Poesias Etográficas

   

 

Loucura

 

Esquecer o pranto, esquecer às magoas... Enfim, os sofrimentos,
seria preciso esquecer os teus sorrisos teu beijo e coisa parecida.
Mas como esquecer - o que eu quero esquecer é o esquecimento.
Teus sorrisos são às únicas canções que acalantam: a minha vida.

 

Até nas minhas lágrimas, sinto o calor do teu beijo - e, da tua boca.
Este foi o abismo em que me atirei conscientemente - com loucura.
Minhas esperanças ainda procuram o teu corpo - numa ânsia louca.
Possuir-te como nos momentos relembrados - e, com igual ternura.

 

Eu só sei que eu não quero te esquecer - eu preciso é de uma ilusão.
Como uma menina precisa acalentar uma boneca - mesmo sem alma.
Fica horas e dias embalando um sonho... Só existente na imaginação.

 

Eu quero mesmo é lembrar e, lembrar com êxtase: em pura devoção.
Se essa tua lembrança é o meu tormento. É também - o que me salva.
Preciso acreditar... Os meus sonhos foram reais! Não sonhei em vão.

 

 

 

 

    Soneto       31

  Home Page  2

  Home  Page 1

 Soneto       29

  E-mail

 
 
 Gostou deste Soneto?
 Envie para quem Você Ama. 

Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu Amor.  Através do seu E-mail ou MSN.
http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_son30.htm

 

Edvaldo Feitosa
( Direitos  autorais  reservados  sob  o  nº 180859 )
* Fundação Biblioteca Nacional *



 

 

1