Poesias Etográficas

 
Ansiosa Espera

 

 Mas enfim, até quando, resistirás... Aos mais loucos, dos desejos.
 Nem sei terei forças para continuar...  Esperando a decisão louca.
 Aguardo ansiosamente - os p
razeres exauridos... Dos teus beijos.
 
Tentar, desesperadamente - sugar-te à alma. Através da...  Boca.

Como podes tu resistir - às palavras selecionadas... Ternamente.
Nem sei porque
- negas esse fogaréu. Para acender minha alma.
 Nem sei o que eu sei
- mas se eu sei, creio, é apenas, vagamente.
 Realmente apenas sei, de tanto esperar estou perdendo a calma.

   

Mas bom caçador... Espera noites repetidas noites mal dormidas.
Assim tenho esperado sonhando com o dia
- tu sabes, o dia fatal.
 Fantástica noite de tanto amor, de brilhar como os meios dias. 

 

 Então sentirás a força intensa... Das minhas audácias reprimidas.
 Num milagre viveremos todos os desejos seletos
do mais especial.
 Viveremos os amores mais puros e lindos às mais loucas fantasias.

 

  

 Gostou deste Soneto?
 Envie para quem Você Ama. 

Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu Amor. Pelo MSN  -  ou através do seu E-mail.
http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_son27.htm

 

Edvaldo Feitosa
( Direitos  autorais  reservados  sob  o  nº 180859 )
* Fundação Biblioteca Nacional *





    Soneto       28

   Home Page  2

  Home  Page 1

  Soneto       26

     E-mail
 

Site n° 1

          A pomba levará você à  Página Inicial.
 

 

 

 

1