Bioecologia
Bioecologia de Artemia sp


Biologia

Artemia:
O corpo está dividido em cabeça, tórax e abdome. A cabeça consiste de dois segmentos fusionados que suportam dois olhos pedunculados, um olho naúpilo, assim como as antênulas e antenas. As antênulas filiformes estão localizadas na parte dorsal. As antenas dos machos são transformadas em órgãos de preenssão. Nas fêmeas elas são curtas e foliáceas.

Cistos:
Diâmetro médio de 0,2 a 0,3 mm com peso entre 2,8 a 4 mg.

Jovem Naúpilo:
Tamanho de 0,45 mm de comprimento e 0,1mm de largura com peso de 0,01 mg. Passa de metanaúpilo fase I e II graças as reservas vitelinas. Durante os próximos 7 a 10 dias passa para os estágios metanaúpilo III e IV, que diferem um do outro no grau de segmentação do corpo, na transformação da 2ª antena e na aparência das pernas torácicas. Durante esse período o corpo aumenta de 0,5 para 2,5 a 4 mm.

Jovem:
Com 5 a 6 mm até adulto 15 a 16 mm. Estão quase sempre acasalando. Crescimento - 15 estágios do ovo até a maturidade sexual que é atingida em duas etapas. Podem produzir 200 náuplios a cada cinco dias. Período de vida 21 dias.(Costa,1984)

Ovos:
Os ovos são divididos em ovários pares, que se situam nos dois lados do trato digestivo, atrás dos toracópodos. Uma vez maduros os ovócitos são transferidos via ovidutos para dentro do útero. Neste momento se efetua a copulação. O macho flexiona seu abdome para frente e uma da patas que possui é introduzida na abertura do útero onde os esperma são depositados. O que irá determinar se a fêmea será ovípara ou ovovivípara serão os fatores ambientais, um exemplo destes fatores é a alta salinidade.


Fatores ambientais

Salinidade:
Entre 3 e 300 partes por mil.

Oxigênio :
No mínimo de 1 a 2 mg/l. Ótimo entorno de 4mg/l. Pode sobreviver a baixos teores de oxigênio
( 1 mg/litro ) aonde apresenta uma cor avermelhada ( aumento de hemolinfa ).

Temperatura :
Suporta de 5ºC a 40ºC (ótimo de 25ºC a 28ºC).

Luz :
Sensíveis a luz devido aos seus olhos compostos.

pH :
O mesmo da lagoa aproximadamente 8,0.

Crescimento:

O crescimento da Artemia envolve uma série de mudas, passando por estágios do ovo até a maturidade sexual que é atingida em duas semanas e podem produzir cerca de 200 náuplios a cada cinco dias. O ciclo de vida da Artemia, se fecha em 21 dias (Costa.1984).

Reprodução:

A Artemia sp reproduz-se por partenogênese ou sexualmente. A précopulação da Artemia é iniciada por um macho comprimindo a membrana do útero e o último par de toracópodos com seu garfo muscular. O casal nada assim por um longo período de tempo, batendo seus toracópodos em movimento sincronizado. Os ovos são divididos em ovários pares, que se situam nos dois lados do trato digestivo, atrás dos toracópodos. Uma vez maduros os ovócitos são transferidos via ovidutos para dentro do útero.

Obtenção de cistos:

O encontrado na literatura para provocar a oviparidade (fazer com que a fêmea solte seus cistos) é a provocação do stress ambiental. Obtenção direta de náuplios. A ovoviparidade obten-se na criação direta com salinidade de 30 a 80 partes por mil .
Cultura de algas para alimentação de Artemia sp
Iniciar a cultura com 100 ml de água da lagoa com o algamete de salinas e repicar Até 250 l (Baeta Neves, 1998 comunic. Pessoal).

Alimentação

A Artemia salina obtém seu alimento pela filtração da água, podendo ingerir
alimento com um tamanho de 5 a 50 micron.

Sugestões:

Cyanofícea: Aphanothece stagnina, Spirulina subsalsa
Haptophyceae:Isochrysis galbana
Chrysophyceae: Monochysis lutheri
Bacilariophyceae: Phaedodactilum thcornutum, Thalassiosita pseudonana
Prasinophyceae:Platymonas suecica
Chlorophyceae: Chlamydomonas palla, Chlotella stigmatophora,
Punaliela tertiolecta, Nannochloris oculata
.

Cultivo de Artemia sp em ambiente natural:

Usar tanques com a lamina d’água entre 45 a 50 cm. Usar a água da laguna bombeada. Inocular náupilos de Artêmia numa quantidade de 600 náuplios por litro com a salinidade entre 80 a 100 partes por mil, flutuação da salinidade entre 100 a 250 partes por mil. Temperatura entre 25 a 35 ºC.

Conclusão:

Este microcrustaceo é amplamente utilizado na aqüicultura, para alimentar as diversas fases larvais e pós- larvais de peixes e crustáceos. Os náuplios de Artêmia tem um alto valor nutritivo, larvas com poucas horas de vida possuem: 42 % de proteinas, 23,2 % de gordura e 6 calorias por grama, enquanto o juvenil com 6 dias tem 59,72 % de proteina, 7,0 % de gordura. Os indivíduos adultos com 10 dias tem 62,78% de proteinas e 6,5 % de gordura. O corpo de Artemia sp desde a fase de náuplio até adulto, não possui carapaça rígida de quitina, facilitando a alimentação dos peixes e camarões nas fases larvas e pós-larvas já que o aproveitamento é total


Referências bibliográficas ( em pesquisa)

MEDEL, A. V., 1997. Producion de alimento vivo para larvas de peces marinos
- Cultivo de Artemia. Chile. 11p.
MEDEL, A. V. & A . TOLEDO, P., 1997. Laboratório Cultivo de Artemia. Chile. 7p.
Acuicultura Marina Animal . 2º. Edición Ediciones Mundi-Prensa, Madrid.670p.
HOFF, FRANK, AND T. SENELL 1987. Plankton Culture Manual .Third edition. Published by
Florida Aqua Farmes Inc.
Manual for the culture and use of brine shrimp Artemia in Aquaculture. The Belgiam Administration for Development Cooperartion. The Food and Agriculture
Organization of the United Nations. Argent Laboratories. 319p.
COOL, M.J. 1986. COSTA, P. F., 1984. Artemia salina . Brasil.11p.
COSTA, P. F.,1985. Biologia e Cultura de Artemia salina. Brasil. 20p.
SORGELOOS,P.,P. LAVENS, P.LÉGER, W. TACKAERT, D. VERSICHELE 1986.


Inicio
Bioecologia
Esquemas
Contato