Diabetes

Se você tiver realmente tiver afim de aprender um pouco sobre diabetes...

Conteúdo    

O que é diabetes ?

Causas e sintomas

Como uma pessoa convive c/ diabetes ?

Planejamento Alimentar

Exercícios

Como adminstrar as emergências ?

 

Diabetes é um grupo de condições sob as quais os níveis de glicose (açúcar) são anormalmente elevados. Diabetes ocorre quando o pâncreas pára de produzir bastante insulina, que é necessária para o correto metabolismo dos alimentos digeridos.

Só nos Estados Unidos da América do Norte, cerca de 14 milhões de pessoas têm alguma forma de diabetes, embora apenas a metade estejam diagnosticadas. Os três tipos principais de diabetes são insulino-dependente, também conhecida como diabetes de tipo I; não insulino-dependente, também chamado de diabetes tipo II; e diabetes gestacional, que ocorre durante a gravidez.

Diabetes melltus insulino-dependente (DMID) desenvolve-se mais frequentemente em crianças e em adultos jovens. Algumas vezes pessoas com idade acima de 40 anos desenvolvem diabetes insulino-dependente, mas ela usualmente começa em idade mais jovem. Por este motivo ela costuma ser conhecida como diabetes "juvenil".

Diabetes mellitus insulino-dependente é uma das desordens crônicas mais comuns entre crianças, nos Estados
Unidos. A cada ano, de 10.000 a 12.000 crianças são diagnosticadas naquele país com diabetes tipo I. Dentre as 7
milhões de pessoas sendo tratadas de diabetes alí, cerca de 5 a 10 porcento têm diabetes mellitus
insulino-dependente.

Diabetes mellitus não insulino-dependente (DMNID) é o tipo mais comum de diabetes. Este tipo responde por 90
a 95 % dos casos diagnosticados de diabetes e por quase todos os casos não diagnosticados. Diabetes mellitus
não insulino-dependente usualmente se desenvolve em adultos com idade acima de 40 anos e é mais comum em
pessoas com excesso de peso. Pessoas com diabetes mellitus não insulino-dependente usualmente produzem
alguma insulina, mas as células do corpo não conseguem usá-la eficientemente porque as células são resistentes
à insulina. Perdendo peso, fazendo exercícios, ou tomando medicamentos por via oral, a maioria das pessoas com
diabetes mellitus não insulino-dependente pode superar esta resistência à insulina. Entretanto, algumas pessoas
com diabetes mellitus não insulino-dependentes precisam de injeções diárias de insulina.

Diabetes gestacional ocorre em algumas mulheres durante a gravidez. Ela usualmente cessa depois que o bebê
nasce, mas mulheres com diabetes gestacional podem desenvolver diabetes mellitus não insulino-dependente
quando ficarem mais velhas. Diabetes gestacional resulta da resistência do corpo à ação da insulina. Esta
resistência é causada por hormônios que a placenta produz durante a gravidez. Esta condição se desenvolve
durante a metade do período de gravidez. Diabetes gestacional é tratada usualmente com dieta. Algumas
mulheres podem precisar de insulina. Diabetes gestacional não pode ser tratada com comprimidos que diminuem
o nível de glicose no sangue porque estes remédios podem fazer mal ao bebê.
 
 

Nos próximos tópicos estaremos tratanto essencialmente de diabetes mellitus insulino-dependente. A palavra "diabetes" no texto refere-se a diabetes insulino-dependente, a não ser quando expressamente mencionado em contrário.
 

Causas e Sintomas

Causas

Em pessoas com diabetes insulino-dependente, o pâncreas produz muito pouca ou nenhuma insulina. O pâncreas
não consegue produzir insulina porque o sistema imunológico do corpo destruiu as células produtoras de
insulina.

Os cientistas não sabem por que o sistema imunológico, que permite o combate às doenças e a outras
substâncias "estrangeiras" que podem invadir o corpo, ataca e destrói as células produtoras de insulina. Uma
combinação de fatores pode estar envolvida, incluindo exposição a vírus comuns ou a outras substâncias
durante os primeiros períodos de vida, assim como riscos herdados de diabetes.

Pesquisadores podem agora fazer testes com membros da família de pessoas diabéticas para identificar aqueles
com maiores riscos de adquirir diabetes. Cientistas esperam ainda encontrar uma forma de prevenir o diabetes.

Primeiros sintomas

Os primeiros sintomas de diabetes podem ser graduais ou súbitos. Eles incluem vontade frequente de urinar
(particularmente à noite), aumento da sede, perda inexplicada de peso (a despeito do crescimento do apetite), e
cansaço extremo. Estes sintomas são causados pelo acúmulo de açúcar no sangue e sua perda pela urina.

Para eliminar o açúcar na urina, o rim "toma emprestada" água do corpo. A perda do açúcar e da água extra na
urina resulta em desidratação, que causa aumento da sede. Além de provocar alto nível de glicose no sangue, a
falta de insulina faz com que o corpo consuma proteínas e gorduras armazenadas. Quando gorduras são
consumidas, o corpo pode convertê-las em resíduos chamados cetonas. Se a produção de cetonas for excessiva,
quantidades anormais de cetonas podem-se derramar pela urina. Se o nível de cetonas no sangue subir demais,
uma condição chamada cetoacidose pode verificar-se. Esta condição traz risco de vida e requer assistência médica
imediata. Sintomas de cetoacidose incluem dores anormais, vômito, respiração rápida, cansaço extremo e
sonolência.
 
 

Para lembrar

Sintomas de diabetes insulino-dependente incluem

     Vontade frequente de urinar
     Aumento da sede
     Perda inexplicada de peso
     Cansaço

 
 

Como uma pessoa convive com o diabetes ?

Diabetes requer atenção constante e cuidados diários para manter balanceados os níveis de açúcar no sangue.
Injeções de insulina, dieta, exercícios e testes do nível de açúcar no sangue são alguns dos requisitos do
dia-a-dia. Para sentir-se bem e manter-se saudável, uma pessoa com diabetes precisa bem administrar uma rotina
diária. Por este motivo, diabetes é frequentemente mencionada como uma enfermidade "24 horas".

Insulina Diária

Pessoas com diabetes "juvenil" têm que tomar isulina todo dia. Insulina não pode ser tomada sob forma de
comprimidos. Ela tem que ser injetada, o que envolve o uso de seringa e agulha, ou pode ser fornecida por uma
bomba de insulina. Bombas de insulina são usadas junto ao corpo em um cinto ou no bolso. Elas liberam um
suprimento uniforme de insulina por meio de um tubo que a conecta a uma agulha colocada sob a pele.
Quantidades extras de insulina são administradas antes das refeições, dependendo do nível de glicose no sangue
e da refeição.

Outro dispositivo para injeção é a caneta de insulina. Este dispositivo recebe uma ampola de insulina substituível
e uma agulha esterilizada descartável. Canetas de insulina são boas de carregar porque eliminam a necessidade de
andar com seringas extras e frascos de insulina. Injetores por jato, semelhantes a alguns usados em campanhas
de vacinação, podem também ser usados para aplicar isulina, mas estes dispositivos são caros. Este tipo de
injetor usa alta pressão em vez de uma agulha para propelir insulina através da pele. Pesquisadores estão
explorando o uso de bombas implantáveis e outros dispositivos para administrar insulina. Converse com seu
médico sobre qual sistema de administração de insulina é melhor para você. Se desejar, use a seção Pergunte ao
Doutor na nossa Home-Page ou entre em contato conosco.

A quantidade de insulina de que você precisa depende de seu peso, de sua altura, alimentação e nível de
atividade. As doses de insulina precisam ser balanceadas com os intervalos de alimentação e atividades, e os
níveis das dosagens podem ser afetados por doenças, stress ou acontecimentos inesperados. Seu médico
calculará quanta insulina você deve tomar a cada dia para evitar que seus níveis de açúcar no sangue subam
demais ou desçam demais. Ele também ensinará como administrar situações especiais. A maioria das pessoas com
diagnóstico recente de diabetes podem começar a injetar sua própria insulina e estimar as doses necessárias
dentro de poucos dias após as primeiras instruções recebidas.

Monitoramento da glicose

Desde o início da década de 80, auto-monitoramento da glicose no sangue tem sido apresentado como a melhor
maneira de determinar se o nível de açúcar no sangue de uma pessoa com diabetes está muito alto ou muito baixo.
A medição lhe ajuda a monitorar seu diabetes para determinar se há necessidade de ajustes na dieta, insulina ou
exercícios. Embora o auto-monitoramento possa a primeira vista parecer difícil e dispendioso, a administração do
diabetes melhorou muito desde que este método de teste foi difundido.

Auto-monitoramento envolve tomar uma gota de sangue, usualmente da ponta de um dedo, e colocá-la sobre uma
fita que tem um reagente. Fitas são "lidas" visualmente ou com um dispositivo medidor. Fitas lidas visualmente
mudam de cor de acordo com a quantidade de açúcar no sangue. A cor é comparada com uma tabela de cores
fornecida com as fitas. Para usar um medidor de glicose, você insere a fita no medidor e ele fornece uma leitura
digital do seu nível de açúcar no sangue, usualmente dentro de um minuto.

O uso de um medidor de glicose no sangue é um meio mais acurado de testar o açúcar do sangue. Dispositivos
para auto-monitoramento disponíveis desde o início da década de 90 oferecem muitos recursos. Alguns são
pequenos e muito leves e alguns podem armazenar medições por alguns dias ou semanas. Medidores são
vendidos em farmácias especializadas ou em lojas de artigos para diabéticos. Seu médico pode ajudá-lo a
determinar qual o aparelho mais adequado ao seu estilo de vida e ajudá-lo a aprender como operá-lo corretamente.
A APDJ também pode ajudá-lo neste sentido e pode fornecer alguns desses produtos a seus associados.

É importante seguir as instruções do fabricante para testar a precisão do seu medidor (isto é chamado calibração
do medidor). Calibração inadequada pode causar leituras imprecisas, conduzindo a erros na administração do
diabetes.

Resultados das medições de açúcar no sangue devem ser registradas numa agenda do diabetes. Essas agendas
devem ter espaços destinados à anotação de atividades extras e de ocorrência de sede que podem afetar os níveis
de açúcar no sangue. Estas informações irão ajudá-lo e ao seu médico a ajustar as doses de insulina ou fazer
outras alterações na rotina de cuidados, se necessário. Algumas vezes a agenda pode indicar padrões nos níveis
de açúcar no sangue que indiquem necessidade de contatos mais frequentes com seu médico.

Auto-monitoramento dos níveis de açúcar no sangue foram uma ferramenta importante num estudo que durou 10
anos, realizado pelo Governo dos Estados Unidos da América do Norte. Para voluntários que participaram deste
estudo num grupo de administração intensiva, resultados de testes de glicose no sangue serviram como guia na
tomada de decisões sobre ingestão de alimentos e doses de insulina para atingir um controle melhor. Caso se
deseje otimizar o controle, deve-se fazer testes de glicose no sangue pelo menos quatro vezes ao dia ou tantas
vezes quanto for preciso. A idéia é usar os resultados do auto-monitoramento para ajustes na alimentação,
exercícios e insulina de forma que o seu nível de açúcar no sangue permaneça numa faixa que seja a melhor para
você.

Outro exame de sangue, o teste de hemoglobina A 1c, mostra o nível médio de açúcar no sangue nos últimos 2 a 3
meses. Sua amostra de sangue é fornecida a um laboratório para análise. Você deve fazer um teste de
hemoglobina A 1c pelo menos a cada 3 meses. Baseado nos resultados, você e seu médico saberão se seu
diabetes vem sendo bem controlado nos últimos meses.
 
 

Para lembrar

     Auto monitoramento de glicose no sangue mostra o nível atual de açúcar no sangue.
     Exame de hemoglobina A 1c informa o nível médio de açúcar no sangue nos últimos 2 a 3 meses
 
 

Planejamento alimentar

Assim como qualquer outra, as pessoas com diabetes insulino-dependente devem seguir um plano alimentar
saudável. Seu plano deve ser pobre em gorduras e colesterol porque estes têm estado ligados a doenças do
coração, um problema comum entre pessoas com diabetes. Crianças e mulheres grávidas com diabetes podem ter
necessidades adicionais de nutrientes. Diretrizes para a nutrição podem ser conseguidas com um nutricionista.

Alimentos diferentes têm efeitos diferentes sobre os níveis de açúcar no sangue. Portanto, você deve ser tão
consistente quanto possível na escolha do seu alimento e no intervalo entre alimentações. Alguns alimentos
aumentam o açúcar no sangue rapidamente; outros têm um efeito mais gradual. Fazendo testes de seu nível de
açúcar no sangue depois de comer, você pode aprender como determinados alimentos afetam o nível de açúcar
no seu sangue.

É importante a manutenção de intervalos regulares entre refeições e sua coordenação com suas injeções de
insulina. Insulina normal, por exemplo, tem um pico de atuação aproximadamente 2 horas depois da injeção e atua
por 4 a 6 horas. É adequada para ser aplicada antes de refeições. Outos tipos de insulina são absorvidos mais
lentamente e têm uma ação mais prolongada. O regime de aplicação de insulina deve ser projetado para ajustar-se
aos hábitos alimentares e ao estilo de vida de cada pessoa e deve ser tão consistente quanto possível numa base
diária. Um nutricionista pode personalizar um plano alimentar para incluir alimentos de que você gosta. Seu
médico deve também ajudar.
 
 

Para lembrar

     Consute um nutricionista para fazer um plano alimentar para você.
     Aprenda como alimentos diferentes afetam seus níveis de açúcar no sangue.
     Tente manter injeções de insulina, refeições e atividades tão consistentes quento possível, numa base diária.
 
 

Exercícios

Pessoas com diabetes insulino-dependente são encorajadas a fazer exercícios pelos mesmos motivos que
pessoas que não tenham diabetes. Exercícios mantêm o corpo em harmonia e fazem bem ao coração e aos
pulmões. Antes de exercitar-se você deve verificar seu nível de açúcar no sangue porque exercícios tendem a
diminuir o açúcar do sangue. Se seu nível de açúcar no sangue estiver muito baixo ou se algum tempo já se
passou desde que você se alimentou, você deve fazer um lanche antes de exercitar-se. Algumas vezes o exercício
pode fazer com que níveis muito altos de açúcar no sangue subam ainda mais. Se sua taxa estiver acima de 300 mg
/ dl (antes de comer), você deve aplicar insulina ou aguardar até que sua taxa caia, antes de começar os exercícios.

Exercício é uma parte importante no plano de administração do diabetes. Participação em esportes e exercícios
regulares ajudam a manter a forma física. Um programa de exercícios deve ser planejado com a ajuda de um médico
e um treinador ou professor de educação física experiente.
 
 

Para lembrar

Exercícios podem baixar seu nível de açúcar no sangue rapidamente. Antes de começar exercícios:

     Verifique seu nível de açúcar no sangue.
     Se sua taxa está baixa, faça um lanche.
     Se sua taxa está muito alta, você deve trazê-la para um nível adequado antes de começar os exercícios.
     Pode tembém ser necessário reduzir sua dose de insulina antes de exercícios planejados.
 

Como administrar as emergências ?

Pessoas com diabetes precisam sempre equilibrar alimentação, exercícios e insulina para controlar os níveis de
açúcar no sangue. Quando este equilíbrio é rompido, podem ocorrer certas condições de emergência, incluindo
baixo nível de açúcar no sangue (hipoglicemia) ou alto nível de açúcar no sangue (hiperglicemia). Pessoas com
diabetes mellitus insulino-dependente devem sempre portar consigo algum tipo de identificação da sua condição
de diabético. Esta identificação deve informar que o portador é diabético e indicar um número de telefone para ser
chamado, caso necessite de ajuda.

Hipoglicemia

Algumas vezes as pessoas referem-se a um níveil muito baixo de açúcar no sangue, chamado de hiploglicemia,
como "reação à isulina". Esta condição pode ser causada por insulina demais, alimentação de menos ou atrasada,
exercícios, álcool ou alguma combinação destes fatores. Quando ocorre hipoglicemia, a pessoa pode ficar
irritadiça, cansada, suada, com fome, confusa e trêmula. Se o nível de açúcar no sangue cair a valores muito
baixos, a pessoa pode perder a consciência ou sofrer um ataque.

Hiploglicemia usualmente pode ser tratada facilmente comendo-se ou bebendo-se alguma coisa com açúcar, como
um refrigerante ou um suco de laranja. Você deve andar sempre com alguma bala ou doce que possa ser usado
para combater uma hipoglicemia. Produtos especiais para combater a hipglicemia, inclusive tabletes de glicose e
gels, são vendidos em farmácias especializadas e lojas de produtos para diabéticos.

Se a pessoa perder a consciência e não puder engolir por causa da hipoglicemia, é necessária assistência médica.
Telefone para o médico ou leve a pessoa para atendimento de emergência em um hospital. Um medicamento
injetável chamado glucagon, vendido sob licença médica nas farmácias, eleva o açúcar do sangue rapidamente.
Um membro da família ou um amigo deve aprender quando e como injetar glucagon numa emergência. Seu médico
pode dar orientação sobre como tratar hipoglicemias. Voluntários que se submeteram a uma terapia intensiva com
várias injeções de insulina e exames de glicose no sangue por dia, durante estudo realizado pelo Governo dos
Estados Unidos da América do Norte, tiveram 3 vezes mais episódios de hipoglicemia severa do que os
voluntários que seguiram uma terapia convencional. Por causa deste risco potencial, terapia intensiva não é
recomendável para qualquer pessoa, particularmente adultos idosos, crianças com idade abaixo de 13 anos ou
pessoas com problemas cardíacos ou complicações avançadas. Há pessoas que não apresentam os sintomas
usuais de baixo nível de açúcar no sangue. Estas pessoas precisam tomar cuidado especial para evitar
hipoglicemia. Elas devem medir seu nível de glicose no sangue com mais frequência, particularmente antes de
dirigir ou de operar equipamentos que apresentem algum risco.
 
 

Para lembrar

     Hipoglicemia é baixa quantidade de açúcar no sangue.
     Hipoglicemia pode-se desenvolver rapidamente, especialmente com exercícios.
     Tenha sempre consigo alguma bala ou doce para combater hipoglicemia.
     Hipoglicemia, se não tratada em tempo, pode conduzir a perda de consciência.
     Teste seu nível de açúcar no sangue, particularmente antes de dirigir ou fazer exercícios.
 
 

Hiperglicemia

Hiperglicemia é o oposto da hipoglicemia. Hiperglicemia ocorre quando o corpo tem açúcar demais no sangue.
Esta condição pode ser causada por insulina insuficiente, excesso de alimentação, inatividade, doença, stress ou
uma combinação destes fatores. Os sintomas da hiperglicemia incluem extrema sede, vontade de urinar frequente,
fadiga, visão borrada, vômitos e perda de peso.

Se seu nível de açúcar no sangue estiver acima de 250 mg / dl antes das refeições, você deve testar a presença de
cetona na sua urina. Cetonas são produtos químicos que o organismo produz quando os níveis de insulina estão
muito baixos e quantidades excessivas de gorduras estão sendo queimadas. Acúmulo de cetona por muitas horas
conduz a doenças sérias e coma, uma condição chamada cetoacidose. Kits para teste de cetona são encontrados
em farmácias especializadas. Eles devem estar disponíveis em sua casa quando você estiver doente ou quando
suas taxas de açúcar no sangue estiverem muito elevadas. Sinais de cetoacidose incluem vômitos, fraqueza,
respiração rápida e hálito adocicado.
 
 

Para lembrar

     Hiperglicemia é muito açúcar no sangue.
     Hiperglicemia desenvolve-se mais devagar do que hipoglicemia.
     Hiperglicemia pode indicar que cetoacidose pode estar presente.
     Se a taxa de açúcar no sangue está alta, teste a existência de cetona na urina

 

Muitas das informações aqui contidas foram traduzidas do texto " Insulin-Dependent Diabetes " do National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Deseases .

Receita de Ano Novo/ Calvin e Cristo/ Foras de série do Calvin/ O Cara que Mudou a História / Diabetes Links  Minha experiência / Minha Cara
 
 Home

1