MUSEU VIRTUAL

"O desenvolvimento da malha ferroviária do Estado de São Paulo é obra de seus próprios habitantes e a pequena ferrovia que tomou o nome E. F. do Dourado do vale do principal rio encontrado em seu traçado, nasceu da expansão natural das lavouras de café e outros produtos por zonas mais afastadas dos trilhos do grande tronco da Cia Paulista de Estradas de Ferro..."

Assim começa a história da Cia. Estrada de Ferro do Dourado, ou "Douradense", que teve sua construção iniciada logo após a aprovação dos estudos definitivos para a linha (07.08.1899). Em outubro de 1900 foram abertos os primeiros 10 km --até Ferraz Sales--, partindo de Ribeirão Bonito, na época a estação final da Companhia Paulista. (ramal de São Carlos, bitola métrica), tendo-se adotado a bitola de 0,60 m. Em dezembro seguinte, inaugura-se os outros 10 km., até Dourado. O prolongamento prosseguiu e em maio de 1903 inaugurou-se o traçado até Boa Esperança. Em 20.08.1906 inaugurou-se o trecho Boa Esperança-Ponte Alta, com 17 km. 

cd-mapa.jpg (85501 bytes)

A extensão total em 1906 já atingia cerca de 59 km. Em 1910 as linhas já somavam 206 km em bitola de 0,60 m, sendo os principais trechos Ribeirão Bonito/Trabiju/Ibitinga e Trabiju/Bariri.Para acompanhar a área de abrangência da CD, clique no Mapa ao lado.

Com o alargamento da bitola para 1,0 m., a linha primitiva entre Ribeirão Bonito e Dourado foi suprimida por causa de seu acidentado traçado e a ligação para Dourado, onde haviam as grandes oficinas da estrada, ficou sendo via Trabiju, local que também teve sua estação modificada de lugar quando do alargamento da bitola. Hoje, da antiga estação há somente uma pequena caixa d'água subterrânea.   A extensão total na bitola métrica (menos desvios) foi de 351 km., e a Douradense passou a ter intercâmbio com a Cia.Paulista de Estradas de Ferro, em Ribeirão Bonito e Jahu, e com a Estrada de Ferro Araraquarense - Em Tabatinga.

Para Saber mais sobre a Douradense  clique nos ícones abaixo e boa viagem!!

A CD em 1904 : Panorama da Douradense na época, dados históricos;
A CD em 1945 : Relatório da R.F. de 1945, com a CD já pertencendo à Cia. Paulista;
Galerias de fotos : Locos vapor e diesel, estações, oficinas, acidentes, as sobreviventes, etc.;
Estações : Quadro das estações da Douradense, distâncias, altura, inauguração;
Locomotivas : Quadro com numeração, tipo e destino das locos da Douradense;
Quadro das linhas : Quadro esquemático das linhas da Douradense;
Ramal de Itápolis : Galeria especial com fotos de Itápolis, inclusive desativação;
Alargando a bitola : Texto de Ivanil Nunes sobre o alargamento das bitolas na CD;
O ultimo Apito : Relato especial, por Ralph Giesbrecht, com fotos de Edson
Novidades 
: Aqui você sempre vai encontrar novas fotos e informações. visite!
Documentação : Documentos antigos sobre a CD, Ações, Apólices, Títulos, Cartas, etc..
Modelando a CD : Dicas para se modelar a Douradense;
Fontes de consulta : Fontes para se saber mais sobre a Douradense;
textos sobre a CD : Reportagens, teses, ensaios e textos produzidos sobre a CD em geral

Essa Página foi inspirada por Alberto H. Del Bianco, Curador desse Museu Virtual, pesquisador da história ferroviária do Brasil, colaborador do Museu de Dourado e destacado membro de entidades preservacionistas, sendo por ele dedicada ao amigo Joâo Batista, o "Cipó", que foi Foguista e Maquinista na Cia Douradense, Cia.Paulista. e na V.F.C.J. (ferrovia da ABPF), além de um grande incentivador de suas pesquisas sobre a Douradense,  e que pode ser visto na foto abaixo, tirada na VFCJ, junto à loco 604, ex-CP. 

Colaboraram nesse Site com fotos e informações, Nilson Rodrigues, Sérgio Mártire, Hermes Yoiti Hinuy, Paulo Cury, Antônio Augusto Gorni, Ralph Giesbrecht, Paulo Roberto Filomeno, Edson, Elly Oliveira, Tony Belviso, Joel, Celso Polli, Washingtom Marcondes, Julio Paiva e muitos outros, além de Carlos Alberto Romito de Carvalho e João Batista Lago, responsáveis pelos desenhos dos emblemas da CD que enfeitam essas páginas.

Além dos colaboradores de primeira hora, tem sido fundamental a contribuição para o crescimento desse trabalho das pessoas que visitam o site e dividem conosco documentos, fotos e informações que possuem, colaborando para tornar cada vez mais  conhecida a história dessa ferrovia, entre os quais destacamos Celso Poli, Washington Marcondes e João G. Abib, cuja contribuição inclusive alavancou a abertura de uma nova ALA nesse Museu, destinada apenas a Documentos sobre a Douradense e que vale a pena ser visitada!!

Esse trabalho não tem pretensão de esgotar o assunto sobre essa ferrovia. Então, se você que nos visita  tiver mais informações, fotos ou material a respeito da Cia. Douradense e puder  colaborar conosco, por favor, entre em contato. Sua colaboração será muito bem vinda!

Alberto Henrique Del Bianco
Curador do Museu virtual da Cia. Douradense

Novidade !! O Museu Virtual da CD recebe doação de Obrigação Hipotecária da CD emitida na França!!! Clique e veja a reportagem!!

Webmaster
Marcello Tálamo

Voltar para Ferrovias & História

Conheça esse Álbum

1