Certezas e Incertezas

  

Nós somos obrigados a seguir em frente.
Sem saber para aonde indefinidamente...
Mas se tudo gira, gira e gira eternamente.
A frente em algum instante já é o reverso!
E o que está acima logo estará por baixo...
Talvez seja a razão das nossas desventuras!
Procuramos retas, planos, linhas paralelas...
Onde só existem curvas por todo o Universo!
Então tudo se resume no infinito, recomeçar.
Repetido ciclo de o eterno vir a ser e ser a vi
r!
Neste nosso infinito de dúvidas a se perguntar,
Eis porque criamos sonho a ilusão e a saudade.
Vivenciar o Amor e a dor nos tornou humanos!
Para mantermos ilusão e certeza da eternidade.
E, sendo humanos sofremos tantos desenganos.


Fossemos ingênuos contemplaríamos, às estrelas.
O sol poente como um até logo da sábia natureza.
E, os sonhos são lenitivos contra verdades cruéis!
Para transformar as dúvidas na ilusão da certeza.
Mas se não fossemos vaidosos e nem pretensiosos.
Saberíamos que somos homens e pobres  mortais!
Não tivéssemos adotado os Sonhos como bússola.
Mantendo sempre a quimera de vir a ser imortais.
Estaríamos no fundo do túnel sem fundo, nem luz.
Fôssemos mais perfeitos que os anjos e diferentes.
Homens da mais impossível improvável existência.
Quem sabe se mais sábios - menos inconsequentes.
A
mais absoluta essência - da Ilusão de Eternidade.
O sonho fantástico capaz de sonhar a alma humana.
O vir a ser na realização de ser Humano de verdade.

 

 

Poema        27

Home Page  2

Home Page  1

Poema         25


E-mail 

        

Gostou deste Poema?
Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu  Amor. 
Através do seu E-mail
ou MSN.  

http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_po26.htm

Edvaldo Feitosa
( Direitos autorais reservados)
* Fundação Biblioteca Nacional - nº 180859 *

1