Nascimento de quem?

 


Surgiu Ele O Profeta, irradiando Luz.
Neste Natal, eu me lembrei do Tempo.
Dia tão sonhado e chegou o Momento.
Ironicamente o pregaram numa Cruz.

Como seria hoje - nossa mente eclética.
Seria a repetição do iniciado no Horto.
Talvez Ele agora, também, fosse morto.
Mas numa moderna - cadeira Elétrica.

Se a eternidade tornou isso impossível.
Inventamos uma história - tão incrível.
Bela, irreal quanto à da torre de Babel.

No seu aniversário... Sepultamos Cristo.
Interesses hipócritas - conseguiram Isto.
Transformamos - Jesus... Em papai Noel.

Gostou deste Soneto?
Envie o endereço aos seus amigos (as) ou para seu  Amor. 
Através do seu E-mail ou  MSN.   

  http://br.oocities.com/ed_poeta1/ref_son6.htm

  Edvaldo Feitosa
(Direitos  autorais   reservados)
* Fundação Biblioteca Nacional - Registro nº  180859*

 

   

 

A vida é uma sinfonia inacabada!



Soneto        7

Home  Page 2

Home Page 1

Soneto       5

E-mail

1