Melhor visualizado em Internet Explorer 4.x em 800 por 600 ou superior

 

 

 

 

 


A Arte da Transformação

 

Construção de Próteses

 

Próteses de Espuma de Látex

O que é Espuma de Látex? Trata-se de um material feito a partir de uma base de látex líquido misturada com outras substâncias. Depois misturados numa batedeira, esta mistura torna-se espumosa e é colocada dentro de um molde adequado. Em seguida, esta mistura é posta para assar num forno e depois de algumas horas, teremos uma espuma de borracha, que tem a consistência aproximada de uma espuma de poliuretano (a usada em colchões e sofás).

A grande estréia do uso da espuma de látex nos filmes foi no clássico da MGM, O Mágico de Oz de 1939, quando Jack Dawn, chefe do departamento de maquiagem, usou apliques de espuma de látex para personagens inesquecíveis como o leão covarde, o homem de lata e o espantalho, assim como muitos outros personagens do filme. Desde então, a espuma de látex tem sido o padrão de escolha de efeitos de maquiagem tridimensionais, posição ameaçada recentemente apenas pelo crescente uso das próteses de silicone.

Assim como muitos procedimentos de laboratório foram desenvolvidos estritamente para uso na área da maquiagem, os parâmetros químicos e de mistura da espuma de látex têm sido extendidos de aparatos científicos caros para equipamentos baratos e de fácil obtenção. No início achava-se que eram necessários batedeiras especiais, bacias, e fornos de laboratório, mas muitos laboratórios hoje em dia usam batedeiras comuns de cozinha (como a Sunbeam Mixmaster vendida nos EUA e Europa), assim como fornos comuns de cozinha. Somente quando cabeças e corpos inteiros precisam ser feitos é que são necessários fornos e batedeiras maiores. Contudo, ainda algumas condições não variam muito e a temperatura e umidade do local influenciam os procedimentos. A temperatura ideal é de 20 a 23 graus Celsius e cerca de 50% de umidade. Não é difícil manter tais condições com um sistema de ar condicionado ou se necessário um sistema de aquecimento. Temperaturas maiores causarão uma gelificação e uma secagem mais rápida, enquanto que temperaturas mais baixas extenderão o tempo. Procedimentos com espuma de látex são impraticáveis abaixo de 16 graus Celsius.

Todas as medidas são feitas com os ingredientes antes de ser formada a espuma e uma mistura básica pode fazer bem algumas peças pequenas. Como é impraticável misturar pequenas quantidades, a maioria dos artistas preenchem os moldes que eles trabalhando e com o restante do material eles preenchem moldes extras para fazer peças extras.

 

Tipos e Marcas

Até o presente momento, os tipos mais comuns de sistemas de confecção de próteses de espuma de látex no exterior têm sido de dois tipos: a) Espuma de Látex Tri-Componente (três partes) e b) Espuma de Látex Tetra-Componente (quatro partes).

a) Espuma de Látex Tri-Componente (três partes) - nos EUA e Europa este sistema antigo já não é mais usado. Consistia em misturar três componentes (A, B e C), sendo A uma base de látex, B um agente de cura e C um agente gelificante. Primeiro, misturava quantidades determinadas dos ingredientes A e B (pesadas através de uma balança) e depois eram batidos numa batedeira elétrica em velocidades e tempos determinados até a mistura crescer de 3 a 6 vezes o volume original. Depois era acrescentado o ingrediente C, ainda na batedeira. Tudo era então colocado dentro dos moldes e deixado em repouso até gelatinizar, ou seja, ficar levemente endurecido. Em seguida os moldes com a espuma de látex eram colocados dentro de um forno e assados por 4 a 5 horas a uma temperatura de 93 graus Celsius. Depois de terminado o tempo de assamento, os moldes são retirados do forno usando luvas de soldador e em seguida são separados. Os moldes pequenos são separados e a peça é deixada em contato com o ar, enquanto que em moldes maiores os apliques são deixados no lado positivo do molde depois de ser separado e recolocados no forno por mais 1/2 hora para que as superfícies maiores possam secar.

 

b) Espuma de Látex Tetra-Componente (quatro partes) - este sistema consiste em se misturar quatro componentes: base de espuma de látex (foam latex base em inglês), agente de espumação (foaming agent em inglês), agente de cura (curing agent em inglês) e agente gelificante (gelling agent em inglês). A base de espuma de látex é pré-vulcanizada que tem pequena quantidade de amônia. A base de espuma de látex usada nos kits de 4 partes é cremosa o que significa que alginato foi adicionado para engrossar o látex. O agente de espumação é uma combinação de sabões líquidos. Algumas marcas possuem também outros aditivos tais como óleos e plastificantes que ajudam a produzir uma estrutura de bolhas finas. O agente gelificante como o próprio nome sugere, é acrescentado à mistura (no fim do processo de mistura) para unir todos os ingredientes e evitar que a estrutura delicada da espuma se desfaça. A maioria dos kits de espuma de látex usam o fluorosilicato de sódio como agente gelificante. Ele neutraliza a amônia da base de látex que está em estado líquido. À medida que bate a espuma, libera amônia. Você adiciona o agente gelificante para neutralizar a amônia que ainda sobrou no látex. Uma vez que a amônia é eliminada a espuma gelifica, tornando-a sólida. A amônia é um ácido, o ácido mantém a espuma líquida. O agente gelificante é uma base. Ácido neutraliza base. O agente de cura contém enxofre e outros aceleradores de cura rápida, além de anti-oxidantes que ajudam a aumentar o tempo de vida das peças de espuma. O Agente de cura acelera a gelificação vulcaniza a borracha, o que a ela sua memória.

Tal como ocorre com o sistema tri-componente, estes ingredientes precisam ser pesados numa balança em quantidades determinadas e misturados numa batedeira elétrica em velocidades e tempos determinados.

O tempo que a mistura é batida numa batedeira elétrica sob uma determinada velocidade é chamada de Fase. Geralmente, estes sistemas de espuma de látex precisam passar seguintes: 1) mistura, 2) batimento, 3) refinamento e 4) ultra-refinamento. Este tempos dependem de vários fatores a saber: da marca da espuma, da batedeira usada (potência e número de velocidades), da temperatura do local e da umidade do local. Por isso é que trabalhar com espuma de látex é muito melindroso.

A cor intrínsica da espuma de látex é feita através de corantes adicionados no início do processo, depois de pesar sua base de látex e componentes. Estes pigmentos à base de água que não alteram a composição da espuma. Em média, 4 a 6 gotas são suficientes para tingir 150 gramas de espuma.

 

As marcas mais comuns no exterior de sistemas de espuma de látex tetra-componentes são: Espuma de Látex GM, Espuma de Látex Burman e Espuma de Látex Monster Makers. Geralmente, as marcas de espuma de látex levam o nome da pessoa ou empresa que as criaram e seus componentes são segredo industrial.

A Espuma de Látex GM foi criada em 1987 por Gil Mosko e a Espuma de Látex Burman foi criada pelos artistas Barney e Rob Burman. Estes dois sistemas são os mais usados na indústria do cinema atualmente. Recentemente, o artista Tom McLaughlin vendeu sua fórmula de espuma de látex para a empresa Monster Makers, passando a se chamar Espuma de Látex Monster Makers.

Espuma de Látex GM
Espuma de Látex Burman
Espuma de Látex Monster Makers

 

IR PARA A PÁGINA 2

 

Voltar para a página principal |Voltar para Maquiagem

O autor desta página não tem interesse de lesar os direitos de qualquer empresa ou indivíduo. Os comentários e imagens aqui utilizados são apenas de interesse comum e não tem fins comerciais.
MSFX mail

1