Bênçãos – As Mães.

  

 

 

 
       Poesias Etográfics                             


Deixa-nos lembrar hoje e, recordar assim.
Para relembrar - os belos dias, de menino.
Nos seus braços, nossos mundos... Enfim.
Liame santo ungia todos... Um só destino.


MÃES... Mulatas, louras, pretas, brancas.
Casadas... Solteiras, viúvas - desquitadas.
Milagre... Uma e ao mesmo tempo tantas!
Elas amam sempre - mesmo desprezadas.

MÃES... Nos adoram não importa o sexo.
E... Até, no momento da mais intensa dor.
Mães amam. Seja o filho branco ou preto.

Queríamos ofertar Mães. Um divino verso.
Porque não é possível descrever o AMOR.
Humildemente nossas bênçãos - no soneto.


Edvaldo Feitosa

 

Edvaldo Feitosa
( Direitos  autorais  reservados  sob  o  nº 180859 )
* Fundação Biblioteca Nacional *

 Gostou deste Soneto?
 Envie para quem Você Ama. 

Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu Amor.  Através do seu E-mail ou MSN.

http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_son16.htm

 

    Soneto        17

   Home Page  2 

Home Page 1

Soneto       15

E-mail

1