Poesias Etográficas

 

Procura-se um Analista

 

Certamente nunca esquecerei.
 Mas impossível não se lembrar.
 Parecia ser... De outro planeta,
Momentos difíceis que, passei,
A mulher audaciosa ao sentar,
Ela sentada naquela vip saleta.
Do genial e, cirurgião plástico.
O médico com especialização.
No eu do corpo mais fanático,
A especialidade: lipoaspiração.


Vestia uma saia fina e sensual.
Encantava ao cruzar as pernas.
Consciente e em cada cruzada.
Ela enlouquecia a minha alma.
”E displicentemente cruzando”·
E despudoradamente olhando.
Na face sorriso malicioso tinha.
Ela simplesmente ia mostrando.
O mais lindo da imagem virtual.
Enlouquecendo Fantasia Minha.
Que numa louca ilusão via Real.
Visão a mais mini das calcinhas.

 

Afinal o que tinha isso demais?
Nada que, o olhar observasse.
Realmente, não sobrava nada.
E talvez algum tecido faltasse.
Ela fingia - nem saber a razão.
Do ansioso olhar - todo tesão.
E ela ainda sorria disfarçando.
E ria da louca angústia minha.
Devia imaginar se gosta, olha.
E continuava a cruzar sorrindo.
Lentamente mostrava o centro.
Monte carnudo depilado e Lindo.
Estava bem segura do que fazia.
Parecia mesmo que, me gozava.
Ria cruzando e cruzava e sorria.
Enquanto eu avidamente olhava.

  


Ela... Diabolicamente suspirava.
Aparecia à fita branca, no centro
O real do que não estava dentro.
Simplesmente assim de repente.
Senti um movimento - na cueca.
Percebi que Ela olhava para Mim.
Para verificar se algo estava duro.
Parecia gostar muito - do que viu.
Maliciosamente me olhou e sorriu.
Resolvi quebrar o gelo e o muro...
Com uma frase... Pouco – original!
Você tem medo de quarto escuro?
Respondeu meiga e convincente...
Com uma cruzada de levar ao céu.
Esquece isso vamos falar da Gente.
Acrescentou meiga carinhosamente.
Aqui bem pertinho, tem um... Motel.

 

Imaginei hoje é o meu dia de sorte.
Não posso vacilar... Vou em frente.
E, minha adrenalina já estava a Mil.
E olhando a Deusa de Sul a Norte...
Uma maravilha perfeita, da Criação.
Porém, quando chegamos ao Motel.
Ela me disse, sacana e, bem safada.
Meu amor hoje, não. Estou operada.
E melosamente estendendo a Mão...
Deu uma gargalhada muito Cínica...
Meu Barão hoje, vai pagar a Clínica.
Qualquer dia, a gente se encontra...
Parecendo uma bandida - ou Tonta.
Com um olhar do mais delicioso Mel.
Sorrindo me entregou sinistro papel.
Alta conta médica, da Lipoaspiração.

 

De repente - perdi todo o Tesão...
Ainda obriguei... Ela pagar o Motel.
Fiquei traumatizado e desde então.
Odeio muito ser chamado de Barão!
Nunca mais Entrei naquele Bordel...
 Nem numa Clínica de Lipoaspiração.
Recuso acreditar ser uma Vigarista!
Procuro urgentemente um Analista.

  Poema        35

Home Page  2

 Home Page
  1

Poema        33

E- mail

        

Gostou deste Poema?
Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu  Amor. 
Através do seu E-mail
ou
 MSN.
       
http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_po34.htm

Edvaldo Feitosa
( Direitos autorais reservados)
* Fundação Biblioteca Nacional - nº180859 *



 

 

 

1