Capítulo "Alexandre Carlos Pierre" nº 308 da Ordem DeMolay


[ J. DeMOLAY ]   [ OS TEMPLÁRIOS ]   [ INQUISIÇÃO ]  [ REI FELIPE ]  [ A. C. Pierre ]

As Cruzadas


 

Em geral designa-se com o nome "CRUZADAS" as expedições militar-religiosas empreendidas pela Cristandade do Ocidente contra os muçulmanos, a fim de lhes arrancar a dominação sob as regiões santificadas pela vida e pela morte de Jesus Cristo.

Os guerreiros que participavam dessas campanhas colocavam no peito uma cruz vermelha: daí o nome "cruzados". Para ajudar na conquista dos Lugares Santos foram fundadas ordens militares como a dos Templários. As nove cruzadas foram as seguintes:

A PRIMEIRA CRUZADA

Ela está dividida em 02 partes ou seções: a - seção civil, iniciada em março de 1096, e era composta de peregrinos, conduzidos por Walter, o paupérrimo, e outros recrutados pelo fervor religioso de Peter (Pedro de Amiens), o Eremita. Os peregrinos fizeram seus caminhos, através da Hungria e Bulgária, e depois Constantinopla, e Ásia Menor. b - seção militar, conduzida por Godofrey de Bouillon e seus Irmãos Baldwin e Tancred. Os Cruzados tomaram a maior parte da Síria, e dominaram a Palestina, fundando um reino Cristão. Neste período fundaram diversas ordens como a dos Templários, dos Hospitaleiros, e dos Cavaleiros teutônicos. Porém, tais ganhos não foram duradouros. Em 1187, Jerusalém fora recuperada pelos muçulmanos, sob o comando de Saladino, sultão do Egito.

A SEGUNDA CRUZADA

Era composta por senhores feudais liderados por Luís VII, rei da França e por Conrado III, imperador do Sacro Império Romano Germânico. Atingiu Constantinopla e chegou à Ásia, mas foi derrotada antes de atingir a Palestina. Foi preconizada por São Bernardo, mas havia dissidência em Jerusalém, ele foi enganado e terminou em desastre no Cerco de Damasco.

A TERCEIRA CRUZADA

Foi liderada por Ricardo Coração de Leão (Richard Couer de Lion), rei da Inglaterra; por Filipe II, rei da França e por Frederico Barba Ruiva, imperador do Sacro Império Romano Germânico. Este último, seguiu por terra e faleceu na Ásia Menor, tendo suas forças se dispersado. Os outros dois reis partiram por mar até a ilha de Chipre. De lá, o rei francês retornou e Ricardo Coração de Leão prosseguiu a luta, conquistando inúmeros territórios. Embora não tenha conseguido tomar Jerusalém, o rei Inglês efetuou um acordo com o chefe turco para que os cristãos pudessem realizar peregrinações até a Terra Santa.

A QUARTA CRUZADA

Foi constituída pela nobreza feudal, devido a um grande apelo do papa Inocêncio III aos príncipes europeus, com o objetivo de atacar o Egito, passagem para a Palestina. Para que pudesse obter seu financiamento junto aos comerciantes venezianos, os cruzados envolveram-se nas disputas dinásticas do Império Bizantino, cujas riquezas e destruição de Constantinopla interessavam aos venezianos. Em 1204 a cidade é invadida e conquistada, criando-se o Império Latino do Oriente, até o ano de 1261.

A QUINTA CRUZADA

Conduzida por Simon de Monfort Louis, Conde de Blois e Baldwin, conde de Flanders, esta Cruzada foi iniciada em Venice e seu objetivo era desviar da captura da Palestina e tomar Constantinopla. Um dos desastres desta cruzada, foi o fato de 50.000 crianças, deixarem suas casas na crença de que a Terra Prometida, só seria alcançada, por cruzados de pura inocência. Suas vidas foram sacrificadas no caminho ou nos mercadores de escravos, quando eles eram capturados.

A SEXTA CRUZADA

Um risco triplo, para John da Hungria, John, Rei de Jerusalém e Imperador Frederico II da Germânia. Em 1225, o Imperador Frederick da Germânia casou-se com a filha do Rei de Jerusalém, que exortou-o a liderar outra cruzada. Fez isto, e marchou em direção a Jerusalém a qual foi cercada para ele, pelo Sultão do Egito, El Kamil, além das cidades de Belém e Nazaré.

A SÉTIMA CRUZADA

Conduzida por Richard, Conde de Cornwall, sobrinho de Richard Couer de Lion, que foi vitorioso ao dar para os muçulmanos uma parte maior da Palestina. No retorno, foi levado para Aix-la-chepelle, onde foi coroado imperador do oeste.

A OITAVA CRUZADA

Inspirada pelo Rei Luis IX da França, voltou-se contra o Egito, mas toda a Cruzada foi um desastre e o Exército foi destruído. O Rei foi capturado e libertado somente após o pagamento de um elevado resgate.

A NONA CRUZADA

Os Exércitos da Inglaterra e da França, uniram-se para tomar a Terra Prometida dos muçulmanos. Pestilência e Praga dizimaram ambos os contingentes, e entre os que morreram estava o Rei da França, Luis IX, morto em 25 de agosto de 1270. Príncipe Edward, o filho do Rei Henry III e herdeiro do Trono, guiou a cruzada em 1271. A queda de Acre, se deu em 1291, quando os Turcos tomaram a cidade, com destruição praticamente total dos Exércitos Cruzados.

Ver fotos

1