Poesias Etográficas - Poema 42 [[ Poesias Etográficas ]]

 


Contrastes

 

 

 

 

 

 

 

 

  Poesias Etográficas

 
Quero. Simplesmente.
Ignorar contratempos.
Esquecer desencantos.
Sonhos - mumificados.
Desalentos - e Prantos.
Saudades - tão Inúteis.
Amores... Desfalecidos.
Desejos...  Reprimidos.
Beijos nunca ofertados.
Sussurros nos ouvidos.
 

Vivermos apenas o agora.
Esquecermos dias e anos.
Também o minuto e hora.
Felicidade minha querida!
É impossível não lembrar.
A e nós nos encontramos.
Já passaram, tantos anos.
A saudade não foi embora.
Filme Repetindo a História.
 

 Queria esquecer o passado.
São horas mais lembradas.
Saudade que, renasce Flor!
Escrevendo e, enfim, dizer.
Amor seja como Primavera.
Florir do que parecia morto.
Se Amanhã Amor eu Morrer.
Tu sabes fostes mar e porto.
Da bela vida todo esplendor.
Calvário, mas também horto.
Sonho mesmo quando a dor.
 Crucificou este Grande Amor.


 

Gostou deste Poema?
 Envie para quem Você Ama. 

Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu Amor. Pelo MSN  ou através do seu E-mail.
http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_po42.htm

 

Edvaldo Feitosa
( Direitos  autorais  reservados  sob  o  nº 180859 )
* Fundação Biblioteca Nacional *


 


 

  Poema          43

Home Page     2

Home Page     1

Poema           41

E-mail

 

 


 


1