Poesias Etográficas

 

 

 

Tese sobre o nosso Amor

 

 

Mas já não tem mistério.
É como Paraíso em Flor...
Da Tese escolhi o Tema...
Loucuras e, grande amor,
Algumas páginas brancas,
E outras páginas, virgens,
Teorias lindas  e, francas,
Mas isto não é problema,
São as coisas do coração.
Primas do inconsequente,
Assim, propositadamente.
Além do nosso preâmbulo.
Deixei espaço para ilusão.
E do nosso Amor somente.
Espera de ti a sinceridade.
Na razão de ser tão crente,
A intensidade e, duração...
Mas afinal, o nosso tempo.
Tempo interrogando ilusão,
Poderia ser o eternamente.

A nossa bela tese infinda,
Ilusão emocional e ainda.
 Como a eterna inacabada.
Já na Introdução querida,
Pesquisa do amor a vida.
Infinita e, poucas linhas.
Sinalizando a esperança.
Mas quimera muito linda.
Esperança mais bonança,
Procurando teus sorrisos.
Ilusão sempre iluminada.
É Tédio acabar, em Nada.
Nossos sonhos reflexivos.

Já na revista da literatura.
Sonhos procuram acreditar.
Apesar do não infelizmente,
Apoiado na força - de amar,
Lindos sonhos esquecidos...
É a Saudade mais pungente,
Nunca cansou de ti procurar.
Tantos anseios, inutilmente.

Porém linda é a proposição,
Ao propor o nosso encontro,
Como algo casual inevitável,
Já em Materiais e, Métodos.
Vivemos esperança estável.
Materiais feitos dos sonhos.
Tenta rota rumo ao paraíso.
E nunca deixar de acreditar.
Ser os Nossos dois Destinos,
Rotas velejando mesmo mar.

Ninguém poderia imaginar.
Os mistérios destas ilusões.
Iluminadas por esperanças.
Reviver as nossas emoções,
Na discussão da tese minha,
Esqueceremos o já Passado.
Acordarei ilusão, que, tinha,
Para vivermos, lado - a lado,
O futuro de um sonho a dois,
O presente amado e querido,
Sonhos esquecendo o depois
Para vivermos só, o vir a ser.
Imaginado como compensar.
Após analisar - compreender.
Tempo mal vivido sem Amar.
O quanto deixamos de Viver.

Não sei conclui e nem posso.
Urge urgência, em encontrar!
Essência corpo alma da Tese.
Somente me resta é sugerir...
Por mais que ilusão me pese,
As possibilidades e encontro.
Temos que, ter fé prosseguir,
Oportunizando essas ilusões.
Para assim tentar - escrever,
 Finalmente o belo. SUMMARY.
Melhor maneira que podia ser
Mas não será nem, em Inglês.
Nem em uma língua qualquer.
Linguagem universal a Paixão.
Mesmo no errado. Português...
Pode-se falar e amar a Mulher.
Enlevada magia inconfundível.
E nestas três palavras mágicas.
Simplesmente eu te amo tanto.
OU O EU TE QUERO TANTO BEM!
Imagino sentada - no meu colo.
Beijando-me consumar o Poema.
Ouvir entre carinhos eu também.

Finalizaremos assim nossa Tese.
Com frases muito mais singelas.
Soprarei levemente nos ouvidos.
Em ternuras debaixo dos lençóis.
Como acontecia - só nas Novelas.
Belos tempos... Das nossas Avós.
Metáforas linda e, querida dama,
Quando ficarmos finalmente Sós.
O efêmero será - a eterna chama.

 

Edvaldo Feitosa
( Direitos  autorais  reservados  sob  o  nº 180859 )
* Fundação Biblioteca Nacional *
 

 Gostou deste Poema?
 Envie para quem Você Ama. 

Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu Amor.  MSN - ou através do seu E-mail.
http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_po36.htm

 



 

             

Poema         37

 Home  Page   2

Home
 Page   1

Poema         35

E-mail

 

1