Poesias Etográficas

 
 

 

Uma História


É minha perene insensatez...
Imaginar o amor como trilhas,
E, crer o impossível ser talvez.
Ou mesmo - as lindas veredas!
Ou os mais sublimes caminhos.
E um belo jardim sem espinhos,
Que partindo da tua linda boca...
Passam entre os tímidos seios...
As duas lindas rosas de anseios.
 

  O meu devaneio enlouquecido.
Talvez, último dos românticos.
Num mundo, até já, esquecido,
Do tema dos amantes cruciais,
A ternura aquecida de desejos!
Amor em momentos essenciais.
Ilusões não passam de lampejos,
Não permitindo apenas esperar...
Momentos prometidos com olhar!
E insinuações reais indisfarçáveis.
Contida por pudores insuportáveis.

 
O meu desejo insano de ver-te - Nua.
Suplicando o meu carinho audacioso.
Tornando uma ilusão que é minha tua.
Perdoa mais este um gesto impetuoso.
Sempre te olhar como uma fêmea linda.
Meus desejos são as réplicas sinceras...
Nesta minha paixão... Celestial e, infinda.
Todas as nuances, de todas as quimeras.
Que acreditam o sonho que, vive contigo.
São os loucos desejos que estão comigo.

 

Meu Amor - Às vezes, acredito piamente...
Poderás vir a ser a Mulher da minha Vida...
Que podes vir a ser a flor, fruto e, semente.
Ainda, não te contei, todo o meu segredo...
Segredo que agora te revelo minha querida.
Que da minha vida podes ser único enredo.
 Mais inacreditável filme do tipo a lagoa azul.
Mas para coroar toda a surpresa e - a sorte.
Este conto de fadas - não aconteceu no sul,
Nem mesmo ele quis vir  florescer no norte,
A história linda não aconteceu entre... Avós.
É bem mais recente e, aconteceu, entre nós.

Edvaldo Feitosa
( Direitos autorais reservados)
* Fundação Biblioteca Nacional - nº180859 *

 



 

 

  Poema         6

  Home Page  1

Home Page 2

Poema         4

E-mail

 

Gostou deste Poema?
Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu  Amor. 
Através do seu E-mail
ou
 MSN.
       http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_po5.htm


 
 

1