ainda as centenas de colônias naturistas da Europa e Estados Unidos. Na esfera psíquica, emocional-mental (kama-manas), o sexo tem uma atuação das mais decisivas. O ser humano condicionou-se, através de uma educação ético-religiosa bitolada, de maneira a associar o sexo com a malícia, o sarcasmo, a animalidade. A fonte de quase todos os males nervosos, emocionais, psíquicos, descansa sobre o sexo. Não no sexo em si, mas nos usos e interpretações errôneas que já causaram tanto mal na Idade Média. Alimentação e sexo, conservação e reprodução são dois instintos paralelos que o Homem tem o direito de requintar e a obrigação de racionalizar e educar. Alimentar-se com produtos contrários à inteligência, grosseiros e excessivos, é uma demonstração de curteza intelectual e insensibilidade, que leva ao embrutecimento do psiquismo e do funcionamento orgânico. O mesmo ocorre com o sexo.

TODAS AS REAÇõES PSICOLÓGICAS, EMOCIONAIS, MORAIS E INTELECTUAIS COM RELAÇÃO AO SEXO DEVEM SER RIGOROSAMENTE AS MESMAS EXPERIMENTADAS COM RELAÇÃO À ALIMENTAÇÃO, INCLUSIVE OS CONCEITOS DE HIGIENE, EDUCAÇÃO E PRAZER.

Aquele que não tem pretensões de galgar os estágios mais elevados do Yoga, aquela pessoa normal que tem uma profissão e uma família com todas as suas implicações sociais, deve seguir a orientação mais liberal possível quanto a este assunto.
O leitor deve se preocupar em utilizar esse manancial de força e energia para melhorar sua saúde, seu sistema nervoso, seu psiquismo, sua produtividade no trabalho, nos estudos, nos esportes. O Yoga possui uma grande quantidade de conselhos, observações e práticas para aproveitar a energia genésica no combate das enfermidades, no aumento da memória, concentração e lucidez mental.
Algumas dessas práticas são capazes de aliviar rapidamente problemas de consciência, carência de afeto, sentimento de solidão mesmo em meio a uma multidão etc. Primeiramente é preciso que se desligue totalmente dos preconceitos, dogmas e tabus da religião e da sociedade. É imprescindível que o sexo oposto seja compreendido de forma descondicionada. Não estamos falando de homens e mulheres e sim de seres humanos.
Pessoas com os mesmos direitos e deveres independentes de serem machos ou fêmeas, porque na sociedade da era de Aquárius, não há lugar para classes tiranizantes. No passado, o homem, abusando do poder físico e econômico, impôs á mulher toda sorte de limitações e castrações.
O pior é que a própria mulher assimilou o condicionamento e perdeu o sentido de auto-determinação, e é ela própria quem motiva as campanhas "moralizadoras". Depois do Yoga, a psicanálise foi a primeira a reconhecer a importância do sexo em todas as atividades humanas e até mesmo nas doenças, vícios e virtudes. Atualmente está sendo a primeira a recomendar o intercâmbio sexual àqueles que se mostram portadores de certas anomalias emocionais, bem como àqueles cujos problemas permanecem impermeáveis a qualquer tratamento.
Nos Estados Unidos da América foi criada, em 1967, a técnica psicanalítica em que um grupo de ambos os sexos permanecem durante toda a consulta despidos numa pequena piscina interna. Segundo seus defensores, o método facilitaria a quebra das barreiras psicológicas e da resistência subconsciente ao "mundo exterior hostil" além de auxiliar a comunicação entre os próprios clientes e entre eles e o analista. O primeiro movimento separativista do Ente Humano é criar em torno de si uma muralha de tecidos que o isole e proteja dos demais. Já há anos foi dado conhecer ao mundo que na Europa muitos campos de Yoga procediam às suas práticas como em regiões da Índia, sem o incômodo dos trajes tolhedores.
Na esfera física, nossas considerações se limitam ao intercâmbio entre dois seres inteligentes, uma vez que a fisiologia, higiene, tratamento de enfermidades, etc., são da responsabilidaue de outros profissionais. Os chakras e nádis dos que se unem sexualmente promovem uma quase perfeita coincidência de localização e suas auras se interpenetram. Há uma troca perfeita, não só de ações e sentimentos, mas de vibrações orgânicas e psíquicas. O contato sexual Yogi é um poema, uma prece.
Um Yogin promove um relacionamento inteligente e consciente, pleno de sentimento, que lhe exija um mínimo desperdício de energias. Há técnicas que permitem unificar as vibrações de cada um e, com esse produto, aumentar a sua própria energia, saúde, vitalidade e beleza. Se o leitor desejar promover um contato mais sutil, atente para o seguinte :-)
Tal como citamos nas regras alimentares, esses momentos devem ser de descanso, paz e tranqüilidade, sem pressas, nervosismo, preocupações, etc. Seria de bom alvitre proceder a um relax previamente. O ambiente deve ser suave e tranqüilo, com muita luz e bem arejado. A decoração deve ser em cores frias e claras, de preferência o azul celeste. É aconselhável fazer-se prefaciar e acompanhar de música suave.
Absolutamente não se deve admitir, depois de tantos cuidados para manter a mente lúcida e as emoções aquietadas, que o praticante comprometa tudo isso com o tabaco e o álcool. O casal deve palestrar algum tempo com ternura, durante o que iniciam-se as carícias preliminares, dessa forma confirma-se que há lucidez, tranqüilidade e muito amor: não instintivismo e passionalidade.
Sentindo a solicitação da natureza, pode-se iniciar o contato cuja posição obedece às conveniências anatómicas do casal e aos conselhos do médico. É principalmente neste ponto que ambos devem controlar o ritmo respiratório, mantendo-o lento e profundo.
Evitem-se rigorosamente as volúpias e as atitudes que possam magoar seu companheiro ou companheira, pois tal, primeiro, baixaria o teor vibratório da união e, segundo, poderia desinteressá-lo definitivamente. Não é preciso muito discernimento para saber-se quais são essas atitudes, mesmo porque variam de uma pessoa para outra.
Se nessas circunstâncias ocorrer a fecundação, o ser assim gerado terá todas as probabilidades de evoluir física, mental e espiritualmente muito acima da média humana (porém, se já houver intenções de fecundar, há outros cuidados especiais).
Ao término, evite-se mudar traumaticamente de estado físico e emocional. Deve-se relaxar mais um pouco, derramando ainda mais amor e ternura sobre essa pessoa que aquiesceu em permutar seu afeto e seu corpo com você, um banho posterior servirá para dissolver os resquícios vibratórios do ato, para que este não possa interferir nas atividades intelectuais do dia que se segue, sem dúvida, você observou que o ato realizado entre dois Yogins difere radicalmente da união realizada entre duas pessoas comuns, muito mais diferirá se o yogjn adotar as práticas da escola,Tântrica, que fazem parte do Yoga, pois nesse caso, o próprio orgasmo é substituido pelo exercício do Maithuna.
Isto é, contato sexual que se pode manter por várias horas de plena satisfação física e afetiva, sem cansaço nem desperdício de energia. A "Comunidade Oneida", liderada por uma médica estadunidense, pesquisou os efeitos dessa prática realizada durante anos por centenas de casais pertencentes à referida entidade e concluiu que os distúrbios comuns ao sexo feminino foram eliminados, bem como a impotência masculina, o orgasmo precoce, a masturbação, a frigidez e um bom número de disfunções orgânicas gerais e nervosas.
Por outro lado, a incidência dos desentendimentos entre casais reduziu-se sensivelmente e a produtividade profissional, intelectual e artística aumentou bastante. Na verdade tais conclusões já constavam dos compêndios de Yoga, tanto das obras clássicas quanto das modernas, em especial sobre Tantra Yoga, que se ocupa notadamente do sexo. Não obstante, tal confirmação pelas vias científicas nos é muito grata.
Ao que deseja executar os exercícios de sublimação sexual, aconselhamos ler os "Vinte Cursos Específicos", pois um desses cursos é especialmente de práticas diversas para a transmutação da energia genésica em Ojas.
Aquele, entretanto, que deseja se aprofundar no estudo das práticas que visam aplicar o sexo com fins de utilidade fisiológica, artística, psíquica ou espiritual, preferimos não orientar, recomendando primeiramente um conhecimento perfeito da matéria, para o que indicamos a bibliografia tântrica.

Volta ao topo


--- ALIMENTAÇÃO ---

Limitar-nos-emos a fazer uma síntese mais ou menos comum a todas essas linhas, com algumas regras alimentares e indicação de produtos utilizados pelo Yogin, por serem mais nutritivos e benéficos para o corpo e a mente, bem como aqueles cujas propriedades auxiliam no combate indiscriminado às enfermidades que aborrecem o dia-a-dia e que terminam por matar lentamente o individuo. A prisão de ventre ou constipação é um desses males crônicos, comuns a toda a humanidade, inclusive àqueles que julgam não sofrer da mesma. Não basta descarregar os intestinos uma vez por dia e sim uma vez para cada refeição principal. Muito vai do hábito, porém a alimentação correta contribui para a regularização orgânica. Esse pequeno mal, associado à ingestão de produtos nocivos, vai gradativamente intoxicando o organismo, chegando, no decurso de alguns anos, a produzir as mais diversas enfermidades (algumas nem são consideradas como tal, uma vez que todos os civilizados sofrem delas). Tudo isso culmina com a morte prematura aos 60 ou 80 anos. No entanto, o Homem não está fazendo favor nenhum em viver mais de 120 anos com saúde, vigor e lucidez, pois essa é a média natural da vida humana se não for encurtada pelas doenças, acidentes, sedentarismo, hábitos errôneos ou problemas de sistema nervoso.


ALIMENTOS NOCIVOS:

As frituras, alimentos requentados, excesso de sal, temperos picantes, pimenta, álcool, café, chá comum (preto), conservas e enlatados, produtos beneficiados em geral, como o arroz branco ou o pão branco, aditivos químicos, alimentos artificiais, adoçantes sintéticos, aromatizantes, estabilizantes, corantes são desaconselhados por qualquer sistema racional de alimentação.
Algumas correntes consideram prejudiciais a batata, o tomate e a berinjela. A totalidade, entretanto, considera como substâncias física e mentalmente nefastas o açúcar e a carne. E, ao contrário do que se pensa vulgarmente, a carne não faz nenhuma falta ao organismo, mas a proteína sim.
Um vegetariano pode fazer suas refeições em qualquer parte sem restrições nem acanhamentos. No nosso caso, fizemos, todas as refeições em restaurantes não especializados, não precisando ficar com carências alimentares nem utilizar poucos ou desagradáveis alimentos. Há mais de 15.000 variedades nutritivas e saborosas nos pratos de legumes, verduras, cereais, frutas, ovos e leite.
E ainda restam as massas, retire do forno e cubra os pães com o queijo de sua preferência, fatia de ovo cozido e de tomate. Se não utiliza tomate, pasta de cenoura; volte ao forno para derreter o queijo e sirva quente. Algumas pessoas têm incompatibilidades alimentares. Convém estudar seu organismo antes de obedecer a regras coletivas.


ALIMENTOS BENÉFICOS:

Embora não seja possível seguir tudo à risca, o ideal seria adotar o feijão de soja, azuki ou lentilhas em substituição aos feijões tradicionais; substituir o arroz branco pelo integral (semi polido); o açúcar pelo mel ou melado (em último caso o açúcar cristal ou o mascavo); a carne de mamífero pela de aves, a de aves pela de peixes e esta pelos ovos, leite, a soja, os queijos, coalhada e yogurte.
Quando for possível, evite-se qualquer alimento de origem animal. Deve-se evitá-lo mesmo em utensílios e vestuário;. Ainda que não trouxesse prejuízos fisiológicos, seria uma prática involuida, retrógrada, bárbara e brutal.


NORMAS DE ALIMENTAÇÃO:

Deve-se comer com tranqüilidade, sem os sentimentos de pressa, preocupação, cansaço, raiva ou qualquer outro de inquietude ou excitabilidade. A mastigação deve ser intensa, liquefazendo os sólidos. A regra de mastigação é "beber os sólidos e mastigar os líquidos". Atividade mental ou física durante ou após as refeições é contra-indicada.
Os líquidos não devem ser ingeridos durante as refeições. Antes, só com o espaço de quinze minutos e depois, somente com duas horas. Os gelados não compensam os prejuízos causados à digestão.
Evite-se comer às pressas ou até a saciedade. Deve-se ficar sempre com um pouco de fome. Jejum total de um dia por mês é muito útil.


- SOMA -

Nas duas grandes mitologias, a grega e a hindu, encontram-se referência a uma bebida sagrada, alimento dos deuses, através da qual se atingiriam facilmente estágios extremamente evoluidos, saudáveis e purificados do corpo, mente e espirito culminando numa longevidade bastante dilatada e, graças ao estado de leveza orgânica, na própria Iluminação Espiritual.

Volta ao topo


PENSAMENTO FINAL:

Essa filosofia veio da Atlântida, o misterioso continente submerso no oceano que tem o mesmo nome, e foi transmitida oralmente aos povos que habitavam a primitiva Índia, por alguns Sábios que, tendo notícia antecipada do cataclismo emigraram para regiões que não seriam atingidas. A história desse continente se perde na noite dos tempos.
Muito se tem dito sobre ele, mas o único depoimento valioso que chegou até o mundo chamado profano, foi o de
Platão , célebre filósofo grego, discípulo de Sócrates, outro portento da cultura helênica. Segundo ele, os gregos mais antigos tiveram conhecimento do último rincão atlante a desaparecer sob as águas, a ilha de Posseidones, que
submergiu cerca de 90.000 anos antes da nossa Era. As primeiras ruturas e afundamentos se passaram 800.000 anos mais cedo. Não se impressione, caro amigo, com esses fantásticos números, pois a chamada raça árica, à qual pertencemos, é velha de mil milênios, e as que a precederam mais vetustas ainda.
Os atlantes atingiram altos níveis de civilização, embora fosse ela mágica, isto é, conseguida sem emprego da mente, que só na raça ática, a nossa, deveria desenvolver-se. A raça vermelha, como é cognominado o povo da Atlântida nos textos tradicionais, desenvolveu e aperfeiçoou a emoção, e seu contato com a realidade externa era feito por meio da sensação pura, sem interferência dos atributos do intelecto.
YOGA é ciência pura, técnica das mais adiantadas, sobretudo porque é baseada em conhecimentos perfeitos a respeito do Ser humano e do seu modo de funcionamento, tanto na parte física e fisiológica, como na esfera psíquica e espiritual. Mas vamos continuar nossa dissertação sobre os atlantes, cuja consciência era totalmente emocional.
Aquele povo desenvolveu ao máximo as faculdades e atributos da emoção, enquanto as raças-raízes que o precederam, desenvolveram e aperfeiçoaram o corpo físico. Nossa raça, a quinta-raça-mãe, desenvolverá e aperfeiçoará a mente e os atributos mentais, como o raciocínio, a memória, a imaginação, o discernimento, o poder mental criador, etc.
Por aí Você já vai vendo que cada grande raça humana desenvolve um dos veículos ou corpos do homem: corpo físico, corpo emocional, corpo mental, etc. Raça em YOGA não tem a mesma significação que em etnologia ou geografia. Raça-raiz é o homem com certas condições e atributos.
Por essa razão as conquistas e vitórias legítimas da nossa civilização atual são as mentais, significando tudo aquilo que conseguimos através do emprego consciente da nossa atividade intelectual. Não iríamos hoje, para sermos aprovados num concurso ou num exame, consultar um vidente para que ele nos indicasse antecipadamente as questões da prova, mas sim estudar para conseguirmos sucesso na empresa.
Há os que se servem de tais meios ilícitos, mas estes terão de se conformar a arcar com a responsabilidade que engendraram, por obter aquilo a que não teriam direito por merecimento próprio. Para entender bem o que lhe estamos dizendo a respeito dos atlantes, procure compreender que pensamento e emoção, ou melhor, que as atividades mentais e as emocionais, são coisas diferentes, embora intimamente ligadas.
Se Você pensa na pessoa amada, sentirá saudade, emoção amorosa, etc., mas é claro que a imagem que Você evocou com a mente para visualizar no campo subjetivo da memória o Ser que é objeto do seu amor, é uma realidade ou atividade mental, diversa do sentimento de amor, que é atividade emocional.
Ao contrário, se Você sente a emoção do amor, é provável que sua mente elabore, como reação natural, a imagem da pessoa amada. Então Você já entendeu que as atividades mentais e as emocionais são independentes, uma provocando a outra, embora constituam realidades diferentes.
É de capital importância compreender isso, porque toda a técnica yogui para superação da angústia e dos estados de sensibilidade exagerada, está baseada nessa interdependência subjetiva, lhe serão explicadas as práticas para acalmar, disciplinar e imobilizar a mente, fazendo cessar toda sorte de pensamentos, você ficará perfeitamente senhor dos meios para anular e vencer qualquer emoção, livrando-se então definitivamente das torturas da insegurança, fobias, pavores infundados, angústias, insônias e as demais sensações negativas que costumam acompanhar as neuroses, os estados de. esgotamento e de estafa.
Se Você quiser dar-se ao trabalho de meditar um pouco, verá claramente que tudo aquilo é provocado pelos pensamentos sem controle, pela atividade desordenada da nossa mente. Não somos responsáveis por isso, pois nos ensinaram erradamente desde os primeiros dias da infância, que a mente tem necessidade de movimentar-se, elaborar pensamentos continuadamente, num frenesi ininterrupto, despertando, provocando e alimentando, sem que saibamos, toda a gama de emoções deprimentes e negativas, que terminam por escravizar a criatura e fazê-la imensamente infeliz.
Nossos pais geralmente nos deseducam de maneira completa, embora animados dos mais generosos propósitos educativos. É que eles desconhecem e ignoram a complexidade e a importância que hoje tem a técnica da educação e, ao invés de nos prepararem para encarar os problemas da vida com serenidade, equilíbrio e segurança, nos condicionam de maneira totalmente negativa para tais coisas.

Volta ao topo


MEDITAÇÃO FINAL :

"Ex Oriente Lux", do Oriente vem a Luz. Se acompanharmos o caminho da evolução em todos os sentidos, observaremos forçosamente que, à luz dos fatos históricos, todos os conhecimentos humanos e mesmo a marcha da Civilização se sucedeu do Oriente para o Ocidente. Isso já é fato sabido.
Também é fato sobejamente conhecido que o futuro chegou e que o Continente Brasileiro, a Atlântida perdida pelo rachamento continental mas não totalmente submersa, começará a partir das próximas décadas a manifestar os grandes desígnios kármicos da Humanidade de Aquarius.
Não através da tecnologia que polui e envenena o homem, afastando-o da sua Natureza; muito menos através de guerras vis e assassinas que ceifam criminosamente a vida de jovens e anciãos, mulheres e crianças, todos inocentes. O papel do nosso País, muito mais nobre e sagrado, é o de reconduzir o gênero humano à paz, à saúde e à felicidade tanto física quanto espiritual.
O Templo da Paz está dentro de ti, de nada adianta buscá-lo lá fora. Em teu coração jaz o recanto somente acessível a ti próprio e ao qual ninguém poderá penetrar.
O nome desse Templo é Anahata e ele constitui o teu refúgio indestrutível.
A ele deves recolher tua mente Pela manhã e à noite, a fim de manter o caminho aberto e livre de erva daninha.
Nele deves penetrar em busca de ti próprio duas vezes por dia para cuidar do asseio de teu Templo interior. Imagina que tão logo cerres os olhos, teu coração se torna luminoso como um Sol e nele penetra tua consciência, como se fora o recinto de um Templo material.
Visualiza um aposento acolhedor e suave, banhado numa luz azul-celeste agradável e numa temperatura amena. A Harmonia das Esferas se faz ouvir na forma de melodia tranqüila e celestial.
Coloca ao oriente uma chama votiva na qual hás de incinerar teus momentos de amargura em holocausto de tolerância à chispa Divina que habita em ti. Sê Feliz !


" EU SOU aquele que não tem nome nem forma. Não te importes tanto se vivi há muito ou há pouco tempo, no oriente ou no ocidente: importa que eu viva aqui e agora do teu coração." BHAVAJANANDA .


Compilado e modificado dos livros :

Prontuário de Svasthya Yoga - De Rose. Ed. Eldorado
- Contatos Av.Copacabana, 583/306 Rio dde Janeiro-RJ.

A libertação pelo Yoga - Caio Miranda Ed. NAP/SA
Laya-Yoga - Caio Miranda. Ediouro
A, B, C do Yoga - Caio Miranda. Ediouro
Filosofia Yogui da vida - Chiang Sing. Ediouro
Auto Perfeição com HathaYoga - Hermógenes. Ed. Record


Obrigado pelo seu acesso...

SAÚDE, PAZ E FELICIDADE !

Qualquer comentário ou informação

escreva para mim.

Links Sobre Yoga
Volta ao início
Volta à principal

1