Navegue Sonhos

 

 

 

Siga – Caminhos...
 Sempre em frente...
Navegando Sonhos.
Nadando - nuvens...
... Conscientemente.
Infinitas - Ilusões...
Cheias de emoções.

E bem Pretensiosas.

Nunca Esquecidas...
Lindas recordações.
Atiram-lhe... Rosas?
Jogam-lhe Espinhos?
Sangram as Feridas?
Siga seus Caminhos.
Todavia, em Frente...

Mesmo sofrendo revés...
Siga - sempre sorrindo...
Salve os dedos não anéis.
Acreditando - na Verdade...
Que outros - estão sentindo.
Procure... Sorridente, a Vida.
Belos sonhos de Simplicidade.
E propositadamente - Esqueça.
Pesadelos das tais - Fatalidades.
De nada vale ser inconseqüente.
Eis a pior - alternativa a escolher!
Apenas cicatrizar algumas feridas?
Como faz essa - multidão de gente.
Mesmo ignorando: razão do porquê.
Apenas seguir - sem saber o destino.
Como fossem rebanhos para o ABATE.
Pois importante é saber: aonde seguir.
Lutar como fez Paulo - o bom Combate.
Sem... Nenhum – Lamento. Demonstrar.
Se algum desengano inesperado lhe Ferir.
Arranje outro Sonho - para poder Sonhar.

 

   Gostou deste Poema?
Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu  Amor. 
Através do seu E-mail ou  MSN.

    http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_po57.htm

Edvaldo Feitosa
( Direitos autorais reservados)
* Fundação Biblioteca Nacional - nº 180859 *



 

  

  Poema        58

Home Page  2

 
Home Page  1

Poema        56

E-mail

1