ROLE A PÁGINA ATÉ O FINAL PARA VER TODOS OS DESTAQUES ROLE ATÉ O FINAL DA PÁGINA PARA VER TODOS OS DESTAQUES

 

AO REMEXER MINHAS LEITURAS E ALGUNS TEXTOS QUE PRODUZI NO PASSADO, ME DEI CONTA DE QUE ALGUNS DESSES TEXTOS. OS QUAIS FORAM IMPORTANTES NA ÉPOCA, AINDA TINHAM VALIDADE E ESTAVAM QUASE DESAPARECIDOS; DAI RESOLVI COLOCA-LOS NA WEB.

ALGUNS TEXTOS SÃO INTERESSANTES, OUTROS ATÉ DIVERTIDOS, PROCURE AQUELE QUE MAIS LHE AGRADAR, LEIA E SE POSSÍVEL DIVULGUE.

 

 

 

PÁGINAS SUGERIDAS

 CAFEÍNA – O QUE É  E ONDE A ENCONTRAMOS

 CONHEÇA A ERVA MATE

MEDITAÇÕES RELIGIOSAS

A PARABOLA DO SEMEADOR - UMA ANALISE ANTIGA QUE VALE A PENA MEDITAR 

 VOCÊ TEM O DIREITO DE SER PERDOADO; PROVOQUE O JUÍZO!  

DEUS PERDOA 

ORAÇÃO DO PAI NOSSO

A data do nascimento de Jesus seguramente não foi em 25 de Dezembro,mas...

TÃO POBREZINHO NO SEU BERCINHO?

JESUS E SEUS DISCíPULOS ERAM PESSOAS POBRES OU NÃO?

Reflexões sobre a Santa Ceia

COMER SANGUE E TRANSFUSÃO

A IGREJA CATÓLICA EM APOCALIPSE 17

ESTUDOS DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA BÍBLICAS.

Cronologia do cativeiro babílônico e período Persa.

Exilo de Israel - período babílônico e persa - Reis profetas e governadores

O chifre especial do Bode do Livro de Daniel.

OS IMPÉRIOS DO ORIENTE MÉDIO - OS SUCESSORES DE ALEXANDRE MAGNO- OS REIS DO NORTE E DO SUL  

A FESTA DAS LUZES (HANUKAH) João 10:22

A BÍBLIA QUE VOCÊ USA É CONFIÁVEL ?

BELSHAZZAR(6º século A.C.)

 o general babilônico que foi rei sem nunca ter sido

 

NOS DIAS DE PELEGUE - e as placas tectônicas 

Profundo estudo sobre Gênesis 10:25 e correlatos

A TERRA, OS CONTINENTES,AS PLACAS TECTÔNICAS E O “DILÚVIO”(estudo resumido) 

DISCUSSÕES ADVENTISTAS

Biblia adulterada adventista

JUÍZO INVESTIGATIVO - você precisa conhecer mais a respeito ?

O LIVRO DE DANIEL E OS IASD.Perguntas que os historicistas não respondem

ELEN G. WHITE E O VEGETARIANISMO

GODHEAD... AFINAL O QUE É ISSO?

A Igreja Católica Romana em Apocalipse 17

O DOMINGO NA CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA

O QUE ACONTECEU COM NOSSOS VOTOS

OUTROS TEXTOS INTERESSANTES

Textos de Maimonides a respeito de dízimos e finanças

 

POLÍTICOS

UM DIA NA VIDA DO BRASILINO (formato *.htm)

UM DIA NA VIDA DO BRASILINO (formato *.doc)

TRATA-SE DE UM TEXTO MUITO INTERESSANTE SOBRE FATOS QUE VOCÊ CONHECE MAS IGNORA  E POR ISSO SE FERRA (HIHIHIHIHI)

O TIRA CERA (O CAPITAL MULTINACIONAL E A GLOBALIZAÇÃO)

TRATA-SE DE UM TEXTO (NÃO MAIS EDITADO) DO CONSAGRADO ESCRITOR MARIO DONATO (autor entre outros dos Romances de PRESENÇA DE ANITA e MADRUGADA SEM DEUS)FALANDO DE VERDADES QUE DEVERIAM FICAR ESCONDIDAS, E NA ÉPOCA MANDARAM MUITA GENTE PARA A CADEIA (CUIDADO NÃO SE ANIME MUITO OS HOMENS AINDA ESTÃO POR AI)

BAGRINHOS E TUBARÕES

PORQUE É QUE O SEU CANDIDATO A DEPUTADO OU VEREADOR PERDEU A ELEIÇÃO SE ELE TEVE MAIS VOTOS DO QUE MUITOS QUE GANHARAM A ELEIÇÃO?

ENTENDA COMO ISSO FUNCIONA NESTE ARTIGO SOBRE OS BAGRINHOS E OS TUBARÕES DA POLÍTICA.

O DOMINGO NAS CONSTITUIÇÕES BRASILEIRAS

 

A CAMARA MUNICIPAL DE FERRAZ DE VASCONCELOS E O PROF. ELOY ARRAES VARGAS

 

      As figuras utilizadas são de personagens da série de livros ilustrados ASTERIX O GAULES,  Livros esses que eu recomendo fortemente a todos que ainda tem prazer em apreciar o humor da história universal

 

 

 

 

DIRETO AO PONTO

 

ELOY ARRAES VARGAS

eloy.arraes@itelefonica.com.br 

veja no final da página links para temas anteriores

 

 

 

1

DIRETO AO PONTO

EXPIAR OU PURIFICAR

LEVÍTICO 16:6 - DANIEL 8:14

DEUTERONÔMIO 25:1

 

Durante os últimos 150 anos tem havido uma discussão muito forte com relação aos 2 primeiros versículos que encabeçam  este comentário.

No primeiro momento, pseudo teólogos, que pretendiam impingir a doutrina de uma "purificação" a ser realizada no "Santuário Celestial" após 1844,  procuraram confundir os termos expiação e purificação.

Essas palavras surgem em Levítico 16:6 e em Daniel 8:14.

Como a leitura do texto em português mostrava que  esses dois textos tinham significados bem diferentes , os teólogos de plantão passaram a dizer que em hebraico estava escrita a mesma palavra nos dois textos e por isso expiar e purificar nas Bíblias em português significavam a mesma coisa. Eu ouvi essa afirmação durante anos.

Quem é que iria conferir? O pastor tinha dito, e palavra de pastor não se discute, aceita-se.

O Advento da internet facilitou a possibilidade de se verificar, em textos hebraicos, se essa afirmação era verdadeira e o que se  descobriu foi que além dos conceitos emitidos pelos textos serem completamente diferentes as palavras usadas também são diferentes e ficou claro que tais teólogos nada conheciam de hebraico ou usavam simplesmente de má fé.

Fiquei surpreso ultimamente quando um dos divulgadores da IASD não tendo como escapar da diferença entre as duas palavras procurou se apoiar numa bengala de bambu, trazendo para a discussão o texto de deuteronômio 25:1 afirmando que tal texto reforçava a tese de que purificação em Daniel 8:14 é o mesmo que expiação em levítico 16:6.

Abaixo segue um comparativo dos textos em hebraico para a avaliação dos leitores.

Nem é necessário conhecer hebraico para ver que são duas palavras totalmente diferentes, mesmo sem nos preocuparmos com o aspecto conceitual dado pelo contexto já percebemos a diferença.
 
Como é fácil observar, a expiação de Levítico nada tem a ver com a purificação em Daniel.
 
Mas agindo de boa fé, bastaria ler as Bíblias em português, senão vejamos:
Na Revista e Atualizada:- Em levítico temos Expiar e em Daniel temos purificar.
Na Edição Contemporanea:- temos:- em Levítico Expiação e em Daniel temos Purificado.
Na NVI :- Em levítico temos propiciação e em Daniel temos reconsagrado.
Na Jerusalem temos:- Em levítico Expiação e em Daniel "será feita Justiça".

Na Bíblia hebraica: traduzida diretamente do hebraico para o português temos em Levítico Expiar e em Daniel 8:14 temos "só então vencerá o que é sagrado" - ( para quem não conhece essa Bíblia , ela está a venda em www.sefer.com.br )

Como vemos não é necessário conhecer o hebraico para saber a verdade!

O conceito de expiação é de que alguém paga, até com a própria vida , uma pena que deveria recair sobre o outro.

O conceito de purificar é muito simples e se refere a limpar alguma coisa que está suja ou foi profanada.

No Hebraico o conceito de tsadaka  se refere a executar uma boa ação ou uma ação meritória e justa, enquanto o conceito de Kaphar é muito claro e se refere a que alguém assume a pena imposta a outro.

Tive a oportunidade de conhecer um "interprete bíblico" que vendo-se acuado nessa situação de inverdade,  veio me apresentar Deuteronômio 25:1 como sendo uma constatação de que  Tsadaka numa situação de Juízo transforma-se em expiar.

Basta ler o texto em português para ver que Deuteronômio 25:1  está tratando de uma questão de direito, induzindo até uma questão de direito civil, em deuteronômio 25:1 ninguém ira pagar por ninguém e ninguém iria morrer no lugar de outro.

Ai está se for o caso voltaremos a estudar a questão.

Eloy Arraes Vargas

 

DIRETO AO PONTO

IDIOMAS NA BÍBLIA - Novo testamento

complementação do tema

IDIOMAS NA BÍBLIA -Velho testamento

IDIOMAS NO NOVO TESTAMENTO

 

Afinal, o novo testamento foi ou não escrito em hebraico?

Se nos prendermos ao texto do novo testamento ficara claro que o mesmo não foi escrito em hebraico.

Como primeira razão vale a pena lembrar que os textos do novo testamento foram escritos principalmente para não judeus, e o hebraico já era uma língua morta nos tempos de Jesus e depois da destruição do estado Judeu esse idioma ficou mais esquecido ainda.

O evangelho de Marcos teria sido escrito pelo jovem João Marcos, o qual acompanhara o Apostolo Pedro; Marcos era filho de pai grego, uma razão a mais para não conhecer profundamente o hebraico.

O evangelho de Lucas também é escrito por um não Judeu, e é dedicado a alguém chamado Teófilo, evidentemente grego.

O evangelho de João preocupa-se  em traduzir para o hebraico varias palavras e nomes por exemplo:-

João 5:2

João 19:13

João 19:17

Apocalipse 9:11

Apocalipse 16:16

Pergunto:- Porque João se preocuparia em traduzir para o hebraico se ele já estava escrevendo em hebraico?

Um fato que merece nota está em Atos 2:- Lá há uma grande relação de idiomas, e tinha razão para ser assim, as pessoas que visitavam Jerusalém na festa do Pentecostes eram judeus vindos de todos os lugares onde havia Judeus da diáspora, se todos falassem o hebraico, como pretendem alguns, bastaria que se falasse hebraico e todos entenderiam, mas o fato é que o hebraico nem mesmo é citado no referido texto.

A partir dai todo o livro dos atos dos apóstolos está preocupado em trazer informações que seriam úteis aos gentios, o texto é muito claro em que não é dirigido aos Judeus, mas aos Gentios e particularmente a um grego chamado Teófilo.

As cartas de São Paulo, com uma única exceção são escritas a Igrejas da "Grécia" (região de influência grega e a cidades gregas).

Para as cartas de João valem as mesmas observações.

No caso do apostolo Pedro, é sabido que quem escrevia para ele era João Marcos.

Restam as exceções aos itens acima:-

A Carta aos Hebreus, cujo autor até hoje não está bem definido e que se fosse escrita ao povo "Hebreu" não seria escrita em hebraico pois essa língua só era conhecida por escribas rabinos e estudiosos; se fosse escrita para o povo seria em aramaico.

As cartas de Tiago e Judas, cidadãos Judeus, seriam escritas em aramaico ou se fossem universais como pretendem muitos, seria escrita em grego e nunca em hebraico ou mesmo aramaico.

A carta aos Romanos, pelo próprio nome não seria escrita em hebraico, até porque o preconceito contra os judeus sempre foi muito forte em Roma.

Bem, ai estão algumas posições retiradas do texto bíblico e dos fatos históricos, evidentemente estou pronto a reformular minhas posições se me demonstrarem que estou errado, e agradeço qualquer colaboração.

 

 

IDIOMAS NA BÍBLIA - Novo testamento

complementação do tema

IDIOMAS NA BÍBLIA -Velho testamento

 

Quando falamos de idiomas na bíblia - velho testamento chegamos até o período do cativeiro babilônico e demos umas pinceladas no período Persa e Grego (macedônico).

É interessante notar que já no livro sobre o vidente  Daniel aparecem textos escritos em aramaico.

O aramaico firma-se fortemente como o idioma falado pelos habitantes das terras entre o Rio Jordão e o Mar Mediterrâneo, fossem esses habitantes Judeus ou não.

Quando chegamos a época do Messias Jesus os romanos é que dominavam a região, o povo falava aramaico, a maioria do povo mais culto falava também o grego, convém não esquecer que os gregos dominaram a região por mais de 250 anos.

Vamos procurar no texto bíblico as referência que consubstanciam essa afirmação:-

Atos 21:27 a 40.

Nesse texto vemos que Paulo estava junto ao povo conversando, logo ele estava falando em uma língua que o povo entendia; instalada a confusão provocada por alguns adversários Paulo é preso e fala com o militar que o prendeu em GREGO, (note-se que o militar era romano) em seguida Paulo novamente se dirige ao povo, faz um sinal ao povo e obtém  relativo silêncio, e em seguida passa a falar em hebraico (RA), e quando fala em hebraico se fez maior silêncio ainda.

O que temos então nesse episódio com relação a idiomas:-

1- Paulo falava ao povo num idioma que o povo conhecia, Aramaico.

2- Paulo fala ao militar em GREGO.

3- Paulo volta a falar, agora em forma de discurso ao povo e em hebraico (RA)

4- O militar era Romano, e isso implica que ele conhecia o Latim.

Quando Paulo usa o hebraico se faz um silêncio reverencial, pois agora ele estava falando a multidão num idioma sagrado para o povo.

O que se nota nesse episódio com relação a idiomas é que o hebraico era um idioma reverencial.

Algumas versões bíblicas referem que Paulo estaria discursando em aramaico, o que deixaria o texto inconsistente pois antes disso ele já estivera falando ao povo e o seu falar não causara nenhuma reverência.

Mais tarde, em razão das sucessivas revoltas Judaicas, os romanos destroem totalmente o templo levam todos os judeus para serem vendidos como escravos e proíbem a entrada de judeus na região; os judeus da diáspora desenvolveram outros idiomas e mantiveram o hebraico como idioma religioso com uso somente para os textos sagrados.

Exemplificando, os Judeus da Europa central e da Rússia desenvolveram o Idiche muito assemelhado ao alemão e que é falado ainda hoje por muitas comunidades judaicas mesmo em Israel.

Os judeus da Espanha e quase todos os Sefaradi desenvolveram O Judio Espanhol (Ladino) que como o próprio nome já indica é um idioma com forte influência do espanhol; também há até hoje comunidades que falam esse idioma.

O hebraico como idioma falado pelo povo desapareceu e só é ressuscitado no final do  século XIX e início do século XX pelo movimento Sionista como idioma que facilitaria a criação do Estado de Israel.

A pergunta que fica com relação ao novo testamento é:- Há como demonstrar que o idioma usado para escrever o  novo testamento não foi o hebraico usando somente a bíblia?

E o que farei no próximo comentário.

 

continua em Idiomas no Novo testamento

 

IDIOMAS NA BÍBLIA - Velho Testamento

Sempre houve, em assuntos religiosos, os malucos de plantão a inventar novidades para iludir os incautos; há também os não tão malucos a inventar doutrinas e rituais para poder dominar os de pouco conhecimento e de mentes preguiçosas.

Ultimamente virou moda fingir-se de judeu, usando um kipa e até um talit e sair por ai dizendo-se judeu.

Há até uma seita religiosa que diz que se propõe a converter Judeus ao cristianismo, e que na realidade está a procura de cristãos mais frágeis para compor o seu quadro e também brincar de ser judeu.

Tais grupos tem inventado coisas incríveis, há até os que dizem que o novo testamento foi escrito em hebraico, e para isso já providenciaram até uma versão do N.T. em hebraico, para poder dizer, daqui a alguns anos, que tal versão tem já dois séculos de existência.

Pobres infelizes, não percebem sequer que entre o hebraico moderno e o antigo há um abismo de diferenças e que qualquer historiador ao ler verá que tal mistificação é coisa do século XX

Há até aqueles que afirmam que o Eterno falava com Adão em hebraico, como se o Onipotente tivesse a necessidade de um idioma para se fazer entender as suas criaturas.

Vamos pesquisar um pouquinho da bíblia para ver se ela nos traz alguma luz a respeito do assunto:-

É fato inconteste que a história do povo hebreu se inicia com Abraão, mas de onde vinha esse Abraão?

A bíblia nos esclarece, de forma insofismável, que Abraão era originário da cidade de UR na caldeia; era de uma família abastada e muito religiosa que conhecia o Único Deus verdadeiro.

Evidentemente Abraão e sua tribo falavam o idioma caldeu ou uma variante desse idioma.

Quando Abraão se instala entre o Rio Jordão e o mar Mediterrâneo, ele dá origem a um  pequeno povo que passa a ser conhecido como os Hebreus ou segundo alguns estudiosos os Habirú; se nos lembrarmos que a escrita da época não tinha vogais ficará bem fácil ver que Abraão. hebreus e habiru vem da mesma raiz, qual seja o nome de Abraão.

Na realidade o que existia era a tribo de Abraão, a qual falava num idioma que passou a ser chamado de hebreu; antes de Abraão não existia hebreu, nem povo nem idioma.

Anos mais tarde essa tribo cresce e dá origem a tribo de Jacó, também conhecido como Israel, e o povo passa a ser conhecido também como israelita - povo de Israel - mas o Idioma continua a ser o hebreu. 

Nessas condições, Israel e sua tribo descem para o Egito e lá tornam-se  escravos; o entendimento mais comum é que entre Abraão e a saída dos israelitas com Moises há um período de 400 anos.

A arte da leitura e da escrita sempre foi muito limitada, até o inicio da era cristã poucos eram os que praticavam essa arte, e essas pessoas eram muito bem conceituadas e entre o povo Judeu eram conhecidos como escribas.

Evidentemente, um idioma  que só era falado,  e,  na sua forma escrita não fixava as vogais transformou-se fortemente durante a estadia no Egito.

O povo israelita sai do Egito e se instala na terra de "Canaan"  vive como tribos e guerreiam entre si mais do que 400 anos até a construção do Templo por Salomão, templo esse que iria dar um sentido maior de coesão ao povo.

Passados poucos anos o povo israelita se separa e se formam  dois estados, um Israelita e outro Judeu; o povo israelita é dominado e destruído pelos assírios, a tal ponto que toda a população foi removida  e para preencher aquele espaço o rei Senaqueribe, da Assíria trouxe povos de outras regiões.

Anos depois o povo Judeu também é levado cativo por Nabucodonozor, rei da Babilônia, o templo é destruído e o povo perde sua identidade.

Da leitura bíblica fica claro que uma pequena parte do povo de Israel e principalmente Judeu continuou a respeitar a sua religião, e isso foi o elo que os uniu durante o tempo de cativeiro e da diaspora.

O idioma Hebreu deixou de ser usado e tornou-se uma língua morta a qual só era eventualmente usada durante o serviço religioso das sinagogas assim como o latim nos dias de hoje.

Terminado o cativeiro babilônico, 70 anos, parte dos cativos voltam para suas terras e empenham-se em reconstruir o Templo e reconstruir a cidade de Jerusalém.

Nesse tempo a região era habitada por uma mistura de povos - os livros de Esdras e Neemias relatam bem esses fatos.

Muito embora os judeus tivessem alguma autonomia, eles continuaram sob o domínio dos Persas e posteriormente dos Macedônios (também chamados Gregos), essa história do período grego está bem mostrada nos livros dos macabeus.

Alguns anos depois do domínio da cultura grega chegam os romanos no final do reinado de Augusto Cezar temos o início da era Cristã.

Pensemos um pouco juntos:-

Domínio Babilônico  -597 a -527 = 70 anos.

Domínio Persa          -527 a - 336 aproximadamente 190 anos.

Domínio Grego         - 336 a -64 aproximadamente  272 anos.

mais detalhes em:-

http://br.oocities.com/eharosh/exilio.doc

É possível questionar que  em alguns desses períodos houve uma maior autonomia, mas autonomia não é independência.

Nos 70 anos de domínio babilônico a influência foi tão grande que mudou-se até a contagem do tempo e o mês de Nissan que era o primeiro mês passa a ser o sétimo mês, e note-se que esse é um mês da maior relevância na contagem do ano Judaico.

Imagine-se agora a influência de 190 anos persas e 270 anos gregos.

Outro fato relevante é a Septuaginta, que é uma tradução dos livros judaicos do hebraico para o grego, feita no III século antes de Cristo, tal versão se fez necessária pois os Judeus da diáspora não falavam mais o hebraico nem o entendiam e essa tradução para o grego visava atender as necessidades dessas comunidades.

Continua em idiomas no novo testamento.

 

 

 

SELEUCIDAS E PTOLOMEUS

OS GREGOS ESQUECIDOS.

 

Talvez me falte inteligência, talvez todos os livros e enciclopédias que eu tive as mãos ou estudei estejam erradas, pois não consigo entender  o fato de que esses livros me falam muito sobre os Seleucidas, os Antíocos e os Ptolomeus, porém quando vou procurar estudos bíblicos, como por encanto esses imensos reinos (verdadeiramente impérios) desaparecem.

Quando procuro estudar com foco no período - inter testamentário -  tudo vira fumaça, já houve até um pregador que pretendia me convencer que não existira um período histórico entre os testamentos e que em seguida ao livro de Malaquias nascera Jesus - o Messias - e que por isso a contagem do tempo estava totalmente errada.

Maluquices aparte, o fato é que, no mundo protestante e evangélico, procura-se ocultar aos fiéis todo esse período, e ninguém se propõe a explicar  os nomes das cidades citadas por Paulo em suas viagens missionárias e outras como Ptolemaida, Seleucia, e pelo menos duas Antioquias as quais são citadas no novo testamento, há outras mais mas não vamos nos alongar.

O "Império" Selêucida e o "Império" dos Ptolomeus durou séculos e nesse tempo dominaram partes da região ao ocidente do Rio Jordão, onde está Jerusalém.

No link http://br.oocities.com/vozdovelho/estudos/imperios/imporiente.htm há um estudo razoável sobre esse assunto e nos mostra quando foi que Seleuco e Ptolomeu dominaram a Síria e o Egito e até quando durou esse império.

O império do Egito se manteve razoavelmente estável, porem o de Seleuco começou pequeno, depois cresceu e ficou quase igual ao que fora o império de Alexandre e finalmente encolheu, quando os romanos chegaram depois de conquistar o Egito, o império Seleucida se resumia a Síria, Palestina e pouca coisa mais.

Dois mapas do império dos Seleucidas kingdoms seleucidas.jpg (97007 bytes)  mapseleucidas 90ac.jpg (94425 bytes) clique nos mapas para aumentar; o segundo mapa  é de 90 ac e mostra como o império já havia encolhido.

Quando os Romanos chegaram em 64 ac o império seleucida era menos ainda., esse império dominou as terras da palestina  por quase 200 anos, com maior ou  menor poder, não há como ignora-lo - nunca devemos esquecer que o império seleucida era um império grego, e assim sendo os gregos dominaram a palestina até 64 ac quando foram derrotados definitivamente pelos romanos.

Esse tema tem muita história, vale a pena pesquisar - faça isso.

eloy.arraes@itelefonica.com.br 

 

PROFETAS, VIDENTES E ADIVINHOS

Muitos termos mudam de significado conforme passa o tempo.

Palavras que no passado  eram termos pejorativos e até obscenos passaram a ser aceitáveis, palavras há que passaram a ter significados opostos aos que tinham  quando usadas num passado nem sempre muito remoto.

Quando lemos a Bíblia devemos levar em conta esses fatos, pois muitas traduções foram feitas a dezenas de anos passados e continuam sem revisões sérias, seja por desinteresse ou mesmo por má fé...(tradutore, traditore).

As três palavras que dão título ao comentário de hoje aparecem na Bíblia, e a própria Bíblia nos alerta a respeito da evolução das mesmas. Em  I Samuel 9:9 existe o alerta de que no tempo dos Reis e  dos profetas as palavras profeta e vidente tinham significados diferentes.

Em Miqueias 3, temos o trio, profetas, videntes e adivinhadores.

Para o idioma português normalmente não há confusão com essas três palavras.

Profeta é aquele que leva a palavra de Deus ao povo.(Amos 3:7 e outros), o profeta é completo,  ele pode ter visões e até adivinhar.

O vidente (não profeta) é uma categoria inferior,  ele tem visões ou sonhos, mas normalmente não são mensagens ao povo, são sim mensagens aos reis e mandatários.

Os adivinhos são a categoria inferior nesse assunto, frequentemente a Bíblia tem palavras de repreensão  aos videntes e principalmente aos adivinhos.

A confusão entre os conceitos de profeta, vidente e adivinho cristalizam-se depois do cativeiro na Babilônia.

Nos tempos de Jesus um soldado bate na cabeça de Jesus e determina - profetiza, quem foi que te bateu, nesse caso era claro que o soldado não queria uma profecia mas sim uma adivinhação 

É sempre bom distinguir um profeta de um vidente e principalmente de um adivinho,

Um exercício interessante é procurar na Bíblia pessoas que não eram do povo de Deus e que foram videntes, e alguns deles usados por Deus.

21/07/2006

links para comentários anteriores:-

IDIOMAS NA BÍBLIA -COMPLEMENTAÇÃO

IDIOMAS NA BÍBLIA - NOVO TESTAMENTO

IDIOMAS NA BÍBLIA - VELHO TESTAMENTO

DO FUNDAMENTALISMO AO TERRORISMO

QUEM CONHECE VAGNER JONES

DE VOLTA AS PANELAS DO EGITO

MEU DEUS NÃO FAZ USO DO ENGANO.

VER DEUS OU TER VISÕES DE DEUS.

EU TENHO UM GRANDE AMIGO E PROTETOR.

FERIDA MORTAL.

O VEGETARIANO QUE NÃO ERA.

SELEUCIDAS E PTOLOMEUS - OS GREGOS ESQUECIDOS.

CANON JUDAICO; CANON CATÓLICO; CANON PROTESTANTE.

DANIEL NOVAMENTE!

PROFETAS VIDENTES E ADIVINHOS.

DA ESPERANÇA PARA A VERGONHA.

TEXTOS COMPLICADOS ?

OS PROFETAS DE CHUTEIRAS.

PROFETAS DE HOLLYWOOD.

PROFETAS E VIDENTES.

AS COMUNICAÇÕES DE DEUS.

 

1

 

1